Análise da indústria Petroquímica Brasileira utilizando o modelo das cinco forças de Porter

  • Fernanda Garcia Cordeiro Tessarolli Instituto de Macromoléculas Professora Heloísa Mano /Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Petroquímica; Modelo das cinco forças de Porter; Estratégia competitiva

Resumo

No inicio de 2010, o setor petroquímico brasileiro passou por um intenso processo de consolidação de ativos que resultou na formação da maior petroquímica das Américas, a Braskem. Esta transação fortaleceu a indústria nacional por meio da ampliação de economias de escala, da capacitação tecnológica e da verticalização empresarial. O presente estudo tem por objetivo analisar o panorama do setor petroquímico brasileiro − pós processo de consolidação − frente à grandes mudanças na arena competitiva internacional. Para tanto, uma extensa pesquisa em fontes secundárias de informações foi realizada entre os anos de 2007 e 2014 e os dados coletados foram analisados utilizando o modelo das cinco forças de Porter. De acordo com a análise de Porter, os recentes movimentos de consolidação de ativos associados a investimentos estruturais de expansão, integração e internacionalização conferem à indústria nacional uma nova dinâmica competitiva frente aos principais conglomerados internacionais, localizados nos EUA, Oriente Médio e China, em um cenário de grande instabilidade mundial.