Perspectivas de desenvolvimento e a construção da identidade no território Geoparque Quarta Colônia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1981-4070.2024.v18.42841

Palavras-chave:

Desenvolvimento, Comunicação, Cultura, Identidade, Geoparque

Resumo

Estar inserido em um determinado território não é condicionante para que os indivíduos compartilhem dos mesmos interesses, costumes e vivências daquele meio. Mas, quando isso ocorre e há uma identificação mútua, os indivíduos tendem a se agrupar, legitimando identidades, que através de uma ação coletiva, podem resultar em benefícios coletivos. Todavia, sabe-se que essas identidades são construídas através de relações de poder. Desse modo, a partir de uma revisão de literatura, discute-se neste texto a construção da identidade de indivíduos pertencentes ao território do Geoparque Mundial Unesco Quarta Colônia. Parte-se do pressuposto de que existe uma identidade territorial formada por elementos e características em comum que vinculam os indivíduos a determinados espaços geográficos. Para isso, considera-se também que os patrimônios culturais e naturais auxiliam na formação dessa identidade coletiva e podem reforçar o sentimento de pertença ao território. Ao longo do artigo, fica evidente que elementos positivos comuns ao território, como as manifestações culturais e ambientes naturais, podem construir e fortalecer uma identidade coletiva visando ao desenvolvimento sustentável. Neste sentido, a comunicação é vista não como uma ferramenta tecnicista, mas como meio articulador junto ao território, pois além de difundir a informação, cria vínculos e fortalece identidades.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mauricio Rebellato, Universidade Federal de Santa Maria

Doutorando no POSCOM - UFSM.

Luciomar de Carvalho, Universidade Federal de Santa Maria

Pós-doutorando, com financiamento do CNPq. POSCOM - UFSM.

Flavi Ferreira Lisboa Filho, Universidade Federal de Santa Maria

Doutor em Comunicação. Pesquisador Bolsista do CNPq, nível 2.

Referências

BARQUERO, A. V. Desarrollo endógeno. Teorías y políticas de desarrollo territorial. Investigaciones Regionales, n. 11, p. 183-210,2007. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/289/28901109.pdf. Acesso em: 10 out. 2022.

BERNÁLDEZ, F. G. Invitación a la ecologia humana: la adaptación afectiva al entorno. Madrid: Editora GAR, 1985.

BOURDIEU, P. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp; Porto Alegre: Zouk, 1984.

BOURDIEU, P. Escritos de Educação. Petrópolis: Vozes, 1998.

CARVALHO, L.; LISBOA FILHO, F. F. Representações LGBTQIA+ e estudos culturais: invisibilidades da diversidade de gênero em audiovisuais publicitários de moda. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, v. 13, n. 3, p. 671-680, 2019. DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v13i3.1726.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

FIGUEIRÓ, A. S. et al. Quarta Colônia aspiring geopark: territory and heritage. Santa Maria: UFSM, 2021.

FRANÇA, V. O objeto da comunicação/A comunicação como objeto. In: HOHLFELDT, A; MARTINO, L. C.; FRANÇA, V. V. (Orgs.). Teorias da Comunicação: conceitos, escolas e tendências. Petrópolis: Vozes, 2001, p. 39-60.

GOHN, M.G. Movimentos sociais na contemporaneidade. Revista Brasileira de Educação, v. 16, n. 47, p. 333-361, 2011. Disponível em: https://bit.ly/4den4VB. Acesso em: 20 set. 2022.

GUIMARÃES, G. B. et al. Geoparque dos Campos Gerais, PR: por que ele ainda não foi criado? In: 46º Congresso Brasileiro de Geologia, set./out. Santos-SP: 2012. Anais […] Santos-SP, 2012. Disponível em: https://bit.ly/4dks4Ib. Acesso em: 10 dez. 2022.

HALL, S. Cultura e representação. Rio de Janeiro: Ed. Apicuri, 2006.

LISBOA FILHO, F. F.; NUNES, L. S. A educação patrimonial como estratégia de reconhecimento e valorização cultural e identitária. In: PADOIN, M. M.; FIGUERÓ, A.; CRUZ, J. (Orgs.). Educação patrimonial em territórios geoparques: uma visão interdisciplinar na Quarta Colônia. Santa Maria: FACOS-UFSM, 2021, p. 159-174.

LISBOA FILHO, F. F. Extensão universitária: gestão, comunicação e desenvolvimento regional. Santa Maria: Facos-UFSM, 2022.

PERUZZO, C. M. K. Comunicação para o desenvolvimento, comunicação para a transformação social. In: MONTEIRO NETO, A. (Org.). Sociedade, política e desenvolvimento. Brasília: Ipea, 2014, p. 161-195. Disponível em: https://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/3202. Acesso em: 10 dez. 2022.

SAQUET, M. A. Campo-Território: considerações teórico-metodológicas. Revista Campo-Território, v. 1, n. 1, p. 60–81, 2006. DOI: https://doi.org/10.14393/RCT1111780.

UNESCO. Geociências e Geoparques Mundiais da Unesco. Disponível em: https://pt.unesco.org/fieldoffice/brasilia/expertise/earth-science-geoparks. Acesso em: 12 fev. 2023.

TUAN, Y. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Difusão Editorial, 1980.

Downloads

Publicado

2024-04-30

Como Citar

REBELLATO, M.; CARVALHO, L. de; FILHO, F. F. L. Perspectivas de desenvolvimento e a construção da identidade no território Geoparque Quarta Colônia. Lumina, [S. l.], v. 18, n. 1, p. 179–194, 2024. DOI: 10.34019/1981-4070.2024.v18.42841. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/42841. Acesso em: 22 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos