A tiktokização como estratégia de combate à desinformação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1981-4070.2024.v18.41751

Palavras-chave:

Tiktokização, Desinformação, Agência Lupa, Literacia midiática, Fact-checking

Resumo

Nosso artigo tem como objetivo examinar como aquilo que estamos chamando de tiktokização do jornalismo atua no combate à desinformação. A intenção é avançar nas contribuições científicas acerca do conceito, ainda pouco explorado pela agenda acadêmica. Estipulamos ainda como objetivo analisar, sob o amparo metodológico da Análise de Conteúdo (AC), quais são as estratégias narrativas que a Agência Lupa utiliza na plataforma TikTok, tanto para divulgação de fact-checking, quanto para promover a literacia midiática. Foram submetidos à investigação 24 vídeos, veiculados entre os meses de julho a dezembro de 2022. Concluímos que há uma movimentação por parte da referida iniciativa para “informar-educar”, oferecendo conteúdos com estruturas narrativas que incorporam algumas potencialidades estéticas da plataforma – o que percebemos como um imperativo estratégico. Além disso, numa aposta à condição emotiva do jornalismo, a Lupa subverte o uso do artifício da emoção. Tão empregada no contexto da desinformação, em prol da dilatação do fenômeno da pós-verdade, em que evidências são substituídas por crenças pessoais, o apelo emotivo – utilizado pela agência através do recurso meme – visa, neste caso, simplificar ou reforçar a veracidade do acontecimento narrado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiane Lindemann , Universidade de Santa Cruz do Sul

Professora no Departamento de Gestão de Negócios e Comunicação e no Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc). Mestre e doutora em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com doutorado-sanduíche na Universidade Fernando Pessoa (UFP), em Porto, Portugal. 

Patrícia Regina Schuster, Universidade de Santa Cruz do Sul

Professora do Departamento de Gestão de Negócios e Comunicação da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc). Doutora em Comunicação Midiática pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). 

Referências

AGÊNCIA LUPA. Perfil no TikTok: @agencialupa. 2020. Disponível em: https://www.tiktok.com/@agencialupa. Acesso em: 30 jan. 2023.

AGÊNCIA LUPA. Site. [2015?]. Disponível em: https://lupa.uol.com.br. Acesso em: 24 jan. 2023.

AGÊNCIA LUPA. Lupa é premiada no TikTok Awards por combater a desinformação dentro da plataforma. 12 dez. 2022. Disponível em: https://bit.ly/44rAQjF. Acesso em: 24 jan. 2023.

AMARAL, I; SANTOS, S. J. Algoritmos e redes sociais: a propagação de fake news na era da pós-verdade. In: FIGUEIRA, J.; SANTOS, S. (Orgs.). As fake news e a nova ordem (des)informativa na era da pós-verdade: manipulação, polarização, filter bubbles. Imprensa da Universidade de Coimbra, 2019, p. 63-86.

BAPTISTA, C. Digitalização, desinformação e notícias falsas – uma perspectiva histórica. In: FIGUEIRA, J.; SANTOS, S. (Orgs.). As fake news e a nova ordem (des)informativa na era da pós-verdade: manipulação, polarização, filter bubbles. Imprensa da Universidade de Coimbra, 2019, p. 47-62.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BASTOS, P. N. Dialética do engajamento: uma contribuição crítica ao conceito. Matrizes, v. 14, n. 1, p. 193-220, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v14i1p193-220.

DEBORD, G. A sociedade do espetáculo: comentários sobre a sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

HERMIDA, A. The five Es of journalism in 2016. NiemanLab. Predictions for journalism 2016. Disponível em: https://bit.ly/3wnbS8p. Acesso em: 18 jan. 2023.

JURNO, A. A. C.; D’ANDRÉA, C. F. B. Facebook e a plataformização do jornalismo: um olhar para o Instant Articles. Eptic, v. 22, n. 1, p. 179-196, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufs.br/eptic/article/view/12084. Acesso em: 10 dez. 2022.

LELO, T. The Rise of the Brazilian Fact-checking Movement: Between Economic Sustainability and Editorial Independence. Journalism Studies, v. 23, n. 9, p. 1077-1095, 2022. Disponível em: https://bit.ly/4bjd0cd. Acesso em: 20 jun. 2023.

LINDEMANN, C.; SCHUSTER, P. R.; BELOCHIO, V. Em busca da performance jornalística no TikTok: análise do Estadão e da Folha de S. Paulo. Estudos em Jornalismo e Mídia, Florianópolis, v. 19, n. 1, p. 205-218, 2022. DOI: http://doi.org/10.5007/1984-6924.2022.e85604.

LONGHI, R. R. Por que o jornalismo tem que começar a considerar o TikTok? 2021. Disponível em: https://bit.ly/3UbGFgg. Acesso em: 10 dez. 2023.

LOPES, P. Avaliação de competências de literacia mediática: instrumentos de recolha de informação e opções teórico-metodológicas. Media & Jornalismo, v. 15, n. 27, p. 45-69, 2016. DOI: https://doi.org/10.14195/2183-5462_27_2.

MARCONDES FILHO, C. Apresentação – Fake news: o buraco é muito mais embaixo. In: FIGUEIRA, J.; SANTOS, S. (Orgs.) As fake news e a nova ordem (des)informativa na era da pós-verdade: manipulação, polarização, filter bubbles. Imprensa da Universidade de Coimbra, 2019, p. 17-31.

MEDITSCH, E.; FARACO, M. B. O pensamento de Paulo Freire sobre jornalismo e mídia. Intercom: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, v. 26, n. 1, p. 25-46, 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/rbcc.v26i1.1031.

PRAZERES, M.; RATIER, R. O fake é fast? Velocidade, desinformação, qualidade do jornalismo e media literacy. Estudos em Jornalismo e Mídia, v. 17, n. 1, 2020, p. 86-95.

ROCHLIN, N. Fake news: belief in post-truth. Library Hi Tech, v. 35, n. 3, p. 386-392, 2017. DOI: https://doi.org/10.1108/LHT-03-2017-0062.

SILVA, J. M. Fake news, a novidade das velhas falsificações. In: FIGUEIRA, J.; SANTOS, S. (Orgs.) As fake news e a nova ordem (des)informativa na era da pós-verdade: manipulação, polarização, filter bubbles. Imprensa da Universidade de Coimbra, 2019, p. 33-45.

SODRÉ, Muniz. A sociedade incivil: mídia, liberalismo e finanças. Petrópolis: Editora Vozes, 2021.

VAN DIJCK, J. Facebook and the engineering of connectivity: A multi-layered approach to social media platforms. Convergence, v. 19, n. 2, p. 141-155, 2013. Disponível em: https://encr.pw/ogyzy. Acesso em: 15 jan. 2023.

Downloads

Publicado

2024-04-30

Como Citar

LINDEMANN , C. .; SCHUSTER, P. R. A tiktokização como estratégia de combate à desinformação. Lumina, [S. l.], v. 18, n. 1, p. 110–127, 2024. DOI: 10.34019/1981-4070.2024.v18.41751. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/41751. Acesso em: 22 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos