As imagens como gesto militante no filme América Armada (Alice Lanari e Pedro Asbeg, 2018)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1981-4070.2023.v17.39143

Palavras-chave:

Gesto Militante, Ativismo Social, Violência Armamentista, América Armada, Documentário Brasileiro

Resumo

Este artigo propõe-se a analisar as imagens como gesto militante no documentário brasileiro América Armada (Alice Lanari e Pedro Asbeg, 2018). O longa-metragem apresenta a atuação de três ativistas sociais, que vivem em diferentes países latino-americanos: Teresita Gaviria, na Colômbia; Raull Santiago, no Brasil; e Heriberto Paredes, no México. Esses personagens exercem suas militâncias por meio da produção de imagens, denunciando os impactos da violência armada em parte da população de seus países. A abordagem proposta para a análise do documentário é desenvolvida a partir de três eixos metodológicos: 1) a imagem-reparação, compreendida no contexto da personagem colombiana; 2) a imagem-escudo, entendida no âmbito do personagem brasileiro; 3) a imagem-vestígio, interpretada de acordo com a realidade do personagem mexicano. Assim, compreende-se as aproximações entre as experiências violentas e as formas de resistência praticadas por cidadãos latino-americanos, revelando a maneira pela qual as imagens de América Armada atuam como gesto militante na medida em que se constituem junto às imagens produzidas pelos ativistas que protagonizam o documentário. Isso acontece por meio dos enquadramentos, movimentos de câmera e pela montagem, expressando sentidos de denúncia social e resistência política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcio Zanetti Negrini, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutor pelo PPGCOM/PUCRS onde realiza pós-doutorado com bolsa do CNPq. Integrante do Kinepoliticom – Grupo de Pesquisa Cinema e Audiovisual: Comunicação Estética e Política (CNPq).

Giancarlo Backes Couto, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutorando no PPGCOM/PUCRS com bolsa do edital Apoio a Projetos de Pesquisa Científica, Tecnológica e de Inovação - Doutorado (CNPq). Integrante do Kinepoliticom.

Giulianna Nogueira Ronna, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

 Doutoranda no PPGCOM/PUCRS com bolsa do CNPq. Integrante do Kinepoliticom.

Cristiane Freitas Gutfreind, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutora em Sociologia pela Universidade de Paris V (René Descartes, Sorbonne). Professora Titular da PUCRS, vinculada ao PPGCOM e ao Curso de Graduação em Cinema. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Líder do Kinepoliticom.

Referências

AGAMBEN, G. Profanações. São Paulo: Boitempo, 2012.

AGAMBEN, G. Notas sobre o gesto. Artefilosofia, n. 4, p. 9-14, 2008. Disponível em: <https://bit.ly/3OAPtek>. Acesso em: 07 out. 2022.

AMÉRICA ARMADA. Direção: Alice Lanari; Pedro Asbeg. Produção: Carolina Dias; Tereza Alvarez: Palmares Produções; Gaivota Estúdio, 2018. (78 min), son., color., digital.

A NOSSA BANDEIRA JAMAIS SERÁ VERMELHA. Direção e produção: Pablo Guelli: Salamanca, 2019. (72 min), son., color., digital.

AUMONT, J. El rostro en el cine. Barcelona: Ediciones Paidós Ibérica, 1998.

BENTES, I. A câmera de combate e o animal paranoide. In: Catálogo do 17º Festival do Filme Documentário e Etnográfico (forumdoc.bh). Belo Horizonte, 2013. p. 302-319. Disponível em: <https://bit.ly/44GHLoq>. Acesso em: 04 ago. 2022.

BRAIGHI; A.; C MARA, M. O que é midiativismo? Uma proposta conceitual. In: BRAIGHI, A.; LESSA, C.; C MARA, M. (Orgs.). Interfaces do midiativismo: do conceito à prática. Belo Horizonte: CEFET-MG, 2018, p. 25-42.

DERRIDA, J. Memórias de cego: o autorretrato e outras ruínas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2010.

DIDI-HUBERMAN, G. A imagem sobrevivente: história da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.

DIDI-HUBERMAN, G. Remontagens do tempo sofrido: o olho da história II. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2018.

DIDI-HUBERMAN, G. Quando as imagens tomam posição: o olho da história I. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2021.

ESPERO TUA (RE)VOLTA. Direção: Eliza Capai. Produção: Mariana Genescá: Globo Filmes; TVa2, 2019 (90 min), son., color., digital.

GAGNEBIN, J. Lembrar, escrever, esquecer. São Paulo: Editora 34, 2006.

GAGNEBIN, J. Limiar, aura, rememoração. São Paulo: Editora 34, 2014.

GUGLIELMUCCI, A.; SUÁREZ, A. La desaparición forzada en la escena pública colombiana: movilización social y estrategias de visibilización. Revista Interdisciplinaria de Estudios sobre Memoria, v. 3, n. 6. p. 28-55, 2016. Disponível em: <https://bit.ly/3q7OCbq>. Acesso em: 09 set. 2022.

LEVANTE! Direção: Susanna Lira; Barney Lankester-Owen. Produção: Pedro Rosa: Modo Operante, Embaúba, 2014 (51 min), son., color., digital.

MBEMBE, A. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte. São Paulo: n-1 Edições, 2018.

NINEY, F. El documental y sus falsas apariencias. Cidade do México: Universidade Nacional Autônoma do México, 2015.

O QUE RESTA DE JUNHO. Direção: Carlos Leal; Diego Felipe; Vladmir Santafé. Kairós Produções; Linha de Fuga, 2016 (84 min), son., color., digital.

PINEL, V. Los géneros cinematográficos: géneros, escuelas, movimientos y corrientes del cine. Barcelona: Robinbook, 2008.

RESSURGENTES, UM FILME DE AÇÃO DIRETA. Direção e produção: Dácia Ibiapina: Trotoar Produção, 2014. (74 min), son., color., digital.

RICOEUR, P. Tempo e narrativa: a configuração do tempo na narrativa de ficção. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

RIO EM CHAMAS. Direção: Daniel Caetano; outros. Produção: Daniel Caetano e Cavi Borges: Duas Mariola, Cavídeo, Hy Brazil Filmes, Subúrbio em Transe, Linhas de Fuga, Aimara Filmes, Cinema de Guerrilha da Baixada, Gaivota Studio, Gamarosa Filmes e Inventarte Produções, 2014 (109 min), son., color., digital.

ZARZUELO, M. Cine militante y videoactivismo: los discursos audiovisuales de los movimientos sociales. I Congreso internacional de la Red Iberoamericana de Narrativas Audiovisuales. Sevilla: Universidad de Sevilla, Secretariado de Recursos Audiovisuales y Nuevas Tecnologías, p. 1122-1133, 2012. Disponível em: <https://bit.ly/44OTd1w>. Acesso em: 10 de set. de 2022.

Downloads

Publicado

2023-08-30

Como Citar

NEGRINI, M. Z. .; COUTO, G. B. .; RONNA, G. N. .; FREITAS GUTFREIND, C. . As imagens como gesto militante no filme América Armada (Alice Lanari e Pedro Asbeg, 2018). Lumina, [S. l.], v. 17, n. 2, p. 171–189, 2023. DOI: 10.34019/1981-4070.2023.v17.39143. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/39143. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos