A cientificidade nos estudos de comunicação: A virada na reflexão brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1981-4070.2021.v15.30789

Palavras-chave:

Epistemologia Nos Estudos De Comunicação, História Do Pensamento Comunicacional Brasileiro, Teorias Da Comunicação

Resumo

O artigo resume e analisa a trajetória das discussões da comunidade brasileira de pesquisadores em comunicação acerca do estatuto epistemológico de sua área de conhecimento, das origens, nos anos 1970, até o início do atual século, considerando em detalhe a contribuição de três autores: Eduardo Neiva, Tiago Quiroga e Efendy Maldonado. O estudo aponta a maneira como se passou do consenso sobre a sua interdisciplinaridade, marcante na primeira etapa, para a reivindicação de sua autonomia científica, característica do período mais recente, via o emprego dos conceitos de disciplina e transdiciplinaridade. A pesquisa é documental e a estratégia metodológica da análise recorre à reconstrução racional da argumentação encontrada nos materiais que permitiram à autoria mapear as transições epistemológicas acima indicadas. Adotando como como ponto de partida a análise do trabalho de Neiva, o texto segue detalhando as teses e os problemas das empresas de Quiroga e Maldonado. A condução do raciocínio apresenta argumentos semeadores de dúvida e, evitando externar tese própria, defende, em conclusão, que se veja com ceticismo as postulações feitas ao longo deste movimento em conjunto, a despeito delas terem esboçado escola após 2000. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Rüdiger, Pucrs/Ufrgs

Professor das Universidade Federal e Católica do Rio Grande do Sul, Doutor em Ciências Sociais (USP).

Referências

AMARAL, Márcio. Filosofia da comunicação. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.

BELTRÃO, Luiz. Fundamentos científicos da comunicação. Brasília: Thesaurus, 1973.

COELHO NETTO, Teixeira. Semiótica, informação e comunicação. São Paulo: Perspectiva, 1980.

DEACON, David et al. Researching communications. Londres: Arnold, 1999.

FRANÇA, Vera. O objeto e a pesquisa em comunicação. In: MOURA, C.; LOPES, M. I. V. (orgs.). Pesquisa em comunicação: metodologias e práticas acadêmicas. Porto Alegre: Edipucrs, 2016, p.153-174.

FRANÇA, V.; LOPES, M. I. V. Apresentação. In: LOPES, M. I. V. (org.). Epistemologia da comunicação. São Paulo: Loyola, 2003.

GOMES, Wilson. O estranho caso de certos discursos epistemológicos que visitam a área de Comunicação. In: LOPES, M. I. V. (org.): Epistemologia da comunicação. São Paulo: Loyola, 2003, p.313-330.

HEIDEGGER, Martin. Filosofia e cibernética. Pisa: ETS, 1988.

HEIDEGGER, Martin. Língua de tradição e língua técnica. Lisboa: Vega, 1995.

HOYOS-ANDRADE, Rafael. Introdução à teoria da comunicação. Assis: Unesp, 1985.

LIMA, Vinicius. Repensando as teorias da comunicação. In: MELO, J. M. (org.). Teoria e pesquisa em comunicação. São Paulo: Cortez, 1983.

LOPES, Maria I. V. Comunicação, disciplinaridade e pensamento complexo. In: ENCONTRO DA COMPÓS, 16, 2007, Curitiba. Anais [...] Curitiba: UTP, 2007. Disponível em: < http://www.compos.org.br/data/biblioteca_221.pdf>. Acesso em: 13 ago. 2021.

LOPES, Maria I. V. (org.). Epistemologia da comunicação. São Paulo: Loyola, 2003.

LOPES, Maria I. V. Pesquisa em comunicação. São Paulo: Loyola, 1990.

LYOTARD, Jean-François. O pós-moderno. Rio de Janeiro: José Olympio, 1986.

MALDONADO, Alberto E. A perspectiva transmetodológica na conjuntura de mudança civilizatória em inícios do século XXI. In: MALDONADO, A. E. et al. (org.). Perspectivas metodológicas da comunicação. João Pessoa: UFPB, 2008, p.27-54.

MALDONADO, Alberto E. Explorações sobre a problemática epistemológica no campo das ciências da comunicação. In: LOPES, M. I. V. (org.). Epistemologia da comunicação. São Paulo: Loyola, 2003, p.205-226.

MELO, José Marques de. Comunicação Social. Petrópolis: Vozes, 1970.

MOREIRA, Roberto. Teoria da comunicação. Petrópolis: Vozes, 1979.

NEIVA, Eduardo. Comunicação: teoria e prática social. São Paulo: Brasiliense, 1991.

QUIROGA, Tiago. Pensando a Episteme Comunicacional. João Pessoa: Eduepb, 2013.

POLISTCHUK, I; RAMOS TRINTA, A. Teorias da comunicação. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

SÁ, Adísia (org.). Fundamentos científicos da comunicação. Petrópolis: Vozes, 1973.

SCHRAMM, Wilbur. The challenge to communication research. In: NAZFIGER, R.; WHITE, D. (orgs.). Introduction to mass communication research. Baton Rouge: Louisiana State University Press, 1958, p. 3-31.

SODRÉ, Muniz. A ciência do comum. Petrópolis: Vozes, 2015.

SFEZ, Lucien. Critique de la communication. Paris: Seuil, 1992.

Downloads

Publicado

2021-08-30

Como Citar

RÜDIGER, F. A cientificidade nos estudos de comunicação: A virada na reflexão brasileira. Lumina, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 136–151, 2021. DOI: 10.34019/1981-4070.2021.v15.30789. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/30789. Acesso em: 27 set. 2021.