Por que a visualização de dados falha se não pensamos sobre o seu propósito

  • Alberto Cairo Universidade de Miami
Palavras-chave: visualização, codificação, dados, design

Resumo

A maioria das pessoas que cria gráficos ou mapas regularmente para apresentações de slides, artigos, documentos, relatórios e afins não aprende sobre a visualização em um ambiente formal. Elas nem mesmo entendem elementos básicos da visualização, como a codificação, a propriedade visual que muda em relação aos dados que estão sendo representados. O que realmente fazemos ao projetar uma visualização de dados são números de mapas e as propriedades dos objetos, geralmente formas geométricas. O objetivo deste artigo é apresentar exemplos de como a visualização deve guiar a escolha da codificação. Quando elaborados corretamente, gráficos e mapas facilitam o conhecimento e melhoram a compreensão do significado dos dados pelos leitores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alberto Cairo, Universidade de Miami

Titular da Cátedra Knight na Universidade de Miami, autor de How Charts Lie (W. W. Norton & Company, 2019)

Referências

GRAFF, Ryan. Por trás do mapa dialeto interativo: como um estagiário criou o
conteúdo mais popular do New York Times em 2013. Knight Lab. 20 de janeiro
de 2014. Disponível em:
https://knightlab.northwestern.edu/2014/01/20/behind-the-dialect-map-
interactive-how-an-intern-created-the-new-york-times-most-popular-piece-of-
content-in-2013. Acesso em: 21 ago. 2019.

KATZ, Josh; ANDREWS, Wilson. How Y’all, Youse and You Guys Talk. The
New York Times. 21 de dezembro de 2013. Disponível em:
https://www.nytimes.com/interactive/2014/upshot/dialect-quiz-map.html
Acesso em: 21 ago. 2019.

WILKE, Claus O.; Visualizando dados: Mapeando dados para estética. Fundamentos da visualização de dados. O'Reilly Media, Inc. Disponível em: https://serialmentor.com/dataviz/aesthetic-mapping.html Acesso em:
21 ago. 2019.

CAIRO, Alberto. The Truthful Art: Data, Charts, and Maps for Communication. New Riders, 2016. Disponível em: https://www.amazon.es/Truthful-Art-Data-Charts-Communication/dp/0321934075. Acesso em: 21 ago. 2019.

DATA@URBAN. Três maneiras de anotar seus gráficos. Medium Corporation.
17 de março de 2018. Disponível em: https://medium.com/@urban_institute/three-ways-to-annotate-your-graphs-d140e04e48ec;. Acesso em: 21 ago. 2019.

DIAKOPOULOS, Nick. Contação de histórias com visualização de dados: o
Contexto é o Rei. Nick Diakopoulos. 17 de setembro de 2013. Disponível em:
http://www.nickdiakopoulos.com/2013/09/17/storytelling-with-data-
visualization-context-is-king/. Acesso em: 21 ago. 2019.

HULLMAN, Jessica. O objetivo da visualização é visão, não imagens: Uma
entrevista com o pioneiro da visualização Ben Shneiderman. Medium
Corporation. 12 de março de 2019. Disponível em:
https://medium.com/multiple-views-visualization-research-explained/the-
purpose-of-visualization-is-insight-not-pictures-an-interview-with-visualization-pioneer-ben-beb15b2d8e9b>. Acesso em: 21 ago. 2019.

WILKE, Claus O. Fundamentals of Data Visualization. Sebastopol (CA): O'Reilly Media, Inc., 2019.
Publicado
2019-08-30
Como Citar
CAIRO, A. Por que a visualização de dados falha se não pensamos sobre o seu propósito. Lumina, v. 13, n. 2, p. 117-125, 30 ago. 2019.
Seção
Dossiê: Pesquisa em Jornalismo e Mídia nas Américas