Os novos gestos da política: sobre cidadania e formas estéticas de resistência na era digital

  • Eli Borges Junior
Palavras-chave: Gesto, Resistência, Cidadania, Estética e Política, Era Digital

Resumo

Este artigo pretende apresentar uma discussão sobre a questão do gesto, seu “lugar” e sua “natureza”, no âmbito da política contemporânea. Atravessando concepções sobre o gesto, como as de Giorgio Agamben e Georges Didi-Huberman, partimos da hipótese segundo a qual haveria uma inexorável indissociabilidade entre gesto e política: é pelo gesto, especificamente por sua possibilidade de reunir as dimensões ética e estética, que as formas de cidadania e resistência se tornam um exercício possível e efetivo. Num contexto marcado pela explosão das redes digitais, em que medida se alteram esse “lugar” e essa sua “natureza”, já que o corpo físico, fonte e “forma” primeira do gesto, sugere adquirir uma espécie outra de presença a partir dessas novas tecnologias? Isso significa perguntar: estaríamos diante de uma nova gestualidade, e, por conseguinte, de novas possibilidades de exercício da própria política?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGAMBEN, G..Mezzi senza fine:note sulla politica. Torino: Bollati Boringhieri, 1996.
AGAMBEN, G..Notas sobre o gesto.Tradução de Vinícius Nicastro Honesko. Artefilosofia, Ouro Preto, n. 4, p. 09-14, jan. 2008.
ARENDT, H..Entre o passado e o futuro [1961]. Tradução de Mauro W. Barbosa. 7 ed. São Paulo: Perspectiva: 2014.
BENJAMIN, W.. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica [1936]. Segunda versão. Apresentação, tradução e notas de Francisco De Ambrosis Pinheiro Machado. Porto Alegre: Zouk, 2014.
BENJAMIN, W..A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica [1936]. Organização e prefácio de Márcio Seligmann-Silva. Tradução de Gabriel Valladão Silva. Porto Alegre: L&PM, 2017.
BORGES JUNIOR, E..Forma espetacular e imagem bipolar: reflexões sobre abstração e concretude na fruição da imagem midiática contemporânea. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 39, São Paulo, 2016. São Paulo: Intercom, 2016. Disponível em: . Acesso em: dia mês ano.
BORGES JUNIOR, E.. Sobre a ação nas redes digitais: da ação transitiva ao ato conectivo. In: DI FELICE, M.; PEREIRA, E.; ROZA, E. Net-ativismo: redes digitais e novas práticas de participação. Campinas: Papirus, 2017.
BORGES JUNIOR, E..Tecnodionysos: tecnologias digitais e ação em rede na cena contemporânea. 2014. 388f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.
BUCK-MORSS, S.. Estética e anestética: uma reconsideração de A obra de arte de Walter Benjamin. In: BENJAMIN, W. et al. Benjamin e a obra de arte: técnica, imagem, percepção. Trad. Marijane Lisboa e Vera Ribeiro. Organização de Tadeu Capistrano. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.
BUTLER, J. Levante. In: DIDI-HUBERMAN, G. (org.). Levantes. Tradução de Edgard de Assis Carvalho, Eric R. R. Heneault, Jorge Bastos, Mariza Perassi Bosco. São Paulo: Edições Sesc, 2017.
CASTELLS, M..Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da Internet. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.
COUCHOT, E..Des images, du temps et des machines dans les arts et la communication.Paris: Actes Sud, 2007.
DEBORD, G..La société du spectacle [1967]. Paris: Gallimard, 1996.
DI FELICE, M..Paisagens pós-urbanas: o fim da experiência urbana e as formas comunicativas do habitar. São Paulo: Annablume, 2009.
DI FELICE, M..Net-ativismo: da ação social ao ato comunicativo. Tradução de Eli Borges Junior. São Paulo: Paulus, 2017.
DIDI-HUBERMAN, G..A imagem sobrevivente: história da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Tradução de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto: 2013.
DIDI-HUBERMAN, G.. Através dos desejos: fragmentos sobre o que nos subleva. In: DIDI-HUBERMAN, G. (org.). Levantes. Tradução de Edgard de Assis Carvalho, Eric R. R. Heneault, Jorge Bastos, Mariza Perassi Bosco. São Paulo: Edições Sesc, 2017.
DOMINGUES, D.. Criação e interatividade na ciberarte. São Paulo: Experimento, 2002.
FOUCAULT, M..Microfísica do poder [1979]. Organização, introdução e revisão técnica de Roberto Machado. São Paulo: Graal, 2003.
HABERMAS, J..The Theory of Communicative Action: Reason and the Rationalization of society. Tradução de Thomas McCarthy. Boston: Beacon Press, 1981.
HUSSERL, E..Meditações Cartesianas e Conferências de Paris [1931]. Tradução de Pedro M. S. Alves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013.
LIPOVETSKY, G.; SERROY, J..A estetização do mundo: viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.
NASCIMENTO, M. M..Opinião pública & revolução: aspectos do discurso político na França revolucionária. São Paulo: EDUSP, 1989.
NIETZSCHE, F..O nascimento da tragédia ou Helenismo e Pessimismo [1872]. Tradução de Jacó Guinsburg. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
PARSONS, T..The Structure of Social Action: a Study in Social Theory with Special Reference to a Group of Recent European Writers. 2. ed. Glencoe: The Free Press, 1949.
RANCIÈRE, J..Partage du sensible.Paris: La Fabrique, 2000.
SANTAELLA, L..Corpo e comunicação:sintoma da cultura. São Paulo: Paulus, 2004.
SANTAELLA, L.. Culturas e artes do pós-humano.São Paulo: Paulus, 2003.
WEBER, M. Wirtschaft und Gesellschaft: Grundriß der Verstehenden Soziologie. Besorgt von Johannes Winckelmann. 5., rev. Aufl., Studienausg. Tübingen: Mohr, 1980.
Publicado
2018-12-30
Como Citar
BORGES JUNIOR, E. Os novos gestos da política: sobre cidadania e formas estéticas de resistência na era digital. Lumina, v. 12, n. 3, p. 74-92, 30 dez. 2018.
Seção
Dossiê: A cidadania digital, o net-ativismo e o protagonismo dos não humanos: a comunidade que vem