Crítica das representações sociais de ruralidade em Globo Rural revista

Palavras-chave: jornalismo, representações sociais, Globo Rural

Resumo

Esta pesquisa tem como objeto de estudo as representações sociais da ruralidade brasileira na revista Globo Rural. Com base na teoria de Serge Moscovici, discute-se a dimensão simbólica dos textos noticiosos, tomando tais textos como representações sociais da realidade . O objeto empírico compõe-se de 491 notícias e reportagens publicadas na revista entre 1985 e 2015.  Os objetivos são identificar, descrever e criticar as representações sociais da ruralidade brasileira nas notícias e reportagens que compõem o corpus e examinar as transformações nas representações identificadas e descritas, verificando alterações, permanências ou exclusões nestas ou destas construções simbólicas no intervalo de três décadas. O percurso metodológico subdivide-se nas análises descritiva e interpretativa. Na descrição, os textos são trabalhados nos eixos temáticos econômico-produtivo, técnico-científico, sociocultural e natural-sustentável, observando-se a predominância de pautas econômico-produtivas e técnico-científicas em comparação com as socioculturais e natural-sustentáveis. Na interpretação, retoma-se o referencial teórico para compreender as representações da ruralidade brasileira na revista, identificando-se e examinando-se representações sociais da ruralidade com ancoragem técnica (orientada pelo princípio do trabalho), a ruralidade com ancoragem sociocultural (voltada para a dimensão social e cultural do rural), a ruralidade com ancoragem na natureza (identificada com a imagem intocada da biodiversidade) e no movimento descrito na Sociologia como “nova ruralidade” (vinculada à sustentabilidade).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isadora Moreira Ribeiro, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Gislene da Silva, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora do Departamento de Jornalismo e do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com pós-doutorado na ECA/USP (2009) e Universidad Complutense de Madrid (2016). Líder do Grupo de Pesquisa Crítica de Mídia e Práticas Culturais. Bolsista PQ / CNPq.

Referências

ALSINA, Miquel Rodrigo. La construcción de la noticia. Buenos Aires: Paidós, 1989.

CARNEIRO, Maria José. Do “rural” como categoria de pensamento e como categoria analítica. In: CARNEIRO, Maria José (Org.). Ruralidades contemporâneas: modos de viver e pensar o rural na sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2012, p. 23-50.

FRANÇA, Vera. Jornalismo e vida social: a história amena de um jornal mineiro. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

_______. Representações, mediações e práticas comunicativas. In: PEREIRA, Miguel; GOMES, Renato Cordeiro; FIGUEIREDO, Vera Lúcia Follain de (Orgs.). Comunicação, representação e práticas sociais. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; Aparecida, SP: Ideias & Letras 2004, p. 13-26.

JODELET, Denise. Loucuras e representações sociais. Petrópolis: Vozes, 2005.

_______. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, Denise. As representações sociais. Rio de Janeiro: Ed. Uerj, 2001, p. 17-44.

MAIA, Flávia Dourado. O jornalismo entre o efêmero e o eterno: imaginário e natureza na Globo Rural (1985-2010). 2011. 171 p. Dissertação (Mestrado em Jornalismo) – Programa de Pós-Graduação em Jornalismo, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis – SC.

MARTINS, José de Souza. As coisas no lugar: da ambiguidade à dualidade na reflexão sociológica sobre a relação campo-cidade. In: MARTINS, José de Souza (Org.). Introdução crítica à sociologia rural. São Paulo: Hucitec, 1986, p. 11-38.

MOSCOVICI, Serge. A representação social da psicanálise. Rio de

Janeiro: Zahar, 1978.

_______. Das representações coletivas às representações sociais: elementos para uma história. In: JODELET, Denise (org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: Ed. Uerj, 2001, p. 45-66.

_______. El psicoanálisis en la prensa francesa: análisis del contenido y de los sistemas de comunicación. In:MOSCOVICI, Serge. El psicoanálisis, su imagen y su público. Buenos Aires: Editora Huemul, 1979, p. 207-363.

_______. Notes towards a description of social representations.In: European Journal of Social Psychology. Vol. 18, 1988, p. 211-250.

_______. Representações sociais: investigação em psicologia social. 6ª ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

MOSCOVICI, Serge; VIGNAUX, Georges. O conceito de themata. In: MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigação em psicologia social. 6ª ed. Petrópolis: Vozes, 2009, p. 215-250.

SACHS, Ignacy. Prefácio. In: VEIGA, José Eli da.Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Garamond, 2010, p. 9 - 11.

SILVA, Gislene. Imaginário coletivo: estudos do sensível na Teoria do Jornalismo. In: Revista Famecos. Porto Alegre, v. 17, n. 3, p. 244-252, setembro/dezembro 2010.

_______. O sonho da casa no campo: jornalismo e imaginário de leitores urbanos. Florianópolis: Insular, 2009.

VEIGA, José Eli da. Nascimento de outra ruralidade. Estudos Avançados. V. 20, nº 57, São Paulo, 2006, p. 333-353.

WANDERLEY, Maria de Nazareth Baudel. A emergência de uma nova ruralidade nas sociedades modernas avançadas – o “rural” como espaço singular e ator coletivo. Estudos Sociedade e Agricultura. Rio de Janeiro, N. 15, outubro 2000, p. 87-145.

Publicado
2019-08-30
Como Citar
RIBEIRO, I. M.; SILVA, G. DA. Crítica das representações sociais de ruralidade em Globo Rural revista. Lumina, v. 13, n. 2, p. 157-174, 30 ago. 2019.