Jornalismo-Espectáculo e Dramaturgia Política

Autores

  • Hélder Prior Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília; Laboratório de Comunicação Online da Universidade da Beira Interior; Observatorio Iberoamericano de la Comunicación da Universidade Autónoma de Barcelona

Palavras-chave:

Jornalismo-espectáculo, Dramaturgia, Spinning, Conflito

Resumo

Apesar de nem todas as actividades da política se desenvolverem como eventos espectaculares, a metáfora do teatro permite-nos descrever, de maneira figurada, as actividades relacionadas com a administração da visibilidade pública dos actores políticos, assim como as situações artisticamente elaboradas pelo campo mediático. Efectivamente, os agentes do campo dos media necessitam de adaptar os seus produtos à lógica da indústria do entretenimento, exibindo produtos mediáticos que mais do que informar, procuram seduzir e entreter. Com efeito, na presente investigação procuraremos sublinhar o modo como as “estórias” jornalísticas evocam um espectáculo que é uma construção narrativa dos acontecimentos da política. Falamos de técnicas que produzem e orientam os acontecimentos políticos mediante uma construção, uma interpretação que reflecte dimensões emocionais, cognitivas, sensoriais e linguísticas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hélder Prior, Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília; Laboratório de Comunicação Online da Universidade da Beira Interior; Observatorio Iberoamericano de la Comunicación da Universidade Autónoma de Barcelona

Doutor Europeu em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior (UBI), e Licenciado em Ciências da Comunicação - Jornalismo - pela mesma instituição. Investigador de Pós-Doutoramento na Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília (PNPD-CAPES). Investigador Integrado do LabCom e investigador colaborador do Observatorio Iberoamericano de la Comunicación da Universidade Autónoma de Barcelona, onde realizou períodos de investigação de doutoramento entre 2008 e 2012. Membro da junta directiva da Asociación Latinoamericana de Investigadores en Campañas Electorales e editor da Revista Comunicando (SOPCOM).

Referências

Aira, T. (2009). Los Spin Doctors, Barcelona, Editorial UOC.

Arendt, H. (2001). A Condição Humana, Lisboa, Relógio D’Água.

Balandier, G. (1992). Le Pouvoir sur scènes, Paris, Éditions Balland.

Bobbio, N. (2003). O Filósofo e a Política, ‘Antologia’, Rio de Janeiro, Contraponto Editora.

Boorstin, D. (1992). The Image: a Guide to pseudo-events in America, New York, Vintage Books.

Debord, G. (1992). La Société du Spectacle, Paris, Gallimard.

Eco, U. (1973). Apocalípticos e integrados ante la cultura de masas, Barcelona, Lumen.

Edelman, M (1988). Constructing the Political Spectacle, Chicago, Chicago University Press.

Ferry, J.M. (1993). “Las Transformaciones de la publicidad política” In El Nuevo Espacio Público, Barcelona, Editorial Gedisa.

Goffman, E. (1993). A Apresentação do Eu na Vida de Todos os Dias, Lisboa, Relógio D’Água Editores.

Gomes, W. (2011). Transformações da política na era da comunicação de massa, São Paulo, Paulus.

Habermas, J. (2006). Historia y crítica de la opinión pública; La transformación estructural de la vida pública, Barcelona, Gustavo Gili.

Lakoff, G.; Johnson, M. (1983). Les métaphores dans la vie quotidienne, Paris, Éd. de Minuit.

Lits, Marc. (2008) Du récit au récit médiatique, Bruxelles, Éditions de Boeck.

Lilleker, D. G.; Negrine, R. (2002). “Professionalization: Of What? Since When? By Whom?” in Harvard International Journal of Press/Politics, Sage Publications. Disponível em http://www2.le.ac.uk/departments/media/dl/documents-and-pdfs/course-readers/pcom/professionalisationofwhat.pdf

Lippmann, W. (s/d). La opinión pública, Madrid: Editorial C. de Langre.

Lipovetsky, G. (2010). A Felicidade Paradoxal; Ensaio sobre a Sociedade do Hiperconsumo, Lisboa. Edições 70.

Maquiavel, N. (2007). O Príncipe, Lisboa, Guimarães Editores.

Motta, L. G. (2007). Enquadramentos lúdico-dramáticos no jornalismo, Intexto, v. 2, nº. 17, pp. 1-25.

Negrine, R; Mancini, P; Bacha, C. H; Papathanassopoulos, S. (2007). The Professionalisation of Political Communication, Chicago, Intellect.

Prior, H. (2011). Publicidade política e estratégias de representação: a visibilidade pública como “armadilha”, Revista Contemporânea: Comunicação e Cultura, V. 9, nº. 3, pp. 405-416.

Prior, H. (2012). “Spin doctors: de la política mediática a la política del negativo en las campañas electorales”, In Comunicación Política y Campañas Electorales en América Latina, Buenos Aires, Biblos.

Prior, H. (2014). La Espectacularización de la Política, Mas Poder Local Magazine, nº. 20.

Santos, J. (2012). Media e Poder: O Poder Mediático e a Erosão da Democracia Representativa, Lisboa, Vega.

Schmitt, C. (2008). Los fundamentos histórico-espirituales del parlamentarismo en su situación actual, Madrid, Tecnos.

Schwartzenberg, R.-G. (1977). L’État Spectacle, Le Star System en politique, Paris, Flammarion.

Thompson, J. B. (2001). El escândalo político, Poder y Visibilidad en la era de los medios de comunicación, Barcelona, Paidós.

Thompson, J. B. (1995). Media and Modernity, A Social Theory of The Media, Cambridge. Polity Press.

Tuchman, G. (1999). “Contando estórias”, in Traquina, N. (org), Jornalismo: Questões, Teorias e “Estórias”, Lisboa, Vega.

Vattimo, G. (1992). A Sociedade Transparente, Lisboa, Relógio D’Água Editores.

Downloads

Publicado

2015-06-30

Como Citar

PRIOR, H. Jornalismo-Espectáculo e Dramaturgia Política. Lumina, [S. l.], v. 9, n. 1, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/21179. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos Internacionais