O dispositivo no cinema de horror found footage

Autores

  • Ana Maria Acker Professora na Universidade de Caxias do Sul - UCS. Doutoranda em Comunicação e Informação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS.

Palavras-chave:

comunicação, cinema, horror, dispositivo.

Resumo

O presente artigo discute algumas questões do dispositivo cinematográfico nas produções de horror found footage – filmes montados a partir de gravações supostamente encontradas. O objetivo é pensar características desse realismo simulado na tela. Autores como Jean-Louis Baudry, Ismail Xavier, André Bazin e Siegfried Kracauer fundamentam as inferências iniciais acerca desses filmes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Maria Acker, Professora na Universidade de Caxias do Sul - UCS. Doutoranda em Comunicação e Informação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS.

Professora na Universidade de Caxias do Sul - UCS. Doutoranda em Comunicação e Informação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. É mestre pela mesma instituição. Jornalista e especialista em Cinema pela Unisinos. Pesquisa cinema, audiovisual, tecnologia e comunicação.

Referências

BAUDRILLARD, Jean. Simulacros e simulação. Lisboa: Relógio D’Água, 1991.

BAUDRY, Jean-Louis. Cinema: efeitos ideológicos produzidos pelo aparelho de base. In: XAVIER, Ismail (org.). A experiência do cinema: antologia. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983. p. 383-399.

BAZIN, André. O Cinema: ensaios. São Paulo: Brasiliense, 1991.

______. Ontologia da imagem fotográfica. In: XAVIER, Ismail (org.). A experiência do cinema: antologia. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983. p. 121-128.

BELLOUR, Raymond. Entre-imagens: Foto, cinema, vídeo. Campinas: Papirus, 1997.

CÁNEPA, Laura. Medo de quê? Uma história do horror nos filmes brasileiros. 2008. 498 p. Tese de doutorado (Multimeios) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP, 2008.

CÁNEPA, Laura; FERRARAZ, Rogério. Fantasmagorias das imagens cotidianas: o estranho e a emulação do registro videográfico doméstico no cinema de horror contemporâneo. In: Visualidades hoje. BRASIL, André; MORETTIN, Eduardo; LISSOVSKY, Mauricio (Org.). Salvador: EDUFBA; Brasília: Compós, 2013. p. 79 – 99.

CAPISTRANO, Tadeu. Do terror fantasmagórico ao horror visceral: literatura, cinema e sensacionalismo. In: IX Congresso Internacional da ABRALIC, 2004, Porto Alegre. Anais eletrônicos. Disponível em: <http://www.abralic.org.br/htm/congressos/anais-eventos.htm>. Acesso: maio 2013.

CARREIRO, Rodrigo. A Câmera diegética: clareza narrativa e legibilidade documental em falsos documentários de horror. In: XXII Encontro Anual da Compós, 2013, Bahia. Anais eletrônicos. Disponível em:
< http://compos.org.br/data/biblioteca_2088.pdf>. Acesso: jun. 2013.

______. Legibilidade X verossimilhança: o som no falso documentário de horror. In: XV Encontro Internacional da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema – SOCINE, 2011, Rio de Janeiro. Anais eletrônicos. Disponível em: <http://www.socine.org.br/anais/2011/interna.asp?cod=103>. Acesso: maio 2013.

______. [Rec] e a Câmera Diegética em Falsos Found Footage de Horror. In:

XXXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Manaus, AM. Anais eletrônicos. Disponível em: <http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2013/resumos/R8-1326-1.pdf>.

FELINTO, Erick. A Imagem Espectral: Comunicação, Cinema e Fantasmagoria Tecnológica. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2008.

______. He Had no Reflection: vampirismo, percepção e as imagens técnicas. Revista Alceu - v. 10 - n.20 - p. 137-147 – Rio de Janeiro, jan./jun. 2010. Disponível em: < http://revistaalceu.com.puc-rio.br/media/Alceu20_Felinto.pdf>. Acesso: jun. 2013.

FLUSSER, Vilém. O Universo das imagens técnicas: elogio da superficialidade. São Paulo: Annablume, 2008.

KRACAUER, Siegfried. O Ornamento da massa. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

______. Theory of Film: The Redemption of Physical Reality. New Jersey: Princeton Press, 1997.

MANNONI, Laurent. A Grande arte da luz e da sombra: arqueologia do cinema. São Paulo: SENAC São Paulo, 2003.

XAVIER, Ismail. O Discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

______. O Olhar e a cena – Melodrama, Hollywood, Cinema Novo, Nelson Rodrigues. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

______(org.). A Experiência do cinema: antologia. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983.
ZRYD, Michael. Found Footage Film as Discursive Metahistory: Craig’s Baldwin’s Tribulation 99. The Moving Image. V. 3, n. 2, pp. 40-61 - University of Minessota Press, USA. Fall 2003. Disponível em: <https://wiki.brown.edu/confluence/download/attachments/74858352/ZyrdFoundFootageFilmAsDiscursiveMetahistoryCraigBaldwin'sTribulation99.pdf>. Acesso: jun. 2013.

Downloads

Publicado

2015-06-30

Como Citar

ACKER, A. M. O dispositivo no cinema de horror found footage. Lumina, [S. l.], v. 9, n. 1, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/21160. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos