v. 28 n. 1 (2022): Dossiê: História recente da política externa da América Latina: uma questão de elites?
Dossiê

A Política Externa do Regime Militar: da Ideologia ao Pragmatismo

Paulo G. Fagundes Visentini
Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Publicado 2022-07-04

Palavras-chave

  • Política Externa,
  • Regime Militar,
  • Pragmatismo autonomista

Como Citar

Fagundes Visentini, Paulo G. 2022. “A Política Externa Do Regime Militar: Da Ideologia Ao Pragmatismo”. Locus: Revista De História 28 (1):38-63. https://doi.org/10.34019/2594-8296.2022.v28.36329.

Resumo

O artigo analisa a política externa dos governos militares de Médici, Geisel e Figueiredo (1969-85), quando o regime adota uma postura pragmática e autonomista, em lugar da ênfase ideológica. Os governos Castelo Branco e Costa e Silva (1964-69) vivenciaram a dialética ruptura x continuidade, com a frustração do alinhamento ideológico com os EUA. Uma vez adotada uma política econômica desenvolvimentista, com forte apoio do Estado, a busca de autonomia diplomática se afirmou. Se o governo Geisel constitui o paradigma de tal estratégia, observa-se que ela teve início no governo anterior e, apesar das dificuldades, prosseguiu até 1985.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

  1. Barboza, Mário Gibson. Na diplomacia, o traço todo da vida. Rio de Janeiro: Ed. Record, 1992.
  2. Camargo, Sônia, José Maria Vasquez Ocampo. Autoritarismo e Democracia na Argentina e no Brasil.
  3. Uma década de política exterior (1973-1974). São Paulo: Convívio, 1988.
  4. Cardoso, Fernando Henrique. Autoritarismo e Democratização. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.
  5. Cervo, Amado, e Bueno, Clodoaldo. História da Política Externa Brasileira. Brasília: Ed. UnB, 2002.
  6. Góes, Walder. O Brasil do general Geisel. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1978.
  7. Guerreiro, Ramiro Saraiva. Lembranças de um empregado do Itamaraty. São Paulo: Siciliano, 1992.
  8. Hurrell, Andrew James. The quest for autonomy. The Evolution of Brazil’s role in the international system, 1944-1985. Brasília: FUNAG, 2013.
  9. Martins, Carlos Estevam. “A evolução da Política Externa Brasileira na década 64/74”. In: Estudos CEBRAP, n. 12, (abril-maio-junho de 1975).
  10. Ministério das Relações Exteriores (MRE). Documentos de Política Externa. Brasília: MRE, 1969/70.
  11. Ministério das Relações Exteriores (MRE). Resenha de Política Externa do Brasil. Brasília: Ministério das Relações Exteriores, 1974, n. 1.
  12. Ministério das Relações Exteriores (MRE). Resenha de Política Externa do Brasil. Brasília: Ministério das Relações Exteriores, 1980a, n. 24.
  13. Ministério das Relações Exteriores (MRE). Resenha de Política Externa do Brasil. Brasília: Ministério das Relações Exteriores, 1980b, n. 26.
  14. Moura, Gerson. Autonomia na Dependência: a política externa brasileira de 1935 a 1942. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.
  15. Pinheiro, Letícia. Foreign Policy decision-making under the Geisel government: the President, the military and the foreign ministry. London School of Economics and Political Science, 1994.
  16. Schilling, Paulo. O expansionismo brasileiro: a geopolítica do General Golbery e a diplomacia do Itamarati. São Paulo: Global, 1981.