v. 26 n. 2 (2020): Dossiê - Patrimônio e Relações Internacionais
Artigos

Disputas Historiográficas acerca do Nazismo e do Holocausto

Karl Schurster
Universidade de Pernambuco
Alana de Moraes
UFRPE
Biografia
Publicado September 10, 2020
Palavras-chave
  • Nazismo,
  • Holocausto,
  • Historiografia
Como Citar
Schurster, Karl, e Alana de Moraes Leite. 2020. “Disputas Historiográficas Acerca Do Nazismo E Do Holocausto”. Locus: Revista De História 26 (2), 386-406. https://periodicos.ufjf.br/index.php/locus/article/view/30669.

Resumo

Este artigo tem como objetivo central discutir as batalhas historiográficas que se formaram em torno do fenômeno nazista. A escrita da História da Shoah por muito foi secundarizada em prol da escrita do Nacional-socialismo; em seguida, a discussão esteve presa a esta e, por fim, chegou à independência, conquistando um lugar próprio na historiografia. Consideramos que toda a historiografia acerca do Nacional-socialismo – as discussões advindas da Escola de Frankfurt, a abordagem da Escola de Bielefeld, o debate entre intencionalistas e funcionalistas e seus desdobramentos em algumas frentes na querela dos historiadores, o revisionismo, a partir do debate realizado entre Hayden White e Carlo Ginzburg e as discussões historiográficas situadas no pós-Guerra Fria – é o que possibilita o atual estágio de desenvolvimento das pesquisas acerca da shoah. A historiografia que tem se debruçado sobre a análise da querela dos historiadores alemães aponta para a característica de que o debate não fez avançar os estudos do regime nazista em termos de conhecimento real, fazendo-se preciso atentar ao fato de que o interesse em acontecimentos cronológicos ou na história alemã não era o objetivo, ao menos para uma parte
dos historiadores, da produção que se desenvolvia. Antes disso, uma forte contribuição no sentido historiográfico pode ser notada no que concerne à relação do historiador com as suas, como queria Michel de Certeau, condições de produção. O posicionamento quanto ao contexto, à narrativa, aos limites da escrita histórica e à responsabilidade social do historiador são, indubitavelmente, avanços proporcionados pela historiografia do Nacional-socialismo.

Referências

  1. Adorno, Theodor. W. “Educação e Emancipação”. Em: Educação após Auschwitz. Trad. Wolgang Leo Maar. Rio de Janeiro: Paz e Terro, 1995.
  2. Bauer, Yehuda. Reflexiones sobre el Holocausto. Jerusalém: E.D.Z. Nativ Ediciones, 2013.
  3. Certeau, Michel de. “A operação historiográfica”. Em: A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.
  4. Chartier, Roger. “A visão do historiador modernista”. Em: Usos & abusos da História oral, org. Janaína Amado e Marieta de Moraes Ferreira. 8o Edição. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.
  5. Finchelstein, Federico. El canon del holocausto. Buenos Aires: Prometeo Libros, 2010.
  6. Fontana, Josep. A História dos Homens. Bauru, São Paulo: EDUSC, 2004.
  7. Gay, Peter. A experiência burguesa da rainha Vitória a Freud. O cultivo do ódio. V. 3. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
  8. Ginzburg, Carlo. “O extermínio dos judeus e o princípio da realidade”. Em: A história escrita: teoria e história da historiografia, org. Jurandir Malerba. São Paulo: Contexto, 2006.
  9. Goldhagen, Daniel Jonah. Os carrascos voluntários de Hitler: o povo alemão e o Holocausto. Trad. Luís Sérgio Roizman. São Paulo: Companhia das letras, 1997.
  10. Habermas, Jürgen. “Tendências apologéticas”. Trad. Márcio Suzuki. Novos Estudos, no 25 (1989).
  11. La Capra, Dominick. Historia y memoria después de Auschwitz. Buenos Aires: Prometeo, 2009.
  12. Moraes, Luiz Edmundo de Souza. Verbete: “Revisionismo negacionistas”. Em: Enciclopédia de guerras e revoluções – vol II: 1919-2045: A época dos fascismos, das ditaduras e da Segunda Guerra Mundial [1939-1945], org Francisco C. Teixeira da Sil, e et. al., 491, 1 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
  13. Napolitano, Marcos. “Os historiadores na “batalha da memória”: resistência e transição democrática no Brasil”. Em: História e memória das ditaduras do século XX, org. Samantha Viz Quadrat, Samantha e Denise Rollemberg. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015.
  14. Nolte, Ernest. “O passado que não quer passar: um discurso que pôde ser escrito, mas não proferido”. Trad. Márcio Suzuki. Novos Estudos, no 25 (1989).
  15. Paxton, Robert. A Anatomia do Fascismo. Trad. Patrícia Zimbres & Paula Zimbres. São Paulo: Paz e Terra, 2007.
  16. Schurster, Karl. Verbete: “Nazismo (historiografia)”. Em: Enciclopédia de guerras e revoluções – vol II: 1919-2045: A época dos fascismos, das ditaduras e da Segunda Guerra Mundial [1939-1945], org Francisco C. Teixeira da Sil, e et. al., 175, 1 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
  17. Schurster, Karl. Verbete: “Sonderweg (A questão do caminho único)”. Em: Enciclopédia de guerras e revoluções – vol II: 1919-2045: A época dos fascismos, das ditaduras e da Segunda Guerra Mundial [1939-1945], org Francisco C. Teixeira da Sil, e et. al., 235, 1 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
  18. Schurster, Karl. “A História do Tempo Presente, o método comparativo e o debate sobre os fascismos”. Aedos: Revista do corpo discente do PPG-História da UFRGS. Porto Alegre, v. 7, n. 16 (2015): 423-440.
  19. Schurster, Karl. O fenômeno nazi e seu impacto na historiografia do tempo presente. Rio de Janeiro: Autografia, 2016.
  20. Silva, Francisco C. Teixeira da. Verbete: “Totalitarismo (teoria e prática)”. Em: Enciclopédia de guerras e revoluções – vol II: 1919-2045: A época dos fascismos, das ditaduras e da Segunda Guerra Mundial [1939-1945], org Francisco C. Teixeira da Sil, e et. al., 259, 1 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
  21. Silva, Francisco C. Teixeira da. Verbete: “Fascismo e Ditaduras, novas abordagens”. Em: Enciclopédia de guerras e revoluções – vol II: 1919-2045: A época dos fascismos, das ditaduras e da Segunda Guerra Mundial [1939-1945], org Francisco C. Teixeira da Sil, e et. al., 95, 1 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
  22. Silva, Francisco C. Teixeira da. Verbete: “Holocausto e política”. Em: Enciclopédia de guerras e revoluções – vol II: 1919-2045: A época dos fascismos, das ditaduras e da Segunda Guerra Mundial [1939-1945], org Francisco C. Teixeira da Sil, e et. al., 121, 1 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
  23. Suzuki, Márcio. “Introdução à “querela dos historiadores””. Novos Estudos, no25 (1989).
  24. Traverso, Enzo. La historia como campo de batalla: Interpretar las violencias del siglo XX. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2012.
  25. White, Hayden. “Enredo e verdade na escrita da História”. Em: A história escrita: teoria e história da historiografia, org. Jurandir Malerba, São Paulo: Contexto, 2006.