“Requebrando os quadris”:

jazz e transgressão feminina nas revistas ilustradas cariocas da década de 1920

  • Karla Carloni Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: jazz, mulher, dança, transgressão, revistas ilustradas

Resumo

Este artigo tem por objetivo avaliar como durante a década de 1920 locais destinados à prática de danças sociais na cidade do Rio de Janeiro se transformaram em espaços de transgressão feminina. A hipótese central é de que as mulheres pertencentes às camadas médias da sociedade se apropriaram de danças executadas ao som do jazz e desenvolveram um novo léxico corporal que questionava os padrões de comportamento em um momento de transformações sociais e políticas. O gênero musical e suas danças representavam a cultura diaspórica negra e o cosmopolitismo das principais capitais ocidentais. As revistas ilustradas contêm discursos conservadores que tentavam controlar “o sexo frágil” e revelam como as jovens ao som das “músicas modernas” tomaram o espaço público buscando se libertar do controle masculino.

Biografia do Autor

Karla Carloni, Universidade Federal Fluminense

Professora do Departamento de História da Universidade Federal Fluminense. Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em História da mesma universidade. Autora de: Forças Armadas e Democracia no Brasil: o 11 de Novembro de 1955 (FAPERJ/Garamond, 2012) e Marechal Lott: a opção das esquerdas (FAPERJ/Garamond, 2014). Atualmente dedica-se a estudar a relação entre dança, corpo, gênero e política no Brasil República.

Referências

ABREU, Martha. Da senzala ao palco: canções escravas e racismo nas Américas, 1870-1930. Campinas: Unicamp, 2016.

AFFONSECA Jr., Leo de. O custo da vida na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Ministério da Fazenda/Imprensa Nacional, 1920.

ALVES, Branca Moreira. Ideologia e feminismo: a luta da mulher pelo voto no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1980.

BARROS, Orlando de. Corações de Chocolat. A história da Companhia Negra de Revistas (1926-27). Rio de Janeiro: Livre Expressão, 2005.

BERTOLLI FILHO, Claudio. História Social da Tuberculose e do Tuberculoso: 1900-1950. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2001.

BLACKING, John. Movement and Meaning: Dance in Social Anthropological. The Journal of the Society for Dance Research, vol. 1, No. 1. (Spring, 1983).

BOMENY, Helena M. Quando os números confirmam impressões: desafios na educação Brasileira. Rio de Janeiro: CPDOC, 2003.

CAPELATO, Maria Helena Rolim. A imprensa na História do Brasil. São Paulo: Contexto/EDUSP, 1988. LUSTOSA, Isabel. O nascimento da imprensa brasileira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003.

CARDOSO, Rafael. (org.). Impresso no Brasil, 1808-1930: destaques da história gráfica no acervo da Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro: Verso Brasil, 2009.

CARLONI, Karla G. Dança e identidade nacional na imprensa carioca do início do século XX: diálogos culturais e relações étnicas e de gênero. Estudos Ibero-Americanos, v. 44, Porto Alegre, 2018.

_____. Dançar na Primeira República: transgressão, modernidade e identidade nacional. In: Jorge Ferreira. (org.). O Rio de Janeiro nos jornais: ideologias, culturas políticas e conflitos sociais. Rio de Janeiro: 7 Letras/Faperj, 2017.

CARRARA, S. Estratégias anticoloniais: sífilis, raça e identidade nacional no Brasil do entre-guerras. In: HOCHMAN, G., and ARMUS, D. (orgs). Cuidar, controlar, curar: ensaios históricos sobre saúde e doença na América Latina e Caribe [online]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2004.

CARVALHO, José Murilo de. A Formação das Almas. O imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

CAULFIELD, Sueann. Em defesa da honra: moralidade, modernidade e nação no Rio de Janeiro (1918-1940). Campinas, SP: Ed. Unicamp, 2000.

CHASTEEN, John Charles. National Rhythms, African Roots. The Deep History of Latin American Popular Dance. Albuquerque: University of New Mexico Press, 2004.

COHEN, Ilka Stern. “Diversificação e segmentação dos impressos”. In: MARTINS, Ana Luiza. LUCA, Tânia Regina de. (orgs.). História da Imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012.

COLLIER, James Lincoln. Jazz: a autêntica música da América. Rio de Janeiro: Zahar, 1995.

CORTI, Berenice. Aportes para el debate sobre el jazz em América Latina: desde el Latin Jazz hacia el jazz latino americano. In: VERON, Herom, (et.al.), (eds). Enfoques interdisciplinarios sobre musicas populares em Latinoamerica: retrospectivas, perspectivas, críticas y propuestas. Actas Del X Congreso de la IASPM. Montevideo: IASPM-AL/CIAMEN (UdelaR), 2013.

CUNHA, Maria Clementina Pereira. Ecos da folia. Uma história social do carnaval carioca. São Paulo: Cia das Letras, 2001.

DANTAS, Carolina Viana. “Careta”. Disponível em: https://cpdoc.fgv.br/sites/default/files/verbetes/primeira-republica/CARETA.pdf

DANTAS, Carolina Vianna. “Fon-Fon”. Disponível em: https://cpdoc.fgv.br/sites/default/files/verbetes/primeira-republica/FON%20FON.pdf .

DANTAS, Carolina Vianna. O Brasil café com leite, mestiçagem e identidade nacional. Rio de Janeiro, Edições Casa de Rui Barbosa, 2010.

DECORET-AHIHA, Anne. Les danses exotiques en France (1880-1940). Paris: Centre National de La Danse, 2004.

DESMOND, Jane. Corporalizando a diferença: questões entre Dança e Estudos Culturais. Dança, Salvador, v. 2, n. 2, p. 93-120, jul./dez. 2013.

DOMINGUES, Petrônio. A ‘Vênus negra’: Josephine Baker e a modernidade afro-atlântica. Estudos Históricos, vol.23, n.45, Rio de Janeiro, 2010.

ELEUTÉRIO, Maria de Lurdes. “Imprensa a serviço do progresso”. In: MARTINS, Ana Luiza. LUCA, Tânia Regina de. (orgs.). História da Imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012.

FREIRE, Maria Martha Luna. Mulheres, mães e médicos: discurso maternalista no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2009.

FRITH, S. Música e identidade. In: HALL, Stuart. GAY, Paul du. (comps). Cuestiones de identidade cultural. Buenos Aires: Amarrotu, 2003.

GILL, Anton. Dance between flame. Berlin between the wars. London: Endeavour Press, 1994.

GILROY, Paul. O Atlântico Negro. Modernidade e Dupla Consciência. Rio de Janeiro: Ed.34/UCAM Centro de Estudos Afro-Asiáticos, 2002.

GOMES, Angela de Castro. A invenção do trabalhismo. Rio de Janeiro: FGV, 2005. OLIVEIRA, Lúcia Lippi. (coord.).

GOMES, Eduardo Rodrigues. WHATELY Maria Celina. Elite intelectual e debate político nos anos 1930. Rio de Janeiro:FGV; Brasília: INL, 1980.

HAHNER, June. E. A mulher brasileira e as suas lutas sociais e políticas 1850-1937. São Paulo: Brasiliense, 1981.

HANNA, Judith L.. Dança, sexo e gênero: signos de identidade, dominação, desafio e desejo. RJ: Rocco, 1999.

HOBSBAWM, Eric. A história social do Jazz. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

JACKSON, Jeffrey H. Making Jazz French: Music and Modern Life in Interwar Paris. Durham and London: Duke University Press, 2003.

JACOTOT, Sophie. Bal. In: DELPORTE, C. Mollier, J. SIRINELLI, J. (coord.). Dictionnaire d’histoire culturelle de la France contemporaine. France: Qudrige/Puf, 2010.

KARUSH, Matthew B. Blackness in Argentina: Jazz, Tango and Race before Perón. Past&Present, vol. 216, Issue 1, August 2012.

KEALIINOHOMOKU, Joan. Uma antropóloga olha o Ballet clássico como uma forma de dança étnica. In: CAMARGO, Gisele Guilhon Antunes. (org.). Antropologia da Dança I. Florianópolis: Insular, 2013.

LABRES FILHO, Jair Paulo. Que jazz é esse? As jazz-bands no Rio de Janeiro da década de 1920. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Departamento de História, 2014.

LATHAM, Angela. Flappers, Chorus Girls and Other Brazen Peformes on the American 1920’s. Hannover, NH, London: Wesleyan University Press, 2000.

LE BRETON, D. A sociologia do corpo. Petrópolis/Rio de Janeiro: Vozes, 2017.

_____. Antropologia do corpo e modernidade. Petrópolis/Rio de Janeiro: Vozes, 2013.

LEONARD, Neil. Jazz and the White Americans: the acceptance of a new art form. Chicago: University of Chicago Press, 1962; London: Jazz Book Club, 1964.

LOPES, Herculano A. Vem cá mulata!. Revista Tempo, 26 (13), jan.-jun. 2009. PEREIRA, Leonardo Affonso de M. Os anjos da meia noite: trabalhadores, lazer e direitos no Rio de Janeiro da Primeira República. Revista Tempo, 35 (19), 2013.

MALNIG, Julie. Apaches, tangos, and other indecencies. Women, dance and New York Night life of the 1910s. In:_____. (ed.). Ballroom, Boogie, Shimy Sham, Shake: a social and popular dance reader. Illinois: University of Illinois, 2009.

MARTINS, Ana Luiza. Revistas em Revista: imprensa e práticas culturais em tempos de República. São Paulo (1890-1922). São Paulo: Edusp, 2008.

MATOS, Maria Izilda. Delineando corpos: as representações do feminino e do masculino no discurso médico. In:____. SOIHET, Rachel. (orgs.). O corpo feminino em debate. São Paulo: Unesp, 2003.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, INDÚSTRIA E COMÉRCIO. Recenseamento do Brazil. Realizado em 1 de setembro de 1920. Volume V (2a Parte). Salários. Rio de Janeiro: Typ. da Estatística, 1928. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv6480.pdf.

PAULI, Elvis. PAIVA, Rodrigo Gudin. Polirritmia: conceitos e definições em diferentes contextos musicais. Revista Música Hodie, Goiânia - vol.15, n.1, 2015.

PEDRO, Joana Maria. Mulheres honestas e mulheres faladas: uma questão de classe. Florianópolis: Ed. UFSC, 1994.

PERROT, Michele. Minha história das mulheres. São Paulo: Contexto, 2007. pp. 54 e 59.

PUJOL, Sergio Alejandro. Jazz al Sur: La musica negra em la Argentina. Buenos Aires: Emecé, 1992. OLIVER, Paul. (ed.). Black Music in Britain: Essays on the Afro-Asian Contribution to Popular Music. Milton Keynes & Philadelphia: Open University Press, 1990.

RIVERA, Angel G. Quinteto. Cuerpo y cultura: Las músicas mulatas y La subversión del baile. Madrid: Iberoamericana Editorial, 2009.

ROSA, Cristina F. Brazilian Bodies and Their Choreographies of Identification: Swing Nation. New York: Palgrave Macmillan, 2015.

SANDRONI, Carlos. O Feitiço Decente: Transformações do samba no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

_____. O paradigma do tresillo. Revista Opus 8. fev. 2002.

SCHULLER, Gunter. The History of the Jazz. New York: Oxford University Press, 1968.

SCOTT, Joan. Gender: a usefull category of historical analyses. Gender and politics of history. NY, Columbia University Press, 1989.

_____. História das mulheres. In: BURKE, Peter. (org.) A escrita da história: novas perspectivas. SP: Unesp, 1992.

SEIGEL, Micol. Unevenencounters, makingraceandnation in Brazil and the United States. Durham: Duke University Press, 2009.

SOHN, Anne-Marie. Entre as duas guerras. Os papéis femininos em França e em Inglaterra. In: DUBY, Georges. PERROT, Michele. (dir.). História das Mulheres no Ocidente. Volume 5: o século XX. Porto: Edições Afrontamento, 1995.

SOIHET, Rachel. A sensualidade em festa: representações do corpo feminino nas festas populares no Rio de Janeiro na virada do século XIX para o XX. In:____ e MATOS, Maria I. de. (orgs). O corpo feminino em debate. São Paulo: Unesp, 2003.

_____. A pedagogia da conquista do espaço público pelas mulheres e a militância de Bertha Lutz. “Revista Brasileira de Educação. Set/Out/Nov/Dez 2000 nº 15.

SUQUET, Annie. L’évil des modernites. Une histoire culturelle de la danse (1870-1945). França: Centre National de La Danse, 2012.

THÉBAUD, Françoise. A Grande Guerra. O triunfo da divisão sexual. In: DUBY, Georges. PERROT, Michele. (dir.). História das Mulheres no Ocidente. Volume 5: o século XX. Porto: Edições Afrontamento, 1995.

VELLOSO, M. Narrativas da brasilidade: Paris, Rio de Janeiro e o maxixe. Escritos. Revista da Fundação Casa de Rui Barbosa, n. 2, ano 2, RJ, 2008.

VELLOSO, Monica P. A invenção de um corpo brasileiro. In: LOPES, A.H & ABREU, M. & ULHOA, M. T & _____. Música e História no longo século XIX. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2011.

_____. Modernismo no Rio de Janeiro. Turunas e quixotes. RJ: FGV, 1996.

WASHBURN, Christopher. The clave of Jazz: a Caribbean Contribution to the Rhythmic Foundation of na African-American Music. Black Music Research Journal. vol. 17, No. 1, Spring 1997.

WEEKS, Jefrey. O corpo e a sexualidade. In: LOURO, G. L. (org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

Publicado
2019-12-05
Como Citar
Carloni, K. (2019). “Requebrando os quadris”:. Locus - Revista De História, 25(2). https://doi.org/10.34019/2594-8296.2019.v25.28235