Preparação alcoólica para antissepsia cirúrgica das mãos

Série temática: Avaliação de Tecnologias em Saúde Hospitalar (ATS-H)

Autores

  • Bárbara Helena de Brito Ângelo Núcleo de Avaliação da Tecnologia em Saúde, Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares https://orcid.org/0000-0002-6432-9716
  • Érika Michelle do Nascimento Facundes Núcleo de Avaliação da Tecnologia em Saúde, Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares
  • Giselle Souza de Paiva Núcleo de Avaliação da Tecnologia em Saúde, Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares https://orcid.org/0000-0003-0089-3286
  • Kheyla Santos Nascimento Núcleo de Avaliação da Tecnologia em Saúde, Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares https://orcid.org/0000-0003-2060-0444
  • Lúcia Reis do Nascimento Núcleo de Avaliação da Tecnologia em Saúde, Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares https://orcid.org/0000-0002-9177-3628
  • Naélia Vidal de Negreiros Silva Núcleo de Avaliação da Tecnologia em Saúde, Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares
  • Nara Gualberto Cavalcanti Núcleo de Avaliação da Tecnologia em Saúde, Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares
  • Rayssa Berenguer de Araújo Cunha Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal de Pernambuco https://orcid.org/0009-0007-3160-5036

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2023.v49.43062

Palavras-chave:

Antissepsia, Desinfecção das Mãos, Infecção da Ferida Cirúrgica

Resumo

Introdução: A infecção de sítio cirúrgico é um processo infeccioso que apresenta correlação com falhas na antissepsia cirúrgica das mãos dos profissionais da equipe cirúrgica. Objetivo: Analisar o conhecimento científico a respeito da eficácia da antissepsia cirúrgica das mãos de profissionais de saúde com preparação alcoólica em comparação com a tradicional técnica de lavagem das mãos. Material e Métodos: Revisão integrativa a partir de ensaios clínicos randomizados, estudos quase-experimentais e revisões sistemáticas (com ou sem meta-análise). O processo de busca foi realizado por um pesquisador, que utilizou os seguintes descritores e termos correlatos em português e inglês: “antissepsia” OR “desinfecção das mãos” OR “higiene das mãos” AND “controle de infecções” AND “centros cirúrgicos” OR “cirurgia”. Foram consultadas as bases de dados Medical Literature Analysis and Retrievel System Online (MEDLINE/PubMed), Cochrane Database of Systematic Reviews, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs) e Base de Dados de Enfermagem (BDENF). Outras fontes consultadas foram os sites da Rede Brasileira de Avaliação Tecnologias em Saúde (Rebrats), National Institute for Clinical Excellence (Nice), UpToDate, Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos (ReBEC) e Google Acadêmico. Resultados: Os dados analisados indicaram não haver diferença estatisticamente significativa entre as taxas de infecção de sítio cirúrgico nos estudos que compararam a fricção das mãos com solução alcoólica em relação à lavagem com o comparador à base de polivinil pirrolidona iodo ou clorexidina. Conclusão: Apesar da análise dos resultados dos estudos incluídos na amostra não demonstrarem diferença estatisticamente significativa na contagem de unidades formadoras de colônias, a antissepsia cirúrgica das mãos por fricção é recomendada por apresentar fácil aplicação, menor consumo de tempo, baixos níveis de irritações cutâneas e melhor tolerância dérmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Nota técnica n° 01/2018 GVIMS/GGTES/ANVISA: orientações gerais para higiene das mãos em serviços de saúde. Brasília: Anvisa; 2018.

Organização Mundial de Saúde. Global guidelines for the prevention of surgical site infection [Internet]. Genebra: WHO; 2016 [Acesso em: 18 mar 2024]. Disponível em: https://iris.who.int/bitstream/handle/10665/277399/9789241550475-eng.pdf?sequence=1

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Critérios diagnósticos de infecções relacionadas à assistência à saúde. Brasília: Anvisa; 2017.

Pires PJS, Pereira SLS, Rocha IC, Lopes GS. Enfermagem na redução das infecções do sítio cirúrgico (ISC). Research, Society and Development. 2021; 10(15):575101523616. doi: 10.33448/rsd-v10i15.23616

Barros CSMA, Boaventura JEM, Cordeiro ALAO, Moreira BSG, Lobo JO, Pedreira LC. Infecções de sítio cirúrgico: incidência e perfil de resistência antimicrobiana em unidade de terapia intensiva. Rev Baiana Enferm. 2019; 33: e33595. doi: 10.18471/rbe.v33.33595

Gonçalves KJ, Graziano KU, Kawagoe JY. Revisão sistemática sobre antissepsia cirúrgica das mãos com preparação alcoólica em comparação aos produtos tradicionais. Rev Esc Enferm. 2012; 46(6):1484-93. doi: 10.1590/S0080-62342012000600028

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Segurança do paciente em serviços de saúde: higienização das mãos. Brasília: Anvisa; 2009.

Souza MNA, Bezerra ALD, Egypto IAS. Navigating the path of knowledge: the integrative review methodfor analysis ans synthesis of scientific literature. Revista Observatório de la Economia Latinoamericana. 2023: 21(10):18448-83. doi: 10.55905/oelv21n10-212

Larson EL, Aiello AE, Heilman JM, Lyle CT, Ckonqoist A, Stahl JB, Della-Latta P. Comparison of different regimens for surgical hand preparation. AORN JOURNAL; 2001: 73(2):412-32. doi: 10.1016/S0001-2092(06)61981-9

Parienti JJ, Thibon P, Heller R, Le Roux Y, von Theobald P, Bensadoun H, Bouvet A, Lemarchand F, Le Coutour X; Antisepsie Chirurgicale des mains Study Group. Hand-rubbing with an aqueous alcoholic solution vs traditional surgical hand-scrubbing and 30-day surgical site infection rates: a randomized equivalence study. JAMA. 2002; 288(6):722-7. doi: 10.1001/jama.288.6.722

Nthumba PM, Stepita-Poenaru E, Poenaru D, Bird P, Allegranzi B, Pittet D, Harbarth S. Cluster randomized, crossover trial of the efficacy of plain soap and water versus alcohol- based rub for surgical hand preparation in a rural hospital in Kenya. Br J Surg. 2010; 97(11):1621-8. doi: 10.1002/bjs.7213

Lai KW, Foo TL, Low W, Naidu G. Surgical hand antisepsis: a pilot study comparing povidone iodine hand scrub and alcohol-based chlorhexidine gluconate hand rub. Annals Academy of Medicine. 2012; 41(1).

Kareem SA, MahmoodAA, Hussein ZR. Alcohol based handrub versus traditional hand scrub as surgical hand disinfection in a Tertiary Eye Teaching Hospital in Iraq. J Clin Exp Ophthalmol. 2014; 5:(3). doi: 10.1109/5.771073

Tsai JC, Lin YK, Huang YJ, Loh EW, Wen HY et al. Antiseptic effect of conventional povidone-iodine scrub, chlorhexidine scrub, and waterless hand rub in a surgical room: a randomized controlled trial. Infect Control Hos Epidemiol. 2017; 38(4):417-22. doi: 10.1017/ice.2016.296

Feng W, Lin S, Huang D, Huang J, Chen L et al. Surgical hand rubbing versus surgical hand scrubbing: Systematic review and meta-analysis of efficacy. Injury. 2020; 51(6):1250-7. doi: 10.1016/j.injury.2020.03.007

Miranda VB, Campos ACV, Vieira ABR. Infecções relacionadas à assistência à saúde nos hospitais de Belém, Pará, Brasil. Revista Saúde e Ciência Online. 2020; 9(2):53-63. doi: 10.35572/rsc.v9i2.426

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Resolução-RDC n° 42, de 25 de outubro de 2010. Dispõe sobre a obrigatoriedade de disponibilização de preparação alcoólica para fricção antisséptica das mãos, pelos serviços de saúde do país e dá outras providências. Diário Oficial da União. 2010 out. 26.

Graf ME, Machado A, Mensor LL, Zampieri D, Campos R, Faham L. Antissepsia cirúrgica das mãos com preparações alcóolicas: custo-efetividade, adesão de profissionais e benefícios ecológicos no cenário de saúde. J Bras Econ Saúde. 2014; 6(2):71-80.

Downloads

Publicado

2024-03-22

Como Citar

1.
de Brito Ângelo BH, Facundes Érika M do N, Paiva GS de, Nascimento KS, Nascimento LR do, Silva NV de N, Cavalcanti NG, Cunha RB de A. Preparação alcoólica para antissepsia cirúrgica das mãos : Série temática: Avaliação de Tecnologias em Saúde Hospitalar (ATS-H). HU Rev [Internet]. 22º de março de 2024 [citado 18º de julho de 2024];49:1-9. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/43062

Edição

Seção

Artigos de Revisão da Literatura