Perfil de morbimortalidade por câncer de boca e orofaringe em Montes Claros – MG no período de 2008 a 2018

Autores

  • Jaqueline Teixeira Teles Gonçalves Universidade Estadual de Montes Claros https://orcid.org/0000-0002-8578-4857
  • Kássia Héllen Vieira Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna (FASI) https://orcid.org/0000-0002-9272-4131
  • Camila Teles Gonçalves Hospital Federal de Bonsucesso
  • Renata Ferreira Santana Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Mateus Augusto de Prince Faculdades Unidas do Norte de Minas
  • Yan Lucas Martins Silva Faculdades Unidas do Norte de Minas https://orcid.org/0000-0002-1275-7284
  • Michelle Aparecida Ribeiro Borges Universidade Estadual de Montes Claros
  • Karina Andrade de Prince Universidade Estadual de São Paulo https://orcid.org/0000-0001-8231-852X

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2024.v50.40567

Palavras-chave:

Neoplasias Bucais, Mortalidade, Neoplasias Faríngeas, Epidemiologia, Sistemas de Informação em Saúde

Resumo

Introdução: Neoplasias malignas que afetam a cavidade oral e a orofaringe representam um problema de saúde pública. Sua incidência e prevalência é alta sendo consideradas de elevada mortalidade, podendo variar de região para região do Brasil. Objetivo: Caracterizar o índice de internações e óbitos por câncer de boca e orofaringe no município de Montes Claros (MG) entre 2008 e 2018. Material e Métodos: Estudo retrospectivo, transversal, de delineamento quantitativo. O universo da pesquisa foi a base de dados do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde referente à taxa de internações e óbitos por câncer de boca e orofaringe no município de Montes Claros, no período de 2008 a 2018. Resultados: Foram registrados 2.460 casos de internações e uma média de 224 por ano. Houve predomínio do sexo masculino (76,1%), entre a faixa etária de 50 a 69 anos (55,9%), pardos (76,9%), internados em caráter de urgência (65,1%), em regime privado (68,7%), com média de permanência maior no regime público (11,4 dias). O setor privado é responsável por maior parte dos gastos: 5,54 milhões de reais (55,5%). A taxa média de mortalidade por câncer de boca e orofaringe foi de 7,85%, sendo que foi maior no sexo masculino, mais expressiva em pacientes com idade 0 a 9 anos (16,67%) e acima dos 80 anos (13,48%). Conclusão: Ao avaliar, as taxas de internações e óbitos por câncer de boca e orofaringe no município de Montes Claros (MG) no período analisado, verificou-se que o público masculino é o mais atingido, tanto em termos de diagnóstico deste tipo de condição clínica quanto em taxas de internação e mortalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Perea LME, Peres MA, Boing AF, Antunes JLF. Tendência de mortalidade por câncer de boca e faringe no Brasil no período 2002-2013. Rev Saúde Pública. 2018; 52(10):1-10. doi: 10.11606/S1518-8787.20180520002518

Instituto Nacional de Câncer (BR). Tipos de câncer: câncer de boca [Internet]. 2022 [citado 2022 mar. 13]. Disponível em: https://www.gov.br/inca/pt-br/assuntos/cancer/tipos/boca.

Bray F, Ferlay J, Soerjomataram I, Siegel RL, Torre LA, Jemal A. Global cancerstatistics 2018: GLOBOCAN estimates of incidence and mortality worldwide for 36 cancers in 185 countries. CA Cancer J Clin. 2018; 68:394-424. doi: 10.3322/caac.21492

Prado NS, Bonan RF, Leonel AC, Castro UF, Carvalho EJ, Silveira FM et al. Awareness on oral cancer among patients attending dental school clinics in Brazil. Med Oral Patol Oral Cir Bucal. 2020; 25:e89-95. doi: 10.4317/medoral.23207

Instituto Nacional de Câncer (BR). Estimativa 2023: incidência de câncer no Brasil [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2022 [citado em 2023 ago. 08]. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files/media/document/estimativa-2023.pdf.

Santos MO, Lima FCS, Martins LFL, Oliveira JFP, Almeida LM, Cancela MC. Estimativa de incidência de câncer no Brasil, 2023-2025. Rev Bras Cancerol. 2023; 69(1):e-213700. doi: 10.32635/2176-9745.RBC.2023v69n1.3700

Silva DH, Silva AL, Orozco DLB, Gonçalves KG, Gonçalves MMR, Valente RL, Godoy IMM, Mendonça MHR. Tendência da mortalidade por neoplasia maligna bucal e os fatores de riscos predispostos à população brasileira. Res Soc Dev. 2022; 11(3):e55511326956. doi: 10.33448/rsd-v11i3.26956

Moro JS, Maroneze MC, Ardenghi TM, Barin LM, Danesi CC. Oral and oropharyngeal cancer: epidemiology and survival analysis. Einstein. 2018; 16(2):eAO4248. doi: 10.1590/S1679-45082018AO4248

Shin JY, Yoon JK, Shin AK, Diaz AZ. The influence of insurance status on treatment and outcomes in oral cavity cancer: an analysis on 46,373 patients. Int J Oral Maxillofac Surg. 2018; 47(10):1250-7. doi: 10.1016/j.ijom.2018.03.022

Atty ATM, Guimarães RM, Andrade CLT. Tendência temporal da mortalidade por câncer de boca e da cobertura de atenção primária no estado do Rio de Janeiro. Rev Bras Cancerol. 2022; 68(3):e-042082. doi: 10.32635/2176-9745.RBC.2022v68n3.2082

Silva BV, Coqueiro JM. Caracterização dos casos de óbitos por neoplasias da cavidade oral no estado do Espírito Santo, Brasil. Rev Bras Pesq Saúde. 2020; 22(4):122-9. doi: 10.47456/rbps.v22i4.21801

Amaral RC, Andrade RAR, Couto GR, Herrera-Serna BY, Rezende-Silva E, Cardoso MCAC. Trends in oral cancer mortality in Brazil by region and main risk factors. Rev Bras Cancerol. 2022; 68(2):e-081877. doi: 10.32635/2176-9745.RBC.2022v68n2.1877

Almeida IFB, Almeida DB. Investimento, internações e óbitos por câncer de boca na cidade de Feira de Santana, Bahia. J Dent Public Health. 2021; 12(1):12-9. doi: 10.17267/2596-3368dentistry.v12i1.3560

Freire AR, Freire DEWG, Araújo ECF et al. Socioeconomic indicators and economic investments influence oral cancer mortality in Latin America. BMC Public Health. 2021; 21:377. doi: 10.1186/s12889-021-10419-2

Ellington TD, Henley SJ, Senkomago V, O`Neil ME, Wilson RJ, Singh S et al. Trends in incidence of cancers of the oral cavity and pharynx, United States, 2007-2016. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2020; 69(15):433-8. doi: 10.15585/mmwr.mm6915a1

Silva TLBM, Alves WA, Rosado LPL, Souza BKL, Aquino SM. Hospitalização para casos de câncer de boca e faringe no Brasil. Arq Odontol. 2020; 56:e20. doi: 10.7308/aodontol/2020.56.e20

Paula MR, Vieira LI, Lira MP, Freire GM, Moraes M. Perfil epidemiológico do carcinoma de células escamosas de cavidade oral e orofaringe diagnosticados na liga mossoroense de estudos e combate ao câncer. Rev Cien Plural. 2022; 8(1):e24820.

Oliveira DFG, Cavalcante DJA, Feitosa SG. Qualidade de vida dos pacientes com câncer oral: revisão integrativa da literatura. SANARE. 2020; 19(1):121-30.

Ministério da Saúde (BR). Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. Taxa de internações e óbitos por neoplasia maligna de cavidade oral e faringe no município de Montes Claros – MG entre 2008 e 2018 (SINAN) [Internet]. Brasília: [2023] [citado em 2023 mar. 01]. Disponível em: https://datasus.saude.gov.br/.

Cunha AR, Prass TS, Hugo FN. Mortalidade por câncer bucal e de orofaringe no Brasil, de 2000 a 2013: tendências por estratos sociodemográficos. Cien Saude Coleti 2020; 25(8):3075-86. doi: 10.1590/1413-81232020258.31282018

Monteiro CA, Cavalcante TM, Moura EC, Claro RM, Szwarcwald CL. Population-based evidence of a strong decline in the prevalence of smokers in Brazil (1989-2003). Bull World Health Organ. 2007; 85(7):527-34. doi: 10.2471/blt.06.039073

Malta DC, Oliveira TP, Luz M, Stopa SR, Silva Junior JB, Reis AAC. Smoking trend indicators in Brazilian capitals, 2006-2013. Cien Saude Colet. 2015; 20(3):631-40. doi: 10.1590/1413-81232015203.15232014

Azevedo e Silva G, Valente JG, Malta DC. Trends in smoking among the adult population in Brazilian capitals: a data analysis of telephone surveys from 2006 to 2009. Rev Bras Epidemiol. 2011; 14(Suppl 1):103-14.

Oliveira PPV, Pereira VOM, Stopa SR et al. Indicators related to smoking cessation in Brazil, National Health Survey, 2013 and 2019 editions. Indicadores referentes à cessação do comportamento de fumar no Brasil, Pesquisa Nacional de Saúde, edições 2013 e 2019. Epidemiol Serv Saúde. 2022; 31(spe1):e2021388. doi: 10.1590/SS2237-9622202200005.especial

Malta DC, Gomes CS, Andrade FMD et al. Tobacco use, cessation, secondhand smoke and exposure to media about tobacco in Brazil: results of the National Health Survey 2013 and 2019. Rev Bras Epidemiol. 2021; 24(suppl 2):e210006. doi: 10.1590/1980-549720210006.supl.2

Malta DC, Silva AG, Machado ÍE, Sá ACMGND, Santos FM dos, Prates EJS et al. Trends in smoking prevalence in all Brazilian capitals between 2006 and 2017. J Bras Pneumol. 2019; 45(5):e20180384. doi: 10.1590/1806-3713/e20180384

Freire AR, Freire DEWG, Araújo ECF, de Lucena EHG, Cavalcanti YW. Influence of public oral health services and socioeconomic indicators on the frequency of hospitalization and deaths due to oral cancer in Brazil, between 2002-2017. Int J Environ Res Public Health. 2020; 18(1):238. doi: 10.3390/ijerph18010238

Raymundo ML, Freire AR, Gomes-Freire DE, Silva RO et al. Trend of hospitalized cases of oral cancer in Brazil and its relationship with oral health coverage in public health system between 2009 and 2017. Med Oral Patol Oral Cir Bucal. 2021; 26(1):e78-e83. doi: 10.4317/medoral.24009

França MASA, Nery NG, Antunes JLF, Freire MCM. Tempo máximo para o início do tratamento do câncer de boca no Brasil após a publicação da legislação de 2012: tendência no período 2013-2019. Cad Saúde Pública. 2021; 37(10):e00293220. doi: 10.1590/0102-311X00293220

Campos Dell’Orto Z, Ribondi Marcarini GA, Ferreira Costa MV, Dias Lopes PG, Souza Queiroga A, Freitas Espeschit I. Mortalidade por câncer de boca e faringe no Brasil entre 2008 e 2019: estudo descritivo. HU Rev. 2022; 48:1-10. doi: 10.34019/1982-8047.2022.v48.37587

Faria SO, Nascimento MC, Kulcsar MA. Malignant neoplasms of the oral cavity and oropharynx treated in Brazil: what do hospital câncer records reveal? Braz J Otorhinolaryngol. 2022; 88:168-73. doi: 10.1016/j.bjorl.2020.05.019

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (BR). Universo: indicadores sociais municipais: Montes Claros – MG [Internet]. 2010 [citado em 2023 mar. 01]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/montes-claros/pesquisa/23/25124?tipo=ranking&indicador=29488

Domingos PAS, Passalacqua MLC, Oliveira ALBM. Câncer bucal: um problema de saúde pública. Rev Odontol Univ Cid São Paulo. 2014; 26:1. doi: 10.26843/ro_unicid.v26i1.285

Herrera-Serna BY, Lara-Carrillo E, Toral-Rizo VH, Amaral RC, Aguilera-Eguía RA. Relationship between the human development index and its components with oral cancer in Latin America. J Epidemiology and Global Health. 2019; 9(4):223-32. doi: 10.2991/jegh.k.191105.001

Miranda CDC, Peres MA. Determinantes da utilização de serviços odontológicos entre adultos: um estudo de base populacional em Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Cad Saúde Pública. 2013; 29:11. doi: 10.1590/0102-311x00139912

Zhang LW, Li J, Cong X, Hu XS, Li D, Wu LL et al. Incidence and mortality trends in oral and oropharyngeal cancers in China, 2005-2013. Cancer Epidemiology. 2018; 57. doi: 10.1016/j.canep.2018.10.014

Candia J, Fernández A, Somarriva C, Horna-Campos O. Mortalidad por câncer oral em Chile, 2002-2012. Rev Méd Chile. 2018; 146:4. doi: 10.4067/s0034-98872018000400487

Bonfante GMS, Machado CJ, Souza PEA, Andrade EIG, Acurcio FA, Cherchiglia ML. Sobrevida de cinco anos e fatores associados ao câncer de boca para pacientes em tratamento oncológico ambulatorial pelo Sistema Único de Saúde, Brasil. Cad Saúde Pública. 2014; 30(5):983-97. doi: 10.1590/0102-311X00182712

Santos BP, Tolentino EM, Nobre FRL, Borges RD, Lancuna HC, Oliveira MVM. Internações e óbitos por neoplasia de esôfago em Montes Claros, MG. Rev Atenção à Saúde. 2017; 15(51):57-61. doi: 10.13037/ras.vol15n51.4273

Felippu AWD, Freire EC, Silva RA, Guimarães AV, Dedivitis RA. Impact of delay in the diagnosis and treatment of head and neck cancer. Braz J Otorhinolaryngology. 2016; 82(2):140-3. doi: 10.1016/j.bjorl.2015.10.009

Kfouri SA, Eluf Neto J, Koifman S, Curado MP, Menezes A et al. Fraction of head and neck cancer attributable to tobacco and alcohol in cities of three Brazilian regions. Rev Bras Epidemiol. 2018; 21:e180005. doi: 10.1590/1980-549720180005

Dantas TS, Silva PGB, Sousa EF, Cunha MP, Aguiar ASW et al. Influence of educational level, stage, and histological type on survival of oral cancer in a Brazilian population: a retrospective study of 10 years observation. Medicine. 2016; 95(3):1-10. doi: 10.1097/MD.0000000000002314

Downloads

Publicado

2024-05-09

Como Citar

1.
Gonçalves JTT, Vieira KH, Gonçalves CT, Santana RF, Prince MA de, Silva YLM, Borges MAR, Prince KA de. Perfil de morbimortalidade por câncer de boca e orofaringe em Montes Claros – MG no período de 2008 a 2018. HU Rev [Internet]. 9º de maio de 2024 [citado 20º de julho de 2024];50:1-8. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/40567

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)