Repercussões da pandemia de COVID-19 para a enfermagem: relato de experiência de uma Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica

Autores

  • Jéssica Ferreira Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais/Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (HC-UFMG/EBSERH) https://orcid.org/0000-0002-8284-7883
  • Ana Carolina Brito Matos Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais/Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (HC-UFMG/EBSERH) https://orcid.org/0000-0002-3505-1591
  • Dayana Cristina Ferreira Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais/Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (HC-UFMG/EBSERH) https://orcid.org/0000-0002-6972-8521
  • Raquel Fontes Faria Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais/Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (HC-UFMG/EBSERH) https://orcid.org/0000-0002-3810-5399
  • Tatiana Silva Tavares Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais/Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (HC-UFMG/EBSERH) https://orcid.org/0000-0002-1593-2965

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2022.v48.38688

Palavras-chave:

Condições de Trabalho, Cuidados de Enfermagem, COVID-19

Resumo

Introdução: Os profissionais de enfermagem representam a força motriz do trabalho em saúde no Brasil e no mundo. Contudo, são vastas as evidências de que condições de trabalho adversas são frequentes na rotina destes profissionais. Tais adversidades agravaram-se no contexto da pandemia de COVID-19, que demandou uma resposta rápida e efetiva do setor saúde, sustentado pela atuação dos profissionais de saúde no manejo e cuidado à nova doença. Objetivo: Relatar as condições de trabalho de profissionais de enfermagem em cuidado intensivo pediátrico e refletir sobre as repercussões da pandemia de COVID-19. Metodologia: Trata-se de um relato de experiência de enfermeiras de uma unidade de terapia intensiva pediátrica na assistência de crianças e adolescentes com suspeita ou com COVID-19 confirmado. Relato de Experiência:  As principais vulnerabilidades vivenciadas pela equipe foram: o medo de contágio por COVID-19; maior demanda de monitorização e paramentação para assistência às crianças/adolescentes em isolamento respiratório; lesões de pele e dor decorrentes do uso constante de equipamentos de proteção individual; preocupação e frustração diante da ansiedade e medo das crianças/adolescentes e seu acompanhante em isolamento no quarto privativo; aumento dos estressores no trabalho com redução das possibilidade de lazer e descanso devido ao isolamento social; e aumento da carga de trabalho devido às licenças saúde. Conclusão: Com a disseminação da COVID-19 os serviços de saúde ficaram sobrecarregados. Isso potencializou as condições adversas de trabalho já existentes e trouxe fatores estressores ainda maiores, que afetaram o ambiente laboral e trouxeram riscos biológicos adicionais para saúde dos trabalhadores da linha de frente do cuidado. Este tipo de relato pode contribuir para o desenvolvimento de estratégias que visem melhores condições de trabalho, propiciando o bem-estar dos profissionais e favorecendo a qualidade da assistência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ahonen EQ, Fujishiro K, Cunningham T, Flynn M. Work as an inclusive part of population health inequities research and prevention. Am J Public Health. 2018; 108(3):306-11. doi.org/10.2105/AJPH.2017.304214

Araújo TM, Graça CC, Araújo E. Estresse ocupacional e saúde: contribuições do modelo demanda-controle. Cienc Saúde Coletiva. 2003; 8(4):991-1003. doi.org/10.1590/S1413-81232003000400021

Santana LC, Ferreira LA, Coimbra MAR, Rezende MP, Dutra CM. Aspecto psicossocial do ambiente de trabalho de profissionais de enfermagem segundo o modelo demanda-controle. Rev Enferm UERJ. 2020; 28:e50740. doi.org/10.12957/reuerj.2020.50740

Assunção AA, Pimenta AM. Satisfação no trabalho do pessoal de enfermagem na rede pública de saúde em uma capital brasileira. Cienc Saúde Coletiva. 2019; 25(1):169-80. doi.org/10.1590/1413-81232020251.28492019

World Health Organization. State of the worldʼs nursing 2020: investing in education, jobs and leadership [Internet]. [citado em 2022 fev 10]. Geneva: WHO; 2020a. Acesso em: https://www.who.int/publications/i/item/9789240003279.

World Health Organization. State of the worldʼs nursing 2020: Brazil [Internet]. [citado em 2022 fev 10]. Washington: WHO; 2020b. Acesso em: https://apps.who.int/nhwaportal/Sown/Files?name=BRA.

Pedrosa AL, Bitencourt L, Fróes ACF, Cazumbá MLB, Campos RGB, Brito SBCS et al. Emotional, behavioral, and psychological impact of the COVID-19 pandemic. Front Psychol. 2020; 11:566212. doi.org/10.3389/fpsyg.2020.566212

Oliveira EA, Oliveira MCL, Martelli DB, Colosimo EA, Silva LR et al. COVID-19 pandemic and the answer of science: a year in review. An Acad Bras Cienc. 2021; 93(4):e20210543. doi.org/10.1590/0001-3765202120210543

Backes MTS, Higashi GDC, Damiani PR, Mendes JS, Sampaio LS et al. Working conditions of nursing professionals in coping with the Covid-19 pandemic. Rev Gaúcha Enferm. 2021; 42:e20200339. doi.org/10.1590/1983-1447.2021.20200339

Conz CA, Braga VAS, Vasconcelos R, Machado FHRS, Jesus MCP et al. Experiences of intensive care unit nurses with COVID-19 patients. Rev Esc Enferm USP. 2021; 55:e20210194. doi.org/10.1590/1980-220X-REEUSP-2021-0194

Conselho Federal de Enfermagem (BR). Pesquisa inédita traça perfil da enfermagem [Internet]. [citado em 2022 fev 12]. 2015. Acesso em: http://www.cofen.gov.br/pesquisa-inedita-traca-perfil-da-enfermagem_31258.html.

Silva LS, Machado EL, Oliveira HN, Ribeiro AP. Condições de trabalho e falta de informações sobre o impacto da COVID-19 entre trabalhadores da saúde. Rev Bras Saúde Ocup. 2020; 45:e24. doi.org/10.1590/2317-6369000014520

Botassio DC, Vaz DV. Segregação ocupacional por sexo no mercado de trabalho brasileiro: uma análise de decomposição para o período 2004-2015. Rev Bras Estud Popul. 2020; 37:1-30. doi.org/10.20947/S0102-3098a0131

Vancea M, Utzet, M. How unemployment and precarious employment affect the health of young people: A scoping study on social determinants. Scand J Public Health. 2017; 45(1):73-84. doi.org/10.1177/1403494816679555

Santana LL. Riscos psicossociais e saúde mental em ambiente hospitalar: com a voz o trabalhador [Tese]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná; 2018.

Gandra EC, Silva KL, Passos HR, Schreck RSC. Enfermagem brasileira e a pandemia de COVID-19: desigualdades em evidência. Escola Anna Nery. 2021; 25. doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2021-0058

Conselho Federal de Enfermagem (BR). Informação de profissionais de enfermagem com COVID-19 [Internet]. 2022. Acesso em: http://observatoriodaenfermagem.cofen.gov.br/.

Clementino FS, Chaves AEP, Pessoa Júnior JM, Miranda FAN, Medeiros SM et al. Nursing care provided to people with Covid-19: challenges in the performance of the COFEN/CORENS system. Texto & Contexto – Enfermagem. 2020; 29:e20200251. doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2020-0251

Santos KOB, Fernandes RCP, Almeida MMC, Miranda SS, Mise YF et al. Trabalho, saúde e vulnerabilidade na pandemia de COVID-19, Cad Saúde Pública. 2020; 36(12):e00178320. doi.org/ 10.1590/0102-311X00178320

Zhang H, Ye ZH, Tang L, Zou P, Du C, Shao J et al. Anxiety symptoms and burnout among Chinese medical staff of intensive care unit: the moderating effect of social support. BMC Psychiatry. 2020; 20(1):197. doi.org/10.1186/s12888-020-02603-2

Queiroz AM, Sousa AR, Moreira WC, Nóbrega MDPSS, Santos MB et al. The novel COVID-19: impacts on nursing professionals’ mental health?. Acta Paul Enferm. 2021;34:eAPE02523. doi.org/10.37689/acta-ape/2021AO02523

Lierchfield P, Cooper C, Hancock C, Watt P. Work and Wellbeing in the 21st Century. Int J Environ Res Public Health. 2016; 13(11):1065. doi.org/10.3390/ijerph13111065

Barreto MS, Hipolito ABL, Hipolito MAL, Lise F, Radovanovic CAT, Marcon, SS. Pandemia da COVID-19: repercussões no quotidiano da família de profissionais de saúde atuantes em unidades emergenciais. Escola Anna Nery. 2021; 25(n. spe):e20210064. doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2021-0064

Mattoso BG, Teixeira JMS, Almeida SR. Vivência profissional durante o período de pandemia no serviço de saúde mental: relato de experiência. HU Rev. 2022; 48:1-5. doi.org/10.34019/1982-8047.2022.v48.35602

Downloads

Publicado

2022-12-15

Como Citar

1.
Ferreira J, Brito Matos AC, Ferreira DC, Faria RF, Silva Tavares T. Repercussões da pandemia de COVID-19 para a enfermagem: relato de experiência de uma Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. HU Rev [Internet]. 15º de dezembro de 2022 [citado 1º de dezembro de 2023];48:1-7. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/38688

Edição

Seção

Relato de Experiência