Conhecimento da equipe de enfermagem sobre produtos para limpeza de feridas

Autores

  • Maria Girlane Sousa Albuquerque Brandão UVA https://orcid.org/0000-0002-9925-4750
  • Erisson Moura Coelho Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)
  • Thiago Moura de Araújo

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2022.v48.38363

Palavras-chave:

Ferimentos e Lesões, Cicatrização, Cuidados de Enfermagem

Resumo

Introdução: Nos cuidados de saúde às pessoas com feridas, a equipe de enfermagem deve possuir conhecimento clínico e técnico para programar as intervenções terapêuticas, principalmente no  que se refere aos produtos tópicos de limpeza. Objetivo: Identificar o conhecimento da equipe de enfermagem sobre produtos para limpeza de feridas. Materiais e Métodos: Pesquisa exploratória e quantitativa, realizada em janeiro e fevereiro de 2021, por meio da aplicação de questionários com 26 questões. Os participantes foram 102 enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, que atuavam em três unidades de saúde no estado do Ceará, Brasil. Resultados: Na análise sobre o uso da água potável houve maior percentual de erros acerca dos produtos químicos presentes na água. Apenas 24,5% dos profissionais tinham conhecimento sobre o uso da água destilada e bidestilada quando há utilização de coberturas com prata. A maioria dos profissionais (62,7%) não tinha conhecimento sobre a solução mais recomendada para limpeza de feridas. Os itens com menor percentual de acertos foram sobre a influência da clorexidina e iodopovidona na resistência bacteriana (8,82%) e finalidade do antisséptico (11,76%). No item sobre a forma spray do polihexanida, 51,9% não souberam responder. Conclusão: Identificou-se déficit de conhecimento dos profissionais da equipe de enfermagem sobre produtos tópicos de limpeza de feridas, em aspectos fundamentais no manejo de limpeza de lesões e produtos tópicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ghomi EF, Khalili S, Khorasani SN, Neisiany RE, Ramakrishna S. Wound dressings: current advances and future directions. J appl polym Sci. 2019; 47738 (2):1-12. doi: https://doi.org/10.1002/app.47738

Santos AC, Dutra RAA, Salomé GM, Ferreira LM. Construção e confiabilidade interna de um algoritmo para escolha da limpeza e terapia tópica em feridas. Rev enferm UFPE. 2018; 12(5):1250-62. doi: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v12i5a230675p1250-1262-2018

Murphy C, Atkin L, Dissemond J, Hurlow J, Tan YK, Apelqvist J et al. Defying hard-to-heal wounds with an early antibiofilm intervention strategy: 'wound hygiene'. J Wound Care. 2019; 28(12):818-22. doi: https://doi.org/10.12968/jowc.2019.28.12.818.

Lalonde D, Joukhadar N, Janis J. Simple effective ways to care for skin wounds and incisions. Plast Reconstr Surg Glob Open. 2019; 7(10):e2471. doi: https://doi.org/10.1097/GOX.0000000000002471

Prado ARA, Delphimb LM, Santana NGM. Uso da técnica limpa ou estéril em curativos. Health Sci. 2016; 18(3):217-22. doi: https://doi.org/110.17921/2447-8938.2016v18n3p217-22

Campos MGCA, Sousa ATM, Vasconcelos JMBJ, Lucena SAP, Gomes SKA. Feridas complexas e estomias: aspectos preventivos e manejo clínico. 1. ed. João Pessoa: Ideia; 2016.

Weir D, Swanson T. Ten top tips: wound cleansing. Wounds International. 2019; 10(4):8-11.

Conselho Federal de Enfermagem (BR). Resolução do COFEN n° 567/2018 [Internet]. 2018. [citado em 2021 abr 29]. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofenno-567-2018_60340.html

Conselho Regional de Enfermagem (BR). Parecer COREN/BA n° 009/2016. 2016. [citado em 2021 fev 12]. Disponível em: http://ba.corens.portalcofen.gov.br/parecer-coren-ba-n%E2%81%B0-0092016_29420.html

Oliveira FP, Oliveira BGRB, Santana RF, Silva BP, Candido JSC. Nursing interventions and outcomes classifi cations in patients with wounds: cross-mapping. Rev Gaúcha Enferm. 2016; 37(2):e55033. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1983- 1447.2016.02.55033

Agra G, Fernandes MA, Platel IC dos S, Freire MEM. Cuidados paliativos ao paciente portador de ferida neoplásica: uma revisão integrativa da literatura. Rev Bras Cancerol. 2013; 59(1):95-104. doi: https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2013v59n1.555

Prado ARA, Barreto VPM, Tonini T, Silva AS, Machado WCA. O saber do enfermeiro na indicação de coberturas no cuidado ao cliente com feridas. ESTIMA. 2016; 14(4):175-82.

Faria GBG, Prado TN, Lima LFA, Rogenski NMB, Borghardt AT, Massaroni L. Conhecimento e prática dos enfermeiros sobre o cuidado com feridas. Rev enferm UFPE on-line. 2016; 10 (12):4532-8. doi: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v10i12a11520p4532-4538-2016

Jara CP, Silva JLG, Zanchetta FC, Rojo T, Lima MHM. Biofilme e feridas crônicas: reflexões para o cuidado de enfermagem. REAID. 2019; 81(19):77-80. doi: https://doi.org/10.31011/reaid-2017-v.81-n.19-art.324

Sürme Y, Kartın PT, Çürük GN. Knowledge and practices of nurses regarding wound healing. J Perianesth Nurs. 2018; 33(4):471-8. doi: https://doi.org/10.1016/j.jopan.2016.04.143

Oliveira LSB. Os efeitos da capacitação da equipe de enfermagem sobre avaliação e cuidado de pacientes com feridas. Braz J Dev. 2020; 6(5):2525-8761. doi: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-430

Santos E, Queirós P, Cardoso D, Cunha M; Apóstolo J. A eficácia das soluções de limpeza para o tratamento de feridas: uma revisão sistemática. Rev Enfer Refer. 2016; 4(8):133-44. doi: http://dx.doi.org/10.12707/RIV16011

Nagoba BS, Suryawanshi NM, Selkar SP. Cleansing of wounds by tap water? Would it be safe to use in developing countries? Int Wound J. 2016; 13(5):1071. doi: http://dx.doi.org/10.1111/iwj.12495

Kramer A, Dissemond J, Kim S, Willy C, Mayer D, Papke R et al. Consensus on wound antisepsis: update 2018. Skin Pharmacol Physiol. 2018; 31(1):28-58. doi: http://dx.doi.org/10.1159/000481545

Kramer A, Eberlein T, Müller G, Dissemond J, Assadian O. Re-evaluation of polihexanide use in wound antisepsis in order to clarify ambiguities of two animal studies. J Wound Care. 2019; 28(4):246-55. doi: http://dx.doi.org/10.12968/jowc.2019.28.4.246

Melo MP, Oliveira JM, Maia NS. O uso do polihexametileno biguanida (phmb) como agente terapêutico na cicatrização de úlceras arteriais. Rev Eletrónica do Sim Tec. 2014; 1(5):165. doi: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7131

Olufemi OT, Adeyeye AI. Irrigation solutions in open fractures of the lower extremities: evaluation of isotonic saline and distilled water. SICOT J. 2017; 3:7. doi: http://dx.doi.org/10.1051/sicotj/2016031

Gilmartin AL, Jones VE. Challenging silver: a comparison of in vitro testing methods. Wounds International. 2018; 9(1):35-42.

Gupta V, Kakkar G, Gill AS, Gill CS, Gupta M. Comparative Study of Nanocrystalline Silver Ion Dressings with Normal Saline Dressings in Diabetic Foot Ulcers. JCDR 2018; 12(6):1-4.

Aravindakshan VN, Arun VA, Roshni TS. A comparative study on the wound healing effectiveness of with normal saline and ionized nano-crystalline silver dressing among chronic diabetic foot ulcer patients. Int Surg J. 2020; 7 (12):3935-8. doi: https://dx.doi.org/10.18203/2349-2902.isj20204931

Ferreira AM, Rigotti MA, Barcelos LS. Conhecimento e prática de enfermeiros sobre cuidados aos pacientes com feridas. Rev de Pesq: cuidado é fundamental online. 2014; 6(3):1178-90.

Ferenczy M, Bálint B, Pakai A, Pusztai D, Boncz I, Szabó L et al. Survey of nurses’ knowledge about surgical wound care and its complications and the knowledge of wound dressings. Value Health. 2017; 20(1):399-811. doi: https://doi.org/10.1016/j.jval.2017.08.1752

Welsh L. Wound care evidence, knowledge and education amongst nurses: a semi-systematic literature review. Int Wound J. 2018; 15(1):53-61. doi: https://doi.org/10.1111/iwj.12822

Santos, E. Soluções de irrigação em fraturas expostas de extremidades inferiores: avaliação de solução salina isotônica e água destilada. Rev Enfer Refer. 2017; 1(9):10.1051.

Alves FA, Morita ABPS. Uso dos antissépticos no tratamento das feridas crônicas: revisão integrativa. Rev Saúde e Biociênc. 2019; 2(1):36-57.

Sousa MBV, Bezerra AMFA, Costa CV. Assistência de enfermagem no cuidado de feridas na atenção primária em saúde: revisão integrativa. REAS. 2020; 48(48):2178-2091.

Downloads

Publicado

2022-11-21

Como Citar

1.
Albuquerque Brandão MGS, Coelho EM, Araújo TM de. Conhecimento da equipe de enfermagem sobre produtos para limpeza de feridas. hu rev [Internet]. 21º de novembro de 2022 [citado 4º de dezembro de 2022];48:1-8. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/38363

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)