Adolescência e saúde mental: a compreensão da família sobre o transtorno mental e sua influência na adesão ao tratamento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2022.v48.37239

Palavras-chave:

Adolescente, Família, Transtornos Mentais, Cooperação e Adesão ao Tratamento

Resumo

Introdução: Os adolescentes apresentam-se cada vez mais vulneráveis ao sofrimento psíquico. Contudo, observa-se que existem poucas pesquisas que abordam o público adolescente com transtornos mentais, enfatizando a família no processo de tratamento e cuidado à saúde mental. Objetivo: Identificar a compreensão da família sobre a adolescência, o transtorno mental e sua influência na adesão ao tratamento. Materiais e Metódos: Estudo exploratório, descritivo, qualitativo, desenvolvido no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi), em Belém do Pará. A coleta de dados deu-se com 5 familiares de adolescentes usuários do CAPSi, através de entrevista semiestruturada. Os dados foram discutidos baseados na Análise do Conteúdo de Bardin. Resultados e Discussão: Os resultados revelaram que as famílias acompanhadas possuíam dificuldades em compreender e lidar com a adolescência e o transtorno mental, diante de estereótipos sociais. Todavia, os participantes mostram-se dispostos em buscar ajuda nos serviços de saúde mental, para prevenir consequências, como o suicídio. Além disso, relataram aderir ao tratamento, facilitando o cuidado em saúde mental, sendo também foco de cuidado. Conclusão: Considera-se que a família possui papel essencial no cuidado em saúde mental de adolescentes, sendo sua percepção importante na adesão ao tratamento, agindo assim como efetiva rede de suporte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Rodrigues AC, Yasui S. Oficinas de geração de trabalho e renda na atenção psicossocial: reflexões sobre um equipamento e suas produções de cuidado. Cadernos brasileiros de saúde mental. 2016; 8(20):1-21.

Ramos DKR, Paiva IKS, Guimarães J. Pesquisa qualitativa no contexto da Reforma Psiquiátrica brasileira: vozes, lugares, saberes/fazeres. Ciência & Saúde Coletiva. 2019; 24(3):839-52.

Amarante P, Nunes MO. A reforma psiquiátrica no SUS e a luta por uma sociedade sem manicômios. Ciência & Saúde Coletiva. 2018; 23(6):2067-74. doi.org/10.1590/1413-81232018236.07082018.

Almeida JMC. Política de saúde mental no Brasil: o que está em jogo nas mudanças em curso. Cadernos de Saúde Pública. 2019; 35(11). doi.org/10.1590/0102-311X00129519.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria Executiva. Secretaria de Atenção à Saúde. Legislação em saúde mental: 1990-2004. 5. ed. ampl. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Morais APP, Guimarães JMX, Alves LVC, Monteiro ARM. Produção do cuidado na atenção psicossocial: visita domiciliar como tecnologia de intervenção no território. Ciências e saúde coletiva. 2021; 26(3).

ROSSI LM, MARCOLINO TQ, SPERANZA M, CID MFB. Crise e saúde mental na adolescência: a história sob a ótica de quem vive. Caderno de Saúde Pública. 2019; 35(3).

Galhardi CC, Matsukura TS. O cotidiano de adolescentes em um centro de atenção psicossocial de álcool e outras drogas: realidades e desafios. Cadernos de Saúde Pública. 2018; 34(3). doi.org/10.1590/0102-311X00150816.

Magnani RM, Staudt ACP. Estilos parentais e suicídio na adolescência: uma reflexão acerca dos fatores de proteção. Pensando famílias. 2018; 22(1):75-86.

Zappe JG, Dell’Aglio DD. Adolescência em diferentes contextos de desenvolvimento: risco e proteção em uma perspectiva longitudinal. PSICO. 2016; 47(2):99-110. doi.org/10.15448/1980-8623.2016.2.21494.

Nascimento LA, Leão A. Estigma social e estigma internalizado: a voz das pessoas com transtorno mental e os enfrentamentos necessários. História, Ciências, Saúde. 2019; 26(1):103-21. doi.org/10.1590/s0104-59702019000100007.

Ferreira TPS, Sampaio J, Oliveira IL, Gomes LB. A família no cuidado em saúde mental: desafios para a produção de vidas. Saúde Debate. 2019; 43(121):441-9. 10.1590/0103-1104201912112

Vicente JB, Marcon SS, Higarashi IH. Convivendo com o transtorno mental na infância: sentimentos e reações da família. Texto contexto Enfermagem. 2016; 25(1). doi.org/10.1590/0104-0707201600370014

Rossi LM, Cid MFB. Adolescência, saúde mental e crise: a história contada por familiares. Cadernos Brasileiro de Terapia Ocupacional. 2019; 27(4):734-42. doi.org/10.4322/2526-8910.ctoao1811

Bardin, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2009.

Bussmann CE, Pretto B. Relato de experiência: percepção acerca do significado dos cortes no corpo do adolescente. Revista Destaques Acadêmicos. 2017; 9(3):168-85. doi.org/10.22410/issn.2176-3070.v9i3a2017.1481

Silva JF, Cid MFB, Matsukura TS. Atenção psicossocial de adolescentes: a percepção de profissionais de um CAPSi. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional. 2018; 26(2):329-43. doi.org/10.4322/2526-8910.ctoAO1081.

Cicogna JIR, Hillesheim D, Hallal ALLC. Mortalidade por suicídio de adolescentes no Brasil: tendência temporal de crescimento entre 2000 e 2015. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. 2019; 68(1):1-7. 10.1590/0047-2085000000345

Almeida MHS, Mendonça ES. Um olhar à família: ressonâncias psicossociais em familiares que convivem com uma pessoa em situação de transtorno mental. Barbarói. 2017; 49:1-24. doi.org/10.17058/barbaroi.v0i49.6617.

Muhl C. O itinerário terapêutico da pessoa com transtorno mental: pontos de inflexão. Revista Nufen: Phenomenology and Interdisciplinarity. 2020; 12(3): 198-216. doi.org/10.26823/RevistadoNUFEN.vol12.nº03artigo81

Ministério da Saúde (BR). Portaria n° 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União 2011; dez 26.

Mitre ANM. A loucura em diferentes épocas: a convivência da família com o portador de transtorno mental. Mental. 2017; 11(20):4-28.

Alves ACP. Injustiça social/ocupacional: a percepção de mulheres negras [Trabalho de conclusão de curso]. Brasília: Universidade de Brasília; 2018.

Downloads

Publicado

2022-08-18

Como Citar

1.
de Souza Lopes AC, Gaspar da Silva R de C, Bergma da Silva Oliveira I, Seabra Castilho Simões SH. Adolescência e saúde mental: a compreensão da família sobre o transtorno mental e sua influência na adesão ao tratamento. hu rev [Internet]. 18º de agosto de 2022 [citado 26º de setembro de 2022];48:1-10. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/37239

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.