Oportunidades para o desenvolvimento motor presentes nas residências de escolares de 18 a 36 meses do bairro mais populoso de uma capital do Sudeste brasileiro

Autores

  • Thuany Medeiros Antunes Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro
  • Cristiane Sousa Nascimento Baez Garcia Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro https://orcid.org/0000-0003-1866-6460
  • Elisa Beatriz Braga dell’Orto van Eyken Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro https://orcid.org/0000-0002-9718-3653

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2021.v47.35530

Palavras-chave:

Jogos e Brinquedos, Desenvolvimento Infantil, Habitação

Resumo

Introdução: Os aspectos individuais de cada criança, as tarefas que ela realiza e o ambiente no qual ela vive são determinantes para o desenvolvimento motor. Objetivo: Conhecer as oportunidades para o desenvolvimento motor presentes nas residências de crianças entre dezoito e trinta e seis meses de idade do bairro mais populoso de uma capital da região sudeste do Brasil. Material e Métodos: Estudo transversal, observacional e analítico, realizado com responsáveis legais de crianças da educação infantil pública, que responderam ao questionário Affordances in the Home Environment for Motor Development - Self Report (AHEMD – SR) na versão em português. As residências foram classificadas e a análise estatística descritiva e o teste de correlação de Pearson realizados. Resultados: A média de idade das crianças foi de 21,9 meses (DP= 3,6). Das 37 residências avaliadas, 22% tiveram uma classificação baixa para as oportunidades oferecidas, e 78,5% uma classificação média. Os espaços interno e externo das residências, na maioria, foram classificados como bons promotores e muito bons promotores de oportunidades, respectivamente. Em relação aos materiais e brinquedos para o desenvolvimento das motricidades fina e grossa, a maioria das residências não oferecia oportunidades suficientes ou oferecia poucas oportunidades. As correlações do escore total do AHEMD com as variáveis escolaridade do pai, rendimento mensal da família, número de crianças e de quartos no domicílio foram fracas e positivas e com a escolaridade da mãe e a idade das crianças, fracas e negativas. Conclusão: Os espaços internos e externos das residências são adequados, mas os brinquedos não são suficientes para o desenvolvimento das motricidades fina e grossa. O nível socioeconômico das famílias interfere nas oportunidades para o desenvolvimento motor das residências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Giordani LG, Almeida CS, Pacheco AM. Avaliação das oportunidades de desenvolvimento motor na habitação familiar de crianças entre 18 e 42 meses. Motricidade. 2013; 9(3):96-104.

Soares ES, Flores FS, Katzer JI, Valentini NC, Corazza ST, Copetti F. Análise das oportunidades de estimulação motora em ambientes domiciliares na região central do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. 2015; 29(2):279-88. http://dx.doi.org/10.1590/1807-55092015000200279

Knychala NAG, Oliveira EA, Araújo LB, Azevedo VMG. Influência do ambiente domiciliar no desenvolvimento motor de lactentes com síndrome de Down. Fisioterapia e Pesquisa. 2018; 25(2):202-8. https://doi.org/10.1590/1809-2950/17006925022018

Ferreira T, Figueiredo TC, Bickc MA, Langendorfd TF, Padoine SMM, Paula CC. Oportunidades domiciliares no desenvolvimento motor infantil: produção científica da área da saúde. Journal of Human Growth and Development. 2021; 31(1):25-144. 10.36311/jhgd. v31.10691

Defilipo EC, Magalhães EDD, Máltaro CM, Oliveira LC, Neimerck ALO. Oportunidades do ambiente domiciliar e desenvolvimento motor de lactentes no primeiro ano. Fisioterapia em Movimento. 2021; 34(e34108). 10.1590/fm.2021.34108

Pereira KRG, Saccani R, Valentini SC. Cognição e ambiente são preditores do desenvolvimento motor de bebês ao longo do tempo. Fisioterapia e Pesquisa. 2016; 23(1):59-67. https://doi.org/10.1590/1809-2950/14685223012016

Bueno EA, Castro AAC, Chiquetti EMS. Influência do ambiente domiciliar no desenvolvimento motor de lactentes nascidos pré-termo. Revista Neurociências. 2014; 22(1):45-52. https://doi.org/10.34024/rnc.2014.v22.8118

Nobre FS, Costa CL, Oliveira DL, Cabral DA, Nobre GC, Caçola P. Análise das oportunidades para o desenvolvimento motor (affordances) em ambientes domésticos no Ceará – Brasil. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano. 2009; 19(1):9-18. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12822009000100002

Pilatti I, Haas T, Sachetti A, Fontana C, Oliveira SG, Schiavinato JCC. Oportunidades para o desenvolvimento motor infantil em ambientes domésticos. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. 2011; 9(27). https://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_ciencias_saude/article/view/1335

Caçola PM, Gabbard C, Montebelo MIL, Santos DCC. Further development and validation of the Affordances in the Home Environment for Motor Development – Infant Scale (AHEMD – IS). Brazilian Journal of Physical Therapy. 2015; 19(6). https://doi.org/10.2522/ptj.20140011

Hsieh Y, Hwang A, Liao H, Chen P, Hsieh W, Chu, P. Psychometric properties of a Chinese version of the home environment measure for motor development. Disability and Rehabilitation. 2011; 33(25-26):2454-63. 10.3109/09638288.2011.574775

Project Affordances in the home environment for motor development. AHEMD Calculator. [citado em 2021 ago. 11]. Disponível em http://www.ese.ipvc.pt/dmh/AHEMD/ahemd_6.htm

Freitas TCB, Gabbard C, Caçola C, Montebelo MIL, Santos DCCl. Family socioeconomic status and the provision of motor affordances in the home. Brazilian Journal of Physical Therapy. 2013; 17(4):319-27. https://dx.doi.org/10.1590/S1413-35552012005000096

Lage JB, Nascentes GAN, Pereira K. Influência dos estímulos ambientais domiciliares na mobilidade de crianças com baixa visão: habilidade funcional e assistência do cuidador. Revista Brasileira de Oftalmologia. 2016; 75(4):290-5. 10.5935/0034-7280.20160058

Alvarenga P, Soares, ZF, Sales PKC, Anjos-Filho NC. (2020). Escolaridade materna e indicadores desenvolvimentais na criança: mediação do conhecimento materno sobre o desenvolvimento infantil. Psico. 2020; 51(1): e31622. https://doi.org/10.15448/1980-8623.2020.1.31622

Almeida TGA, Caçola PM, Gabbard C, Correr MT, Vilela Junior GB, Santos DCC. Comparações entre o desempenho motor e oportunidades de estimulação motora no ambiente domiciliar de lactentes residentes nas regiões Sudeste e Norte do Brasil. Fisioterapia e Pesquisa. 2015; 22(2):142-7. https://doi.org/10.590/1809-2950/13306322022015

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (BR). Pesquisa nacional por Amostra de Domicílios: síntese e indicadores. Rio de Janeiro: IBGE; 2015.

Valadi S, Gabbard C. The effect of affordances in the home environment on children’s fine- and gross motor skills. Early Child Development and Care. 2018. https://doi.org/10.1080/03004430.2018.1526791

Zoghi A, Gabbard C, Shojaei M, Shahshahani S. The impact of home motor affordances on motor, cognitive and social development of young children. Iran Journal of Child Neurology. 2019; 13(2):61-9. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6451863/

Nobre FSS, Pontes ALFN, Costa CLA, Caçola P, Nobre GC, Valentini NC. Affordances em ambientes domésticos e desenvolvimento motor de pré-escolares. Pensar a Prática. 2012; 15(3):652-68. https://doi.org/10.5216/rpp.v15i3.15412

Downloads

Publicado

2021-12-13

Como Citar

1.
Medeiros Antunes T, Sousa Nascimento Baez Garcia C, Braga dell’Orto van Eyken EB. Oportunidades para o desenvolvimento motor presentes nas residências de escolares de 18 a 36 meses do bairro mais populoso de uma capital do Sudeste brasileiro. hu rev [Internet]. 13º de dezembro de 2021 [citado 23º de maio de 2022];47:1-7. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/35530

Edição

Seção

Artigos Originais