Contribuição de atividades de pesquisa e extensão na formação profissional: a experiência do mercado escola

  • Mariana Amaro Ferreira Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Nutrição, Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil
  • Jéssica Almeida Silva da Costa Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Nutrição, Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil https://orcid.org/0000-0003-1555-1131
  • Camila Ferreira Carrara Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Nutrição, Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil
  • Renata Maria Souza Oliveira e Silva Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Nutrição, Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil
  • Ana Paula Carlos Cândido Mendes Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Nutrição, Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil
  • Larissa Loures Mendes Departamento de Nutrição, Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil
  • Michele Pereira Netto Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Nutrição, Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil
Palavras-chave: Aprendizagem, Ensino Superior, Universidades, Pesquisa

Resumo

Introdução: O conhecimento científico é fundamental para impulsionar o desenvolvimento da sociedade e melhorar as condições de vida da humanidade Objetivo: O presente estudo teve como objetivo analisar a contribuição de um projeto de pesquisa e extensão para a formação acadêmica dos integrantes do projeto. Material e Métodos: Estudo transversal com 55 alunos do curso de Nutrição da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), que participaram do projeto de pesquisa e extensão intitulado “Mercado Escola: ações de educação alimentar e nutricional”. Foi entregue questionário auto aplicado e anônimo composto por 04 questões e os alunos respondiam com uma das seguintes opções: discordo totalmente, discordo parcialmente, indiferente, concordo parcialmente e concordo totalmente. As variáveis foram submetidas ao teste de normalidade de Kolmogorov-Smirnov e posteriormente aos testes não paramétricos de Kruskal-Wallis ou Mann-whitney, com nível de significância de p<0.05. Resultados: A maioria dos alunos (92,72%) concordam que o projeto é uma forma de contribuição da Universidade para sua formação acadêmica. Em relação ao saber trabalhar em equipe e a ter mais segurança para lidar com o público, a maioria, (76,36% e 81,81% respectivamente) dos alunos relatou conseguir melhorar essas habilidades, concordando totalmente com a afirmativa. Grande parte dos alunos (98,18%) concordam que a participação no projeto de pesquisa e extensão foi algo importante ou muito importante para o curso de nutrição, sendo essa uma forma de contribuição da Universidade para a formação acadêmica dos alunos. Conclusão: A participação no projeto de pesquisa e extensão foi de grande importância para a formação acadêmica dos alunos, permitindo que eles conseguissem correlacionar os conhecimentos teóricos com a prática vivenciada durante a realização do projeto.

Biografia do Autor

Jéssica Almeida Silva da Costa, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Nutrição, Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil

Graduada em Nutrição pela Universidade Federal de Juiz de Fora

Mestranda em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de Juiz de Fora 

Referências

Dourado PC, Gondim SMG, Loiola E, Ferreira ASM, Alberton GD. Aprendizagem individual, suporte organizacional e desempenho percebido: um estudo com docentes universitários. Educ rev. 2018; 34:1-28.

Benetti PC, Sousa AI, Souza MHN. Creditação da extensão universitária nos cursos de graduação: relato de experiência. Rev bra ext universit. 2015; 6(1):25-32.

Cabaretta Júnior V, Brito CAF. Bases introdutórias de iniciação científica em saúde na escolha do método de pesquisa. Rev bra ciên saúde. 2011; 9(29):64-72.

Naves ET. Fazer-saber: reflexões sobre a função acadêmica da extensão universitária. Em ext. 2015; 14(1):9-29.

Oliveira FLB, Almeida Júnior JJ. Extensão universitária: contribuições na formação de discentes de enfermagem. Rev bras pesqui saúde. 2015; 17(1):19-24.

Minetto C, Botelho LLR, Braun JCA, Lima DF, Gauthier FAO, Macedo M. A extensão universitária na formação de estudantes do curso de administração – UFFS, campus Cerro Largo. Rev Conbrad. 2016; 1(1):33-46.

Moita FMGSC, Andrade FCB. Ensino-pesquisa-extensão: um exercício de indissociabilidade na pós-graduação. Rev bras educ. 2009; 14(41):269-80.

Vasconcelos FAG. A construção do conhecimento científico em alimentação e nutrição: análise das dissertações e teses nos programas de pós-graduação em nutrição brasileiros. Rev nutr. 2015; 28(1):5-16.

Amparo LS, Soares L. Desafios da produção acadêmico-científica na interface entre as ciências sociais e humanas e as ciências da alimentação e nutrição. Rev nutr. 2015; 28(1):89-98.

Dias AML. Pesquisa na graduação e na práxis docente: educação para emancipação humana. In: Bezerra TSAM, Cavalcante LM, Franco RKG, Sampaio MLP. Emancipação humana, práxis docente, trabalho e educação. Campina Grande: Realize; 2012. p. 21-35.

Manchur J, Suriane ALF, Cunha MC. A contribuição de projetos de extensão na formação profissional de graduandos de licenciaturas. Rev Conex UEPG. 2013; 9(2):334-41.

Menegon RR, Gouveia Júnior SA, Lima MRC, Lima JM. Projetos de extensão: um diferencial para o processo de formação. Colloquium Humanarum. 2013; 10:1268-74.

Figueiredo WPS, Moura NPR, Tanajura DM. Ações de pesquisa e extensão e atitudes científicas de estudantes da área da saúde. Arch Health Sci. 2016; 23(1):47-51.

Rezende JC, Alves RBS, Coutinho MS, Bragagnoli G, Araújo CRF. Importância da iniciação científica e projetos de extensão para graduação em medicina. R Bras Ci Saúde. 2013; 17(1):11-8.

Biondi D, Alves GC. A extensão universitária na formação de estudantes do curso de engenharia florestal – UFPR. Rev Eletrônica Mestr Educ Ambient. 2011; 26:1-16.

Publicado
2019-11-28
Como Citar
Amaro Ferreira, M., Almeida Silva da Costa, J., Ferreira Carrara, C., Maria Souza Oliveira e Silva, R., Carlos Cândido Mendes, A. P., Loures Mendes, L., & Pereira Netto, M. (2019). Contribuição de atividades de pesquisa e extensão na formação profissional: a experiência do mercado escola. HU Revista, 45(3), 289-294. https://doi.org/10.34019/1982-8047.2019.v45.28683