Análise do serviço de farmácia clínica em um hospital universitário

  • Lucas Taffarel Cruz Residência Integrada Multiprofissional em Atenção Hospitalar – Farmácia. Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil https://orcid.org/0000-0002-1920-8130
  • Paula do Nascimento Batista Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora – filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, Brasil
  • Igor Rosa Meurer Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora – filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, Brasil
Palavras-chave: Segurança do Paciente, Assistência Farmacêutica, Erros de Medicação

Resumo

Introdução: A segurança do paciente é um dos principais alvos de estudo na atualidade, em diversos segmentos no âmbito da saúde. Os problemas relacionados a medicamentos (PRM) se destacam entre os mais cometidos nos serviços de saúde. A atuação do farmacêutico na farmácia clínica se institui como um serviço que contribui para a otimização dos cuidados hospitalares melhorando a qualidade da farmacoterapia, minimizando os problemas relacionados aos medicamentos. Objetivo: Identificar e quantificar os PRM e as intervenções farmacêuticas encontradas no serviço de Farmácia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (HU-UFJF) e também apresentar as taxas de aceitação das intervenções farmacêuticas de acordo com a aceitabilidade da equipe de saúde. Material e Métodos: Foi feito um estudo retrospectivo observacional no HU-UFJF dos resultados obtidos pelo serviço de farmácia clínica no período de abril a outubro de 2018. Resultados: Foram avaliadas 18.795 prescrições, sendo encontrados e considerados 2.834 PRM, sendo o tipo de problema relacionado ao medicamento mais prevalente o de diluição e/ou taxa de infusão correspondendo a 28,7%. Houve uma boa aceitação por parte da equipe de saúde às intervenções propostas pelo farmacêutico. Conclusão: O serviço de farmácia clínica detectou vários problemas relacionados ao uso de medicamento, que levou a oportunidades de melhoria na farmacoterapia, contribuindo para a segurança do paciente.

Referências

Institute of Medicine. To err is [internet]. 2017. [citado em 2019 06 15] Disponível em: human. https://www.iom.edu/~/media/Files/Report%20Files/1999/To-Err-is-Human/To%20Err%20is%20Human%201999%20%20report%20brief.pdf.

Souza HWO, Silva JL, Neto MS. A importância do profissional farmacêutico no combate à automedicação no Brasil. Rev Eletrônica Farm. 2018; 5(1):67-72.

Costa, LS. Atuação do farmacêutico em unidade de terapia intensiva: impacto da farmácia clínica no acompanhamento da terapia medicamentosa [Dissertação]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas; 2014.

Raimondi DC, Berna SCZ, Matsuda LM. Cultura de segurança do paciente na ótica de trabalhadores e equipes da atenção primária. Rev Saude Publica. 2019; 53(42):1-8.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Documento de referência para o Programa Nacional de Segurança [internet]. 2014. [citado em 2019 06 28] Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/documento_referencia_programa_nacional_seguranca.pdf.

Medeiros, RDA, Moraes, JP. Intervenções farmacêuticas em prescrições médicas na unidade de terapia intensiva. Rev Bras Farm Hosp Serv Saúde. 2014; 5(2):26-9

Amaral MFSJ, Amaral R, Provin MPG. Intervenção farmacêutica no processo de cuidado farmacêutico: uma revisão. Rev Eletrônica Farm. 2008; 5(1):60-6.

World Health Organization. WHO launches global effort to halve medication-related errors in 5 years [internet]. 2017. [citado em 2019 07 03] Disponível em: https://www.who.int/news-room/detail/29-03-2017-who-launches-global-effort-to-halve-medication-related-errors-in-5-years.

Bernardi EAT, Rodrigues R, Tomporoski GG, Andrezejevski VMS. Implantação da avaliação farmacêutica da prescrição médica e as ações de farmácia clínica em um hospital oncológico do sul do Brasil. REpS. 2014; 15(2):29-36.

Miranda TMM, Petriccione S, Ferracini FT, Borges Filho WM. Interventions performed by the clinical pharmacist in the emergency department. Einstein. 2012; 10(1):74-8.

Moura SNC, Filha LMV de M, Ribeiro AC. Análise de erros nas prescrições médicas em uma unidade de pronto atendimento do município de Juiz de Fora – MG. Rev Esc Ciências Médicas Volta Redon. 2018; 2:27-35.

Franklin BD, McLeod M, Barber N. Comment on prevalence, incidence and nature of prescribing errors in hospital inpatients: a systematic review. Drug Saf. 2010; 33(2):163-5.

Lewis PJ, Dornan T, Taylor D, Tully MP, Wass V, Ashcroft DM. Prevalence, incidence and nature of prescribing errors in hospital inpatients: a systematic review. Drug Saf. 2009; 32(2007):379-89.

Conselho Federal de Farmácia (BR). Resolução nº 585, de 29 de agosto de 2013 [internet]. Regulamenta as atribuições clínicas do farmacêutico e dá outras providências. Diário Oficial da União; 2013. [citado em 2019 07 12] Disponível em: http://www.cff.org.br/userfiles/file/resolucoes/585.pdf.

Ministério da Saúde (BR). Resolução nº 338, de 06 de maio de 2013 [internet]. Aprovar a Política Nacional de Assistência Farmacêutica, estabelecida com base nos seguintes princípios. Diário Oficial da União; 2013. [citado em 2019 07 16] Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2004/res0338_06_05_2004.html.

Medeiros JAM, Melo APFM, Torres VM. Atuação do farmacêutico clínico hospitalar em pacientes oncológicos frente ao avanço na legislação brasileira. Rev Bras Educ S. 2019; 9(3):56-65.

Ferracini FT, Almeida SM, Locatelli J, Petriccione S, Haga CS. Implantação e evolução da farmácia clínica no uso racional de medicamentos em hospital terciário de grande porte. Einstein. 2011; 9(1):456-60.

Universidad de Granada (ES). Tercer Consenso de Granada sobre problemas relacionados con medicamentos (PRM) y resultados negativos asociados a la medicación (RNM). Ars Pharm. 2007; 48(1):5-7.

Reis WCT, Scopel CT, Correr CJ, Andrzejevski VMSA. Análise das intervenções de farmacêuticos clínicos em um hospital de ensino terciário do Brasil. Einstein. 2013; 11(2):190-6.

Winterstein AG, Johns TE, Rosenberg EI, Hatton RC, Gonzalez-Rothi R, Kanjanarat P. Nature and causes of clinically significant medication errors in a tertiary care hospital. Am J Health Syst Pharm. 2004; 61(1):1908-16.

Schuindt SD . Avaliação do impacto farmacoeconômico das intervenções farmacêutica clínicas [monografia]. Cabo Frio: Universidade Estácio de Sá; 2015.

Magalhães ACA, Cantanhede MFC, Drummond BM, Drumond YA, Miranda VF. Avaliação da implantação do serviço de farmácia clínica na unidade de terapia intensiva para contribuir na segurança do paciente. Rev Méd Minas Gerais. 2016; 26(5):16-22.

Farias TF, Aguiar K da S, Rotta I, Belletti KM da S, Carlotto J. Implementação de um serviço farmacêutico clínico em hematologia. Einstein. 2016; 14(3):384-90.

Janebro DI, Belém LF, Tomaz ACA, Pinto DS, Ximenes LMA. Problemas relacionados aos medicamentos (PRMs) em pacientes pediátricos de um hospital no município de Campina Grande, Paraíba, Brasil. Acta Farm Bonaer. 2008; 27(5):681-7.

Cardinal L, Fernandes C. Intervenção farmacêutica no processo da validação da prescrição médica. Rev Bras Farm Hosp Serv Saúde. 2014; 5(2):14-9.

Publicado
2020-02-14
Como Citar
Cruz, L. T., Batista, P. do N., & Meurer, I. R. (2020). Análise do serviço de farmácia clínica em um hospital universitário . HU Revista, 45(4), 408-414. https://doi.org/10.34019/1982-8047.2019.v45.27553
Seção
Artigos Originais