Cultura de segurança do paciente: percepções da equipe de enfermagem

Autores

  • Edenise Maria Santos da Silva Batalha Universidade do Estado da Bahia-UNEB Departamento de Ciências da Vida, Campus I
  • Marta Maria Melleiro Professora Associada junto ao Departamento de Orientação Profissional da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Qualidade da assistência à saúde, Avaliação de serviços de Saúde, Segurança do Paciente, Enfermagem

Resumo

O estudo teve como objetivos identificar a percepção de profissionais de enfermagem de um hospital de ensino acerca das dimensões de cultura de segurança do paciente e identificar os fatores intervenientes na segurança do paciente. Trata-se de um estudo exploratório-descritivo de natureza qualitativa, que apresenta resultados da questão discursiva sobre segurança do paciente obtidos a partir da aplicação do questionário Hospital Survey on Patient Safety Culture traduzido e adaptado para o Português. A análise foi realizada através da redução, compilação e categorização dos discursos de acordo com as dimensões de cultura de segurança do paciente. Os discursos desvelaram potencialidades: empenho da supervisão de enfermagem para com a segurança do paciente; mobilização da educação continuada e a importância da notificação dos eventos adversos para a melhoria do sistema; e fragilidades: dificuldades para com o trabalho em equipe, a culpabilidade diante do erro; o dimensionamento inadequado da equipe de enfermagem; e dificuldades na passagem de plantão. Considera-se que avanços no cenário atual das organizações de saúde seja desafiador, todavia é imperativo a efetiva mobilização dos profissionais e dos gestores, a fim de consolidar uma cultura de segurança profícua e construtiva.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edenise Maria Santos da Silva Batalha, Universidade do Estado da Bahia-UNEB Departamento de Ciências da Vida, Campus I

Enfermeira. Mestra em Gerenciamento em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. Professora auxiliar do Departamento de Ciências da Vida da Universidade do Estado da Bahia.

Marta Maria Melleiro, Professora Associada junto ao Departamento de Orientação Profissional da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Associada junto ao Departamento de Orientação Profissional da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo

Referências

REFERÊNCIAS

FLEURY M. T. L. Cultura e poder nas organizações. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 1996.

GLANZNER, C. H.; OLSCHOWSKY A.; KANTORSKI L. P. O trabalho como fonte de prazer: avaliação da equipe de um Centro de Atenção Psicossocial. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 45, n. 3, p. 716-721, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n3/v45n3a24.pdf. Acesso em 12 out. 2012.

HUDSON, P. Applying the lessons of risk industries to health care. Quality & Safety Health Care, v. 12, Suppl1, p. 7-12, 2003. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1765769/pdf/v012p000i7.pdf. Acesso em 10 set. 2011.

IOM. Institute of Medicine. To err is human. Washington DC: National Academy Press; 1999.

KRISTENSEN, S.; MAINZ, J.; BARTELS, P. Patient Safety – a Vocabulary for European Application. Aarhus, Denmark: SIMPATIE European Society for Quality in Healthcare – Office for Quality Indicators. 2007. Disponível em: http://www.hope.be/03activities/docsactivities/SIMPATIE_Patient_safety_vocabulary_Professionals.pdf. Acesso em 10 abril. 2011.

KURCGANT, P.; MASSAROLO, M.C.K.B. Cultura e Poder nas Organizações de Saúde. In: KURCGANT P. Gerenciamento em Enfermagem. 2ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; 2010. p. 23-33.

LARA, S. R.; BERTI, H. W. Dimensão ética do gerenciamento em enfermagem. Revista Cuidarte Enfermagem, Catanduva, v. 5, n. 1, p. 7-15, jan-jun 2011. Disponível em: http://www.fundacaopadrealbino.org.br/facfipa/ner/pdf/CuidArte%20Enfermagem%20v.%205%20n.%201%20jan.jun.%202011.pdf. Acesso em15 out. 2012.

MAGALHÃES, A. M. M.; DALL’AGNOL, C. M.; MARCK, P. B. Nursing workload and patient safety – a mixed method study with an ecological restorative approach. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, 21(Spec), p. 146-154, jan-fev. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-1692013000700019&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em 15 jun. 2013.

MARCK, P.; CASSIANI, S. H. B. Theorizing about systems: an ecological task for patient safety research. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 13, n. 5, p. 750-753, set-out. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v13n5/v13n5a21.pdf. Acesso em 08 nov. 2012.

NIEVA, V. F; SORRA J. Safety culture assessment: a tool for improving patient safety in healthcare organizations. Quality & Safety Health Care. V.12, Suppl 5, p. 17-23, dez. 2003. Disponível em: http://qualitysafety.bmj.com/content/12/suppl_2/ii17.full.pdf+html. doi:10.1136/qhc.12.suppl_2.ii17. Acesso em 20 mar. 2011.

PEDREIRA, M. L. G. Erro humano no sistema de saúde. In: PEDREIRA, M. L. G; HARADA, M. J. C. S. Enfermagem dia a dia: segurança do paciente. São Caetano do Sul (SP): Yendis Editora; 2009. p. 3-22.

REASON, J. Human error: models and management. BMJ. v. 320, p. 768-770, mar. 2000. Disponível em: http://www.bmj.com/content/320/7237/768.pdf%2Bhtml. Acesso em 05 set. 2011.

SCHEIN, E. Organizational culture and leadership. San Francisco: Jossey Bass; 1986.

SILVA, A. E. B. C. Segurança do paciente: desafios para a prática e a investigação em Enfermagem. Revista Eletrônica de Enfermagem, Goiânia, v.12 n. 3, p. 422, 2010. Disponível em: http://revistas.ufg.br/index.php/fen/article/view/11885/7815. Acesso em 20 set. 2011.

SILVA, A. E. B. C. Análise de risco do processo de administração de medicamentos por via intravenosa em pacientes de um Hospital Universitário de Goiás. 342f. Tese (Doutorado em Enfermagem), Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2008.

SORRA, J. S.; NIEVA, V. F. Pilot study: reliability and validity of the hospital survey on patient safety. In Technical report prepared by Westat under Contract No. 290-96-004 Rockville, MD: Agency for Healthcare Research and Quality; 2004.

VERSA, G.L.G.S; INOUE, K.C.; NICOLA, A. L.; MATSUDA L. M. Influência do dimensionamento da equipe de enfermagem na qualidade do cuidado ao paciente crítico. Revista Texto & Contexto em Enfermagem, Florianópolis, v. 20, n. 4, p. 796-802, out-dez. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v20n4/20.pdf. Acesso em 10 out. 2012.

WACHTER, R. M. Compreendendo a segurança do paciente. Porto Alegre: Artmed; 2010.

WHO. World Health Organization. The World alliance for patient safety. The Launch of the World Alliance for Patient Safety,Washington DC, USA , 27 Out. 2004. Disponível em: http://who.int/patientsafety/worldalliance/en/. Acesso em 10 abr. 2011.

Downloads

Publicado

2016-09-20

Como Citar

1.
Batalha EMS da S, Melleiro MM. Cultura de segurança do paciente: percepções da equipe de enfermagem. hu rev [Internet]. 20º de setembro de 2016 [citado 19º de agosto de 2022];42(2). Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/2518

Edição

Seção

Artigos Originais