Infecções helmínticas crônicas aumentam a susceptibilidade ao Mycobacterium tuberculosis e reduzem a eficácia da vacina BCG

Autores

  • Alyria Teixeira Dias Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Caio César Souza Alves Universidade Federa de Juiz de Fora
  • Ana Paula Ferreira Universidade Federal de Juiz de Fora

Palavras-chave:

Tuberculose, Mycobacterium tuberculosis, coinfecção, helmintos

Resumo

A eficácia do Bacilo Calmette Guerin (BCG) é baixa e a incidência de tuberculose é elevada em áreas onde os helmintos são endêmicos. Enquanto a proteção contra a tuberculose exige forte imunidade celular, infecções helmínticas crônicas induzem respostas caracterizadas pelo perfil Th2, bem como o aumento da atividade de células T reguladoras. Portanto, infecções helmínticas crônicas poderiam modular a resposta imunológica necessária para controlar a infecção por micobactérias e/ou a eficácia da vacinação com BCG.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alyria Teixeira Dias, Universidade Federal de Juiz de Fora

Departamento de Parasitologia, Microbiologia e Imunologia, Laboratório de Imunologia

Caio César Souza Alves, Universidade Federa de Juiz de Fora

Departamento de Parasitologia, Microbiologia e Imunologia, Laboratório de Imunologia.

Ana Paula Ferreira, Universidade Federal de Juiz de Fora

Departamento de Parasitologia, Microbiologia e Imunologia, Laboratório de Imunologia.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2012-05-10

Como Citar

1.
Dias AT, Alves CCS, Ferreira AP. Infecções helmínticas crônicas aumentam a susceptibilidade ao Mycobacterium tuberculosis e reduzem a eficácia da vacina BCG. HU Rev [Internet]. 10º de maio de 2012 [citado 1º de março de 2024];37(4). Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/1692

Edição

Seção

Artigos de Revisão da Literatura

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)