Perfil epidemiológico da tuberculose em Juiz de Fora, município prioritário no estado de Minas Gerais

Autores

  • Renata Torres Rego Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Andrêssa Silvino Ferreira Assis Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Ronaldo Rodrigues Costa Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2018.v44.14128

Palavras-chave:

Tuberculose, Epidemiologia, Saúde pública

Resumo

Introdução: A tuberculose (TB) é considerada um dos maiores problemas mundiais de saúde. Visando a
eliminação dessa doença, a Organização Mundial de Saúde (OMS) elaborou um plano, chamado “The end
TB strategy”, cujas metas propostas foram adotadas pelo Ministério da Saúde. Juiz de Fora é a segunda
cidade do estado de Minas Gerais com os maiores números de casos dessa doença sendo considerada
município prioritário para controle da TB. Objetivo: Realizar uma análise do perfil epidemiológico da TB
na cidade de Juiz de Fora nos anos de 2008 a 2017, comparando os dados registrados a nível nacional,
estadual e municipal, bem como avaliar o cenário municipal frente às metas propostas pelo plano de
enfrentamento da TB. Material e métodos: Foi realizado um estudo transversal, descritivo, de série
temporal utilizando dados secundários disponibilizados pelo Departamento de Informática do Sistema
Único de Saúde (DATASUS). Resultados: O coeficiente de incidência e mortalidade da TB assim como
a taxa de abandono de tratamento verifi cados em Juiz de Fora, de 2008-2017, superaram as médias
nacionais e estaduais, além de extrapolarem as metas previstas no plano de enfrentamento da TB.
Cabe ressaltar, no entanto, que a proporção de teste rápido de HIV e o número de cultura de escarro
realizados entre os casos de retratamento de TB superaram as médias nacional e estadual. Conclusão:
O perfi l epidemiológico da TB em Juiz de Fora revelou uma situação em alguns aspectos piores em
relação ao cenário nacional e estadual, mas também evidenciou que medidas já estão sendo realizadas
pelo município para o enfrentamento da doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANGELO, J.R. (Re) Produção do espaço urbano de Juiz de Fora - MG e distribuição espacial da tuberculose. 148 f. Dissertação (Mestrado em Ciências na área de Saúde Pública), Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2008.

ARAÚJO, M. JF é a 2ª em casos de tuberculose em Minas. Tribuna de Minas. 2016. Disponível em https://tribunademinas.com.br/noticias/cidade/24-03-2016/jf-e-a-2a-em-casos-de-tuberculose-em-minas.html. Acesso em 04 de dezembro de 2018.

BARREIRA, D. Os desafios para a eliminação da tuberculose no Brasil. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v.27, n. 1, p. 1-4, Mar. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Banco de dados do Sistema Único de Saúde-DATASUS. Disponível em http://www.datasus.gov.br. Acesso em 7 de setembro de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Brasil Livre da Tuberculose Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública. 2017. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/brasil_livre_tuberculose_plano_nacional.pdf Acesso em 6 de setembro de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Implantação do Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública no Brasil: primeiros passos rumo ao alcance das metas. 2018. Disponível em http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/marco/26/2018-009.pdf. Acesso em 20 de agosto de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Recomendações para o controle da Tuberculose no Brasil. 2011. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_recomendacoes_controle_tuberculose_brasil.pdf. Acesso em 17 de janeiro de 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Panorama da tuberculose no Brasil- Indicadores epidemiológicos e operacionais. 2014. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/panorama%20tuberculose%20brasil_2014.pdf Acesso em 14 de agosto de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Programa Nacional de Controle da Tuberculose. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/ProgramaTB.pdf. Acesso em 07 de setembro de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Recomendações para o manejo da coinfecção TB-HIV em serviços de atenção especializada a pessoas vivendo com HIV/AIDS. 2013. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/recomendacoes_manejo_coinfeccao_tb_hiv.pdf Acesso em 07 de setembro de 2018.

BRASIL. Mistério da Saúde. Vigilância epidemiológica da tuberculose: Análise de indicadores operacionais e epidemiológicos a partir da base de dados do Sinan versão 5.0. 2016. Disponível em http://portalsinan.saude.gov.br/images/documentos/Agravos/Tuberculose/Apostila_Curso_Sinan_2016.pdf. Acesso em 14 de agosto de 2018.

CONSELHO NACIONAL DE SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Guia de apoio à gestão estadual do SUS. Disponível em http://www.conass.org.br/guiainformacao/notas_tecnicas/NT18-TUBERCULOSE-Indicadores-epidemiologicos.pdf. Acesso em 04 de dezembro de 2018.

COSTA, R.R., et al. Comparação entre os métodos de Ogawa-Kudoh e Petroff modificado para o cultivo de micobactérias no diagnóstico da tuberculose pulmonar. Einstein, v. 16, n.2, p. 1-5, jun. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO GEOGRAFIA ESTATÍSTICA - IBGE. Estimativas da população residente para os municípios e para as unidades da federação. Disponível em https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/sociais/populacao/9103-estimativas-de-populacao.html?=&t=o-que-e. Acesso em: 09 de setembro de 2018.

JUIZ DE FORA. Secretaria de Saúde. Plano de saúde 2014-2017. 2013. Disponível em https://www.pjf.mg.gov.br/conselhos/cms/arquivos/plano_saude_2014_2017.pdf. Acesso em 04 de dezembro de 2018.

LIMA, M.F.F. O contexto socioambiental da tuberculose pulmonar em Juiz de fora (MG). 275 f. Dissertação (Doutorado em Ciências Ambientais), Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás, Goiás, 2013.

MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Saúde. Plano estadual pelo fim da tuberculose como problema de saúde pública em Minas Gerais 2019-2022. 2019. Disponível em http://www.saude.mg.gov.br/images/noticias_e_eventos/000_2019/jane_fev_mar/PLANO_ESTADUAL_PELO_FIM_DA_TUBERCULOSE_COMO_PROBLEMA_DE_SA%C3%9ADE_P%C3%9ABLICA_EM_MG.pdf. Acesso em 02 de fevereiro de 2019.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Global tuberculosis report 2017. Disponível em https://www.who.int/tb/publications/global_report/gtbr2017_main_text.pdf. Acesso em 04 de dezembro de 2018.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Global tuberculosis report 2018. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/274453/9789241565646-eng.pdf?ua=1. Acesso em 04 de dezembro de 2018.

PEREIRA, A., et al. Fatores associados ao óbito e ao abandono do tratamento da tuberculose em um hospital geral do município do Rio de Janeiro, 2007 a 2014. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, v.8, n. 5, p.1-9, mai. 2018.

PEREIRA, J.C., et al. Perfil e seguimento dos pacientes com tuberculose em município prioritário no Brasil. Revista de Saúde Pública, v.49, n.6, p. 1-12, fev. 2015.

ROCHA, D.S.; ADORNO, R.C.F. Abandono ou Descontinuidade do Tratamento da Tuberculose em Rio Branco, Acre. Saúde e Sociedade, v.21, n. 1, p. 232-245, mar. 2012.

SILVA, F.S., et al. Use of the Ogawa-Kudoh method to isolate mycobacteria in a tuberculosis reference laboratory in northwestern Paraná, Brazil. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, v.49, n.3, p. 567-570, jun. 2013.

SULIS,G., et al. Recent developments in the diagnosis and management of tuberculosis. Primary Care Respiratory Medicine, v. 26, n. 16078, p. 1-8, nov. 2016.

Downloads

Publicado

2019-06-21

Como Citar

1.
Torres Rego R, Silvino Ferreira Assis A, Rodrigues Costa R. Perfil epidemiológico da tuberculose em Juiz de Fora, município prioritário no estado de Minas Gerais. hu rev [Internet]. 21º de junho de 2019 [citado 3º de outubro de 2022];44(3):343-50. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/14128