Assistência ao paciente fora de possibilidades terapêuticas na visão dos trabalhadores de enfermagem

  • Nayara Cacília de Sousa UERJ
  • Eugênio Fuentes Peres Junior

Resumo

Objetivo: Objetivou-se neste estudo identificar a percepção dos trabalhadores de enfermagem quanto à assistência ao paciente terminal; descrever as condições de trabalho na assistência prestada ao paciente; analisar as repercussões das condições de trabalho para a assistência de enfermagem. Método: Qualitativo, descritivo, tendo como campo uma enfermaria de clínica médica de um Hospital Universitário do estado do Rio de Janeiro. Utilizou-se a técnica de entrevista semiestruturada com 13 trabalhadores de enfermagem em 2016. Aplicada a análise de conteúdo aos depoimentos. Resultados: Na visão dos trabalhadores, a assistência de qualidade ao paciente terminal acaba tornando-se prejudicada devido ao despreparo e falta de profissionais em relação ao quantitativo de pacientes, gerando dificuldades para um bom desempenho do trabalho em equipe. Conclusão: Existe a necessidade do aumento de funcionários e educação continuada permanente, visando a qualidade do cuidado oferecido e a satisfação da equipe.

Referências

1. Flor AC, Schwantes LC. A enfermagem diante do paciente fora de possibilidade terapêutica. RevEnferm UNISA 2010; 11(2): 94-9. 2.
2. Vasques TCS et al. Percepções dos trabalhadores de enfermagem acerca dos cuidados paliativos. Revista Eletrônica de Enfermagem, [S.l.], 2013; 15(3): 770-7. Disponível em: 19R. Enferm. UFJF - Juiz de Fora - v. 2 - n. 2 - p. 11-19 - jul./dez. 2016ufg.br/index.php/fen/article/view/20811>. Acesso em: 30 Set. 2015. 3.
3.Salimena AMO et al. Estratégias de enfrentamento usadas por enfermeiros ao cuidar de pacientes oncológicos. Revista de Enfermagem da UFSM, 2013; 3(1): 08-16. 4.
4.Perez Junior EF et al. Segurança no desempenho e minimização de riscos em terapia intensiva: tecnologias duras [Safety performance andriskprevention in intensivecare: hard technologies]. Revista Enfermagem UERJ, 2014; 22(3): 327-333. 5.
5. Andrade CG et al. Cuidados paliativos ao paciente em fase terminal. Revista Baiana de Enfermagem, 2014; 28(2): 126-133.
6. Gutierrez BAO. O processo de morrer no cotidiano do trabalho dos profissionais de enfermagem de unidades de terapia intensiva [tese]. São Paulo: Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo; 2006. 7. Brêtas JRS, Oliveira JR, Yamaguti L. Reflexões de estudantes de enfermagem sobre morte e o morrer. Rev. Esc. Enferm. USP, 2006; 40(4): 77-83.
8. Leite MA, Vila VSC. Dificuldades vivenciadas pela equipe multiprofissional na unidade de terapia intensiva. RevLatinoamEnferm. 2005; 13(2):145-50.
9. Silva MAS, Silva MJP. A preparação do graduando de enfermagem para abordar o tema morte e doação de órgãos. Revista de Enfermagem UERJ. Rio de Janeiro, 2007; 15(4): 549-554.
10. Gutierrez P L. O que é o paciente terminal? Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2006; 47(2): 92. Available from: . ISSN 1806-9282. http://dx.doi.org/10.1590/
Publicado
2018-04-12
Como Citar
Sousa, N. C. de, & Junior, E. F. P. (2018). Assistência ao paciente fora de possibilidades terapêuticas na visão dos trabalhadores de enfermagem. Revista De Enfermagem Da UFJF, 2(2). Recuperado de https://periodicos.ufjf.br/index.php/enfermagem/article/view/3872
Seção
Artigos Originais