FORMAÇÃO DE ENFERMEIROS NO BRASIL: DE 1995 A 2015

  • Ana Luiza Stiebler Vieira

Resumo

Objetivos:Atualizar a análise da trajetória da graduação em enfermagem no Brasil, apontar a ociosidade das vagas e dimensionar o ensino a distância. Métodos: Estudo quantitativo-descritivo de 1995 a 2015 da oferta de cursos, vagas e concluintes nas instituições públicas, privadas e regiões brasileiras através dos Censos da Educação Superior do Ministério da Educação. Dessa fonte dimensionou-se o ensino a distância e a ociosidade de vagas pelas relações vagas versus ingressos e ingressos versus concluintes. Resultados: Crescimento de 721,3% na oferta de cursos, 631,9% de concluintes; privatização do ensino de 84,6% em 2015; concentração dos cursos (47,2%), vagas (49,8%), e concluintes (50,8%) no Sudeste; ociosidade média de 28,0% das vagas; e desnecessária oferta de 75.660 vagas no ensino a distância. Conclusão: Apresentam-se como desafios contemporâneos a garantia da qualidade desta formação e uma política de recursos humanos que reoriente o ensino de forma coerente com as diretrizes do SUS.

Publicado
2018-12-20
Como Citar
Vieira, A. L. S. (2018). FORMAÇÃO DE ENFERMEIROS NO BRASIL: DE 1995 A 2015. Revista De Enfermagem Da UFJF, 3(2). https://doi.org/10.34019/2446-5739.2017.v3.14001
Seção
Artigos Originais