“Eu acho que crescendo nós vemos certos corpos e certas raças tendo mais exposição e atenção e você pensa: ‘Ah isso que é beleza, com isso que você precisa se parecer.’.”

– disputas, negociações e (re)construções das masculinidades entre o online e o offline

  • José Rodolfo Lopes da Silva UFJF
Palavras-chave: Homossexualidades, Grindr, Encontros, Desejos, Cultura

Resumo

O presente artigo busca problematizar as formas que sujeitos homossexuais vêm aprendendo, em meio a discursos, negociações, disputas e resistências, a (re)construir suas subjetividades, desejos e se organizar enquanto sujeitos em uma sociedade em que a heterossexualidade é ensinada como a norma. Através da análise de um episódio da série virtual What The Flip, em que dois usuários do Grindr discutem sobre suas experiências no aplicativo de encontros amorosos/sexuais, convido a reflexão de como diferentes processos sócio-histórico-culturais vêm administrando e produzindo a sexualidade desses indivíduos. A cultura vem tomando dimensões em nossa sociedade e sendo considerada também como constitutiva das identidades, dos sujeitos e de suas subjetividades. Produções que tragam discursos que abarquem diversidades e diferentes narrativas possibilitam que sejamos educados com outras histórias e ações sejam realizadas para que processos sejam pensados e (re)construídos no online e offline. Como abordagem teórica para a discussão trago contribuições das Ciências Sociais, Educação e de Michel Foucault.

Referências

BADINTER, Elisabeth. XY Sobre a identidade masculina. 2ª ed. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1993.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: Feminismo e subversão da identidade. Rio de janeiro: Editora Civilização Brasileira, 2003.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva, Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 151-172

CONNELL, Raewyn. Políticas da masculinidade. Educação & Realidade. Rio de Janeiro, 1995. Disponível em: Acesso em: 20/05/2020.

___________. Masculinities. 2° ed. Berkeley: University of California Press, 2005.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Foucault e a análise do discurso em educação. Cadernos de Pesquisa, n.114, p. 197-223, nov. 2001.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 21. ed . Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

___________. História da Sexualidade I: a vontade de saber. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

FERREIRA, João Paulo; MISKOLCI, Richard. O desejo homossexual após a AIDS: uma análise sobre os critérios acionados por homens na busca por parceiros do mesmo sexo. Ciência & Saúde Coletiva, n. 25 (3), p. 999-1010, 2018.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. In: Educação & Realidade. jul/dez. 1997. p. 15-46.

HALL, Stuart. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. SILVA, Tomaz Tadeu da. (org.), HALL, Stuart, WOODWARD, Kathryn. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

MISKOLCI, Richard. Networks of desire: the specter of AIDS and the use of digital media in the quest for secret same-sex relations in São Paulo. In: Vibrant, Virtual Braz. Anthr., Brasília, v. 10, n. 1, p. 40-70, 2013.

______. San Francisco e a nova economia do desejo. In: Lua Nova. São Paulo, v. 91, p. 269-295. 2014a.

______. Negociando visibilidades: segredo e desejo em relações homoeróticas masculinas criadas por mídias digitais. Bagoas – Estudos gays, gêneros e sexualidades, 8(11):51-78. 2014b. Disponível em: http://www.periodicos.ufrn.br/ bagoas/article/view/6543. Acesso em: 27/05/2020

______. Estranhos no paraíso: notas sobre os usos de aplicativos de busca de parceiros sexuais em San Francisco. Cadernos Pagu, n. 47, 2016.

PELÚCIO, Larissa. Afetos, mercados e masculinidades contemporâneas: notas iniciais de uma pesquisa em aplicativos móveis para relacionamentos afetivos/sexuais. Contemporânea, v. 6, n. 2, jul.-dez., p. 309-333, 2016.

PERLONGHER, Nesthor. O negócio do michê: a prostituição viril em São Paulo. São Paulo: Editora Perseu Abramo, 2008.

SILVA, João Paulo Ferreira da. Desejos comodificados: dos classificados aos perfis nos aplicativos na busca por parceiros do mesmo sexo, 2017. São Carlos, UFSCAR, 2017. 194 p. (Dissertação, Mestrado em Sociologia)

SOUZA, Henrique Restier da Costa Souza. LÁ VEM O NEGÃO: DISCURSOS E ESTEREÓTIPOS SEXUAIS SOBRE OS HOMENS NEGROS. In: 13º Mundo de Mulheres e Fazendo Gênero 11, 2017. Florianópolis. Anais Eletrônicos... Florianópolis, 2017. p. 1-12. Disponível em: < http://www.en.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/1499020802_ARQUIVO_LAVEMONEGAOFINAL.pdf>. Acesso em: 21/05/2020.
Publicado
2020-07-10
Como Citar
Lopes da Silva, J. R. (2020). “Eu acho que crescendo nós vemos certos corpos e certas raças tendo mais exposição e atenção e você pensa: ‘Ah isso que é beleza, com isso que você precisa se parecer.’.” : – disputas, negociações e (re)construções das masculinidades entre o online e o offline. CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS, (31). Recuperado de https://periodicos.ufjf.br/index.php/csonline/article/view/30787
Seção
Dossiês