Sobre o Encontro da Política Consigo Mesma

O Paradoxo entre as Possibilidades Amenas dos Arranjos Democrático-Liberais e o Real Disruptivo da Política

  • André Costa Lucena Universidade Federal de Campina Grande
Palavras-chave: Política, Real, Democracia, Crise

Resumo

O presente trabalho é um esforço teórico. Esforço, no sentido de que pensar a política na atualidade – crises no modelo democrático e neoliberal – é uma atividade de tal nível de amplitude que jamais será encerrada em si mesma. A ideia do presente trabalho é debater que há uma demanda urgente de encontro da política consigo mesma. Que a política é, na sua essência a realização do impossível, como afirma o filósofo francês Alain Badiou. E que, por ser aquilo que força o impossível a acontecer, a política não está nas instâncias limitantes das possibilidades institucionais oferecidas, atualmente. A conjuntura atual indica a existência de um paradoxo: soluções para as crises oferecidas nos limites dos modelos já existentes e necessidade de ampliação do potencial disruptivo da política. O objetivo deste trabalho é discutir o paradoxo político da atualidade, no sentido de afirmar a necessidade de que a política seja recobrada no seu poder de inconformidade com as formas institucionais presentes. Para além de Alain Badiou, outros pensadores norteiam a discussão proposta, a exemplo de Slajov Zizek, Perry Anderson e Vladimir Safatle. Do ponto de vista metodológico, trata-se de uma revisão de literatura. Concluímos pela necessidade de se afirmar o real disruptivo da política, no contemporâneo.

Referências

ANDERSON, Perry. Balanço do neoliberalismo. In: SADER, Emir & GENTILI, Pablo (orgs.) Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o Estado democrático. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995, p. 9-23.


BADIOU, A. Compêndio de metapolítica. Trad. Filipe Duarte.Lisboa: Instituto Piaget, 1999b.


__________. Ética e política. In: Conferências de Alain Badiou no Brasil. C. Garcia (Org). Belo Horizonte: Autência, 1999a, pp. 37-45.


__________. Para uma teoria do sujeito: conferências brasileiras. Trad. Emerson Xavier da Silva & Gilda Sodré. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.


BOBBIO, Norberto. O futuro da democracia: uma defesa das regras do jogo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.


FOUCAULT, M. Nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008.


GRAMSCI, Antonio. Cadernos do Cárcere. Volume 3. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.


HAYEK, F. A. O caminho da servidão. 4. ed. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura: Instituto Liberal, 1987.


HOBBES, Thomas. Leviatã. Coleção “Os Pensadores”. Abril cultural, 1974.


MIGUEL, Luis Felipe. Representação democrática: autonomia e interesse ou identidade e advocacy. Lua Nova, São Paulo, 84: 25-63, 2011.


PITKIN, Hanna. El concepto de representación. Madrid: Centro de Estudios Constitucionales, 1985.


SCHUMPETER, Joseph. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961 [1942].


ZIZEK, A biopolítica pós-moderna. Disponível em: https://vandersonfilosofo.blogspot.com/2017/01/zizek-biopolitica-pos-politica.html. Acesso em 06 de agosto de 2019.


__________. Arriscar o Impossível. São Paulo: Martins Fontes, 2006.


__________. Primeiro como tragédia, depois como farsa. São Paulo: Boitempo, 2011.


__________. Problemas no Paraíso. In: MARICATO, E. et al. Cidades Rebeldes: Passe Livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo: Boitempo; Carta Maior, 2013, p. 95-100.
Publicado
2020-01-31
Como Citar
Costa Lucena, A. (2020). Sobre o Encontro da Política Consigo Mesma. CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS, (30). https://doi.org/10.34019/1981-2140.2019.27531
Seção
Dossiês