POBREZA E DESIGUALDADE SOCIAL: PERCEPÇÕES DE UMA ELITE.

Autores

  • Daniel Coelho de Oliveira

Resumo

O debate sobre pobreza e desigualdades sociais é significativamente relevante em um país com extremas disparidades como o Brasil. Por este motivo, o presente trabalho objetiva compreender a percepção que a elite do agronegócio em Unaí (MG) tem dos processos de desigualdade social e pobreza no município. No primeiro momento, indicadores sociais e econômicos são utilizados para justificar a opção pela pesquisa neste espaço. Em seguida, serão aprofundadas algumas questões relacionadas com os temas pobreza e desigualdade a partir de uma pesquisa qualitativa com atores do agronegócio. Entre as considerações que o trabalho apresenta, observa-se primeiramente que a elite do agronegócio em Unaí é ciente dos impactos do crescimento do setor no desenvolvimento econômico do município, mas acredita que aspectos sociais possuem importância secundária no processo. Em segundo, parte dos problemas sociais do município atualmente se relaciona com transformações estruturais que ocorreram no agronegócio local, sendo o Estado apontado como o principal responsável em resolvê-los. No terceiro momento, nota-se que as políticas públicas: de assistência social como o “Bolsa Família” e de Reforma Agrária, são vistas como ineficientes, mas desempenham um papel de mitigar os efeitos perversos da mecanização agrícola. Por último, observa-se que a agroindustrialização de Unaí é apontada como uma via futura para o desenvolvimento econômico do município e solução para os problemas sociais. 

Downloads

Publicado

2010-08-29

Como Citar

Coelho de Oliveira, D. (2010). POBREZA E DESIGUALDADE SOCIAL: PERCEPÇÕES DE UMA ELITE. CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS, (10). Recuperado de https://periodicos.ufjf.br/index.php/csonline/article/view/17163

Edição

Seção

Artigos Teóricoempíricos