CHAMADA DE TRABALHOS DOSSIÊ "AUTORIA, SUBSTANTIVO FEMININO" ATÉ 15 DE OUTUBRO DE 2022

2022-05-15

Está aberta a Chamada de trabalhos para o dossiê Autoria, substantivo feminino: clássicas do pensamento sociológico (2/2022).
Prazo para Submissões: 15 de outubro de 2022.

Proponentes:
Fernanda Henrique Cupertino Alcântara
Doutora em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro
Professora do curso de Direito da Universidade Federal de Juiz de Fora

Giulle Vieira da Mata
Doutora em Sociologia pela Universidade Federal de Minas Gerais
Professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de Ouro Preto

Eliana Debia
Doutoranda em Ciências Sociais pela Universidade de Buenos Aires
Professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade de Buenos Aires

Andrea Ozamiz
Mestranda em Estudos Latinoamericanos na Universidade Nacional de Cuyo
Professora na Universidade Nacional da Terra do Fogo, Antártica e Ilhas do Atlântico Sul.

Resumo:
A história da Sociologia e seus clássicos geralmente é confundida com o cânone sociológico. A proposta deste Dossiê é demonstrar a diversidade de contribuições para além do cânone e rediscutir a noção de clássicos, num movimento de revisitação ou reconstrução da história da Sociologia. O recorte adotado valoriza a contribuição das clássicas ao longo dos quase 200 anos da Sociologia, demonstrando a sua participação na fundação e institucionalização da Ciência e da Disciplina. Dessa maneira, o Dossiê tem interesse em artigos que abordem a biografia, a teoria e as obras de teóricas do século XIX, muitas vezes “desclassificadas” (Salomone, 1996) como “pioneiras”, “precursoras”, “reformadoras”, “viajantes”, “analistas”, entre outros. A problematização da formação do cânone e a desconsideração ou retirada destas teóricas do rol institucionalizado e reconhecido também é de interesse imediato desta proposta. Uma vez que as mulheres e outras dissidências sexuais não foram sujeitos nem objetos de conhecimento no início de nossa disciplina por autores considerados dentro do cânon, nosso Dossiê visa, então, focalizar a contribuição de trabalhos que tornem visível a participação das mulheres ou do sujeito feminino (Femenias, 2002 y Wittig, 2006) na formação de nosso campo de conhecimento. Da mesma forma, pretendemos valorizar as vozes que, a partir de uma posição de alteridade, deram uma contribuição significativa para a formação do nosso campo de conhecimento, análise e os diagnósticos das autoras invisíveis não apenas do ponto de vista de gênero, mas também de uma perspectiva latino-americana, suas conceptualizações de problemas sociais, entendidos como contribuições que enriquecem a análise sociológica com perspectivas que contribuem para a descolonização epistêmica.

REFERÊNCIAS INDICADAS PARA A CHAMADA
1.    ALCÂNTARA, Fernanda H. C. (2021). Harriet Martineau (1802-1876): A analista social que inaugurou a Sociologia. Revista Estudos Iberoamericanos, PUC-RS.
2.    BERREBI-HOFFMAN, Isabelle ; Olivier Giraud; Léa Renard; Theresa Wobbe (2019). Categories in Context: gender and Work in France and Germany, 1900–present. Berghahn Books.
3.    DEBIA, Eliana. (2019). Notas sobre violencia de género y enseñanza de la sociología clásica en la universidad nacionales públicas argentinas. De Prácticas y discursos. Cuadernos de Ciencias Sociales, 8 (2), 287-307. Disponible en: http://ppct.caicyt.gov.ar/index.php/depracticasydiscursos/article/view/16667/45454575768863
4.    DEBIA, E.; LOBATO, S. y OZAMIZ, A. (2016). Los aportes de Flora Tristán y Marianne Weber a la formación del pensamiento social clásico. Socio Debate Revista de Ciencias Sociales, 2, (4), 47-75. Disponible en: http://www.feej.org/imag es/publicaciones/numero4 /Debia.pdf 
5.    DEEGAN, M. J. (2012). Sociólogas pioneras y la Sociedad Sociológica Americana: patrones de exclusión y participación. CS. No. 10, 313-338. 
6.    GARCIA DAUDER, S. (2010). La historia olvidada de las mujeres de la Escuela de Chicago. Revista Española de Investigaciones Sociológicas (Reis), 131, 11-41.
7.    IBARGÜEN, Maya Aguiluz (Ed.) (2011). Marianne Weber. Ensayos Selectos. México: UNAM, Centro de Investigaciones Interdisciplinarias en Ciencias y Humanidades: Coordinación de Humanidades.
8.    MARTINEAU, H. (2021). Como observar: morais e costumes. Governador Valadares, Fernanda H. C. Alcântara.
9.    MATA, Giulle Vieira. (2014), “A condição feminina e o casamento a partir da obra de Marianne Weber”. Caderno Espaço Feminino, v. 27, n. 02.
10.    WOBBE, Theresa. (1996). On the Horizons of a New Discipline: Early Women Sociologists in Germany. Journal of the Anthropological Society of Oxford. 26.
 
LISTA DE SUBTEMAS 
●    Fundação da Sociologia e a participação das teóricas clássicas
●    Institucionalização da Ciência Sociologia e a participação das teóricas clássicas
●    Institucionalização da Disciplina e do Ensino de Sociologia e a participação das teóricas clássicas
●    Mary Wollstonecraft (1757-1797)
●    Harriet Martineau (1802-1876)
●    Flora Tristan (1803-1844)
●    Juana Manuela Gorriti (1818-1892)
●    Soledad Acosta de Samper (1833-1913)
●    Eduarda Mansilla (1834-1892)
●    Clorinda Matto de Turner (1852-1909)
●    Beatrice Potter Webb (1858 - 1943)
●    Anna Julia Cooper (1858-1964)
●    Jane Addams (1860-1935)
●    Charlotte Perkins Gillman (1860-1935)
●    Emily Green Balch (1867-1961)
●    Marianne Weber (1870 - 1954)
●    Rosa Luxemburg (1871-1919)
●    Alexandra Kollontai (1872-1952)

A CSOnline publica artigos frutos de pesquisas desenvolvidas no âmbito da pós-graduação, portanto, o autor principal deverá ter a titulação mínima de mestre(a) ou mestrando(a).
Para maiores informações sobre as regras de submissão e formatação dos trabalhos consulte a aba "submissões" do nosso site.
ATENÇÃO para as regras de submissão: https://periodicos.ufjf.br/index.php/csonline/about/submissions
Enviem suas contribuições!