Perfil das mulheres atendidas no Ambulatório Para Elas

Autores

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Violência Contra a Mulher, Saúde da Mulher, Saúde Mental, Violência

Resumo

A violência traz sérios impactos à saúde das mulheres. Em 2016, foi criado o Ambulatório Para Elas. A proposta é oferecer cuidado integral, fortalecer a autonomia, atuar com horizontalidade e vínculo entre os sujeitos envolvidos. O objetivo deste trabalho é descrever o perfil das mulheres, suas características sociodemográficas, violências e problemas de saúde. Trata-se de estudo transversal, quantitativo. Foram analisados 583 registros multiprofissionais, todos aqueles encontrados que estavam dentro dos critérios de inclusão. A coleta foi feita a partir do questionário Google Forms e os dados foram transportados para o Excel. Foi realizada análise estatística descritiva, com distribuição de frequência das variáveis estudadas. Os resultados mostram que as mulheres atendidas residem em todas as regiões de Belo Horizonte. A principal faixa etária está entre 40 e 59 anos (37,4%), cor negra (47,4%), católica ou evangélica (56,2%), casada (28,3%) e trabalha com serviços gerais (29,7%), não estudaram ou possuem EF incompleto (24,1%). A maioria sofreu violência (81,3%), principalmente do tipo psicológica/moral e o principal agressor foi parceiro ou ex-parceiro íntimo. Em conclusão, a alta prevalência de queixas compatíveis com a depressão e/ou ansiedade, distúrbios do sono e dor crônica está em consonância com os dados da literatura acerca das consequências da violência contra a mulher. Por fim, fica evidente o papel relevante desse Ambulatório como parte da rede de enfrentamento à violência contra a mulher em BH e na grande BH.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vitor Galdino Moreira Silva, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Graduando em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Elza Machado de Melo, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutora em Medicina Social pela Universidade de São Paulo (USP). Professora titular do curso de Medicina da UFMG.

Ilka Santos Bins, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Isís de Sá e Castro Rodrigues, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Marilia Faleiro Malaguth Mendonça, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Mestra em Promoção de Saúde e Prevenção da Violência pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professora auxiliar do curso de Medicina da UFMG.

Victor Peçanha Pontine, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Graduando em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Downloads

Publicado

2021-06-01

Edição

Seção

Resumos