Tratamento do eritema nodoso hansênico na mulher em idade fértil

Autores

  • Leticia Lisboa Machado Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT
  • Karina Tiemi Kakizaki Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT https://orcid.org/0000-0001-5086-2520
  • Thyago dos Santos Amorim Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT
  • Estefânia Carmo Sousa Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT https://orcid.org/0000-0002-3942-4615

Palavras-chave:

Hanseníase, Eritema Nodoso, Mulheres, Tratamento

Resumo

Os estados reacionais ou reações hansênicas (tipos 1 e 2) são alterações do sistema imunológico que se exteriorizam como manifestações inflamatórias agudas e subagudas, que ocorrem em pacientes com diagnóstico de hanseníase, principalmente nos pacientes Multibacilar (MB). Elas podem surgir antes, durante ou depois do tratamento poliquimioterápico (PQT). Na reação tipo 2, a manifestação mais frequente é o Eritema Nodoso Hansênico, que se caracteriza pelo aparecimento de nódulos subcutâneos dolorosos, acompanhados ou não de manifestações sistêmicas (BRASIL, 2016). Trata-se do relato de caso de uma mulher em idade fértil com Eritema Nodoso Hansênico. Tem-se como metodologia o relato de experiência do Tratamento de Reação Hansênica Tipo II em uma Unidade de Saúde da Família. A paciente J.P.O, 37 anos, diagnóstico de Hanseníase em agosto de 2019, com início do tratamento PQT Multibacilar (PQT-MB), protocolo básico Rifampicina, Dapsona, Clofazimina, tratamento de 12 meses. Durante a 4º cartela do tratamento, a paciente apresentou reação adversa a Dapsona, sendo necessário a suspensão do tratamento por 15 dias e após o evento, houve a troca do esquema básico para Ofloxacino. Em janeiro de 2020, a paciente vem à consulta com queixa de nódulos dolorosos pelo corpo. Diante do achado, esta foi encaminhada para o Centro de Referência do município para avaliação e início do tratamento. A opção do tratamento foi, inicialmente, Pentoxifilina 400 mg. Optou-se por esta por ser mulher em idade fértil, devido aos riscos teratogênicos da Talidomida, que seria a primeira escolha de tratamento - associado também a pulsoterapia com corticoide. Após completar esquema, houve regressão dos nódulos e melhora do quadro. Dessa forma, conclui-se que o manejo segue as orientações do Ministério da Saúde, com esquema substitutivo para a reação tipo 2 a Pentoxifilina, uma vez que a talidomida é contraindicada em mulheres férteis, ou só deve ser prescrita mediante dois métodos efetivos de contracepção e exclusão da gravidez.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leticia Lisboa Machado, Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT

Médica de Família e comunidade.

Karina Tiemi Kakizaki, Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT

Médica de Familia e comunidade.

Thyago dos Santos Amorim, Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT

Médico de Familia e comunidade.

Estefânia Carmo Sousa, Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT

Médica de Familia e comunidade.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Edição

Seção

Resumos