Leishamniose Tegumentar Americana refratária ao uso do Glucantime: Relato de Caso

Autores

  • Leticia Lisboa Machado Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT
  • Karina Tiemi Kakizaki Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT https://orcid.org/0000-0001-5086-2520
  • Thyago dos Santos Amorim Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT
  • Estefânia Carmo Sousa Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT https://orcid.org/0000-0002-3942-4615

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde

Resumo

INTRODUÇÃO: A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é considerada um grande problema de saúde pública, com predomínio no Continente Americano. Trata-se de uma doença infecciosa, não contagiosa, causada por diferentes espécies de protozoários do gênero Leishmania, que acomete pele e mucosas (BRASIL, 2007).  OBJETIVOS: Trata-se de um relato de caso de LTA refratária ao uso de Glucantime, com reativação da lesão. METODOLOGIA: Relato de experiência com o tratamento de um caso de LTA com Anfotericina associada com glicocorticoide em uma Unidade de Saúde da Família. RESULTADO: Paciente J.M.S, 40 anos, diabético, procurou a Unidade Básica de Saúde em Junho de 2019 devido lesão ulcerada em região cervical e presença de linfonodos submandibulares aumentados e dolorosos a palpação. Foi realizado investigação de processo inflamatório, tais como sorologias: Citomegalovirus, Toxoplasmose, Epistein Baar, Rubeola, dentre outros. Todos com resultados negativos. Realizado então, raspado da lesão para pesquisa de Leishmania. Esta apresentou resultado de formas parasitárias em evolução amastigota com características morfológicas de Leishmania sp. Iniciado tratamento com Glucantime por 20 dias, após exames iniciais. Porém, após 3 meses do término de tratamento, lesão reativada, sendo encaminhado para avaliação com Infectologista que orientou inicio de Anfotericina B por 14 dias associado com Hidrocortisona 300 mg. Devido alterações laboratoriais do uso da medicação, foi necessário suspensão da mesma, melhora dos parâmetros e só após a finalização do esquema, com boa resposta a medicação. CONCLUSÃO: As drogas de primeira escolha no tratamento da leishmaniose são os antimoniais pentavalentes (Sb), como o glucantime, mais utilizado em nosso meio. Porém, existem casos em que não há resposta ao tratamento, sendo a anfotericina B e as pentamidias as drogas de segunda escolha, no qual, conforme apresentando no caso, obteve sucesso no tratamento, o que ressalta a importância do acompanhamento do paciente, durante e após o tratamento

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leticia Lisboa Machado, Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT

Médica de Familia e comunidade.

Karina Tiemi Kakizaki, Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT

Médica de Familia e comunidade.

Thyago dos Santos Amorim, Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT

Médico de Familia e comunidade.

Estefânia Carmo Sousa, Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT

Médica de Familia e comunidade.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Edição

Seção

Resumos