Rastreamento de neoplasias de colo uterino e indicador de qualidade: revisão literária

Autores

  • Maria Carolina Malheiros de Souza Centro Universitário CESMAC (CESMAC)
  • Maria Deysiane Porto Araujo Centro Universitário CESMAC (CESMAC) https://orcid.org/0000-0002-1258-0845
  • Carla Santana Mariano Campos Sobral Centro Universitário CESMAC (CESMAC)

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde

Resumo

O câncer de colo de útero possui alta relevância social no Brasil, especialmente nas regiões norte e nordeste, que se destacam das demais por liderarem a incidência e mortalidade da doença. Na Atenção Primária à Saúde (APS), há a combinação da prevenção tanto primária quanto secundária: vacinação contra os principais subtipos oncogênicos do papilomavírus humano (HPV), distribuição de preservativos e a coleta do papanicolau. Objetivou-se discutir a relevância da representação da junção escamo-colunar (JEC) nos esfregaços cérvico-vaginal para rastreamento de colo de útero. Foi realizada busca literária em diretrizes de ginecologia e base de dados da Scielo, sob os descritores: “neoplasias do colo do útero” AND “citologia”, sendo resgatados 11 artigos dos últimos 11 anos. As diretrizes para o rastreamento do câncer de colo de útero orientam o uso concomitante da espátula de Ayre e escova endocervical na coleta da colpocitologia oncótica, pois eleva a cobertura de células da junção escamo-colunar (JEC), e essa estratégia torna a amostra não somente satisfatória, mas também, de fato, representativa, visto que na JEC se encontra a quase totalidade dos cânceres do colo uterino. Desde a última revisão e atualização do sistema Bethesda, ocorrida em 2014, os resultados do Papanicolau descrevem as amostras como satisfatória ou insatisfatória, além de descrever os epitélios representados, podendo ser eles escamoso, glandular e/ou metaplásico, desse modo, um laudo satisfatório que contenha apenas epitélio escamoso não comporta o indicador de qualidade da coleta (JEC) e demanda avaliação do médico assistente. Por fim, salienta-se, sobretudo, a estima da boa técnica durante coleta amostral para o esfregaço cérvico-vaginal, seguida de análise cautelosa do resultado citopatológico na APS por médicos e enfermeiros, levando em consideração o indicador de qualidade, visando realizar um rastreamento efetivo das neoplasias de colo de útero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Carolina Malheiros de Souza, Centro Universitário CESMAC (CESMAC)

Médica residente em medicina de família e comunidade pelo Centro Universitário CESMAC.

Maria Deysiane Porto Araujo, Centro Universitário CESMAC (CESMAC)

Médica, Especialista e Mestre em Saúde da família.

Carla Santana Mariano Campos Sobral, Centro Universitário CESMAC (CESMAC)

Médica com especialização em Medicina da Família e supervisora do programa de Residência Médica em Medicina da Família e Comunidade do Centro Universitário CESMAC.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Edição

Seção

Resumos