Transmissão materno-fetal de SARS-CoV-2: um estudo de revisão

Autores

  • Otávio Diniz de Araújo Furtado Universidade Federal de Juiz de Fora – Câmpus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV) https://orcid.org/0000-0002-1011-9801
  • Yara de Oliveira Pena Universidade Federal de Juiz de Fora – Câmpus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV) https://orcid.org/0000-0001-9038-1940
  • Bianca Sanches Braga Coelho Universidade Federal de Juiz de Fora – Câmpus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV) https://orcid.org/0000-0003-2734-165X
  • Fernanda Lima Marçal Universidade Federal de Juiz de Fora – Câmpus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV) https://orcid.org/0000-0003-0257-6460
  • Milena de Oliveira Simões Universidade Federal de Juiz de Fora – Câmpus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV)

Palavras-chave:

Medicina baseada em evidência, Atenção Primária à Saúde, Pandemia, Infecção por coronavírus, Saúde neonatal

Resumo

Em dezembro de 2019, surgiu em Wuhan (China), o novo coronavírus (SARS-CoV-2), causador da COVID-19 (Síndrome Respiratória Aguda Grave). Rapidamente, o vírus desencadeou uma pandemia. O atual debate da medicina perinatal é a possibilidade da transmissão materno-fetal do vírus via transplacentária. Como objetivo, buscou-se analisar dados epidemiológicos disponíveis na literatura acerca da contaminação transversal de mães e neonatos por SARS-CoV-2. Como metodologia, realizou-se uma revisão descritiva de artigos publicados na base de dados PubMed, através dos descritores “maternal-infant transmission” e  “coronavirus disease”. Como critério de inclusão, utilizou-se estudos em inglês, dos últimos cinco anos, que discorriam sobre a transmissão materno-infantil do SARS-CoV-2. Dos oito artigos encontrados, excluíram-se três que não abordavam a temática. Acerca dos resultados e discussão, em estudo realizado na China, com 19 neonatos de mães diagnosticadas com COVID-19, em períodos tardios da gestação, constatou-se ausência de sintomas clínicos nos recém-nascidos, bem como a ausência do vírus nas análises do cordão umbilical e do líquido amniótico. Entretanto, dois estudos realizados nos Estados Unidos, com gestantes infectadas por SARS-CoV-2, em períodos próximos ao parto, apontaram para a presença do vírus nas células placentárias, em casos mais severos da COVID-19. Todavia, nenhum dos recém-nascidos testou positivo para a doença. Ainda, em um dos maiores estudos desenvolvidos na China, com gestantes infectadas por SARS-CoV-2, observou-se que, dos 33 bebês nascidos de mães COVID-19 positivas, três (11%) testaram positivo para a doença. Em adição, dois estudos realizados com recém-nascidos de mães infectadas por SARS-CoV-2 em Wuhan, descreveram três casos de neonatos com sorologias IgM e IgG anti-SARS-CoV-2 positivas, sugerindo exposição fetal ao vírus. Em conclusão, verificou-se que a possibilidade de transmissão materno-fetal de SARS-CoV-2 permanece em discussão. Dessa forma, deve-se enfatizar a importância das medidas de prevenção, principalmente em estágios tardios da gestação, já que não há uma compreensão clara acerca do curso da infecção e suas consequências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Otávio Diniz de Araújo Furtado, Universidade Federal de Juiz de Fora – Câmpus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV)

Discente, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Juiz de Fora – Campus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV)

Yara de Oliveira Pena, Universidade Federal de Juiz de Fora – Câmpus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV)

Discente, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Juiz de Fora – Campus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV)

Bianca Sanches Braga Coelho, Universidade Federal de Juiz de Fora – Câmpus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV)

Discente, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Juiz de Fora – Campus avançado de Governador Valadares (UFJF-GV)

Fernanda Lima Marçal, Universidade Federal de Juiz de Fora – Câmpus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV)

Discente, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Juiz de Fora – Campus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV)

Milena de Oliveira Simões, Universidade Federal de Juiz de Fora – Câmpus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV)

Docente, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Juiz de Fora – Campus Avançado de Governador Valadares (UFJF-GV)

Downloads

Publicado

2021-06-01

Edição

Seção

Resumos