DETECÇÃO PRECOCE DO CÂNCER DE MAMA: COMO ATUAM OS ENFERMEIROS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE?

  • Yonna Costa Barbosa Universidade Federal do Maranhão
  • Poliana Pereira Costa Rabêlo Universidade Federal do Maranhão.
  • Maria Ísis Freire de Aguiar Universidade Federal do Ceará.
  • Patrícia Ribeiro Azevedo Universidade Federal do Maranhão.
  • Larissa Siqueira Lima Cortês Universidade Estadual do Maranhão.
Palavras-chave: Detecção Precoce de Câncer, Neoplasias da Mama, Enfermeiras e Enfermeiros, Atenção Primária à Saúde

Resumo

Objetivo: investigar as ações para o controle do câncer de mama desenvolvidas por enfermeiros da Estratégia Saúde da Família em uma capital do Nordeste brasileiro. Casuística e Métodos: estudo transversal, com 80 enfermeiros atuantes na Estratégia da Saúde da Família, entre novembro de 2012 e junho de 2013. Utilizou-se um formulário validado e testado e o programa EPI INFO 2008 versão 3.5.1 para análise descritiva dos dados.  Resultados: os enfermeiros referiram investigar os fatores de riscos para a doença (91%), realizar o Exame Clínico das Mamas (96,3%), e solicitar mamografia (51,3%). Observou-se falta de familiaridade com os fatores de alto risco e das indicações de realização dos exames de detecção precoce. As ações em sua maioria não são planejadas de forma sistemática e se restringem ao momento do exame de Papanicolaou. Conclusão: constatou-se que há ações que divergem das recomendações do Ministério da Saúde, assim há necessidade de capacitação profissional.

Biografia do Autor

Yonna Costa Barbosa, Universidade Federal do Maranhão

Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva. Departamento de Saúde Pública. Universidade Federal do Maranhão. Enfermeira da Estratégia Saúde da Família.

Poliana Pereira Costa Rabêlo, Universidade Federal do Maranhão.
Professora. Departamento de Enfermagem. Universidade Federal do Maranhão.
Maria Ísis Freire de Aguiar, Universidade Federal do Ceará.
Professora, Departamento de Enfermagem, Universidade Federal do Ceará.
Patrícia Ribeiro Azevedo, Universidade Federal do Maranhão.
Professora. Departamento de Enfermagem. Universidade Federal do Maranhão.
Larissa Siqueira Lima Cortês, Universidade Estadual do Maranhão.
Pós-Graduação em Gestão em Saúde. Universidade Estadual do Maranhão. Enfermeira da Estratégia Saúde da Família.
Publicado
2019-01-30
Seção
Artigos Originais