Contribuições de um sistema tecnológico para a construção de ecomapas na atenção aos usuários hipertensos e diabéticos: estudo de caso com equipes NASF

  • Kesia Valentim do Nascimento Duarte Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE
  • Alexandro dos Santos Machado Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • Eduarda Angela Pessoa Cesse Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE
  • Hassyla Maria de Carvalho Bezerra Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE
  • Maria Bernadete Ribeiro Chagas Instituto Aggeu Magalhães- IAM FIOCRUZ PE
  • Eduardo Maia Freese de Carvalho Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE
Palavras-chave: Mapeamento geográfico, Tecnologia, Atenção Primária à Saúde, Hipertensão, Diabetes.

Resumo

O mapeamento de redes, apoios sociais e ligações da família com a comunidade possibilita um olhar clínico ampliado no âmbito da Atenção Básica e consequentemente novas abordagens terapêuticas. Ferramentas tecnológicas podem ser agregadas ao processo de trabalho de equipes multiprofissionais para a construção de ecomapas. Estes possibilitam uma melhor compreensão dos territórios em saúde, contribuindo para recomendações que sejam além das mudanças de hábitos de vida de usuários portadores de doenças crônicas. O objetivo desse estudo foi analisar as contribuições de um sistema tecnológico para a construção de Ecomapas por profissionais do Nasf na atenção aos usuários hipertensos e/ou diabéticos. Trata-se de um estudo de caso experimental sobre o uso do aplicativo HCmaps pelos profissionais do NASF do Distrito Sanitário I, do município de Recife/PE. Os profissionais utilizaram o HCmaps para identificar fatores ambientais que interferem na alimentação e atividade física de usuários hipertensos e diabéticos. Posteriormente foram submetidos a entrevistas semiestruturadas, analisadas por meio da técnica de análise de discurso. Os entrevistados consideraram o uso do HCmaps como potencializador e facilitador do seu processo de trabalho no NASF, na medida em permite o (re)conhecimento do território. Foi possível também conceber uma nova forma de construir e interpretar Ecomapas, proporcionando que se tornasse em “Ecomapas vivos”.  

Biografia do Autor

Kesia Valentim do Nascimento Duarte, Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE

Mestranda em Saúde Pública no Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública do Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE

Especialista em Saúde Coletiva pelo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva do Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE

Bacharelado em Enfermagem pelo Centro Universitário Maurício de Nassau - UNINASSAU

Alexandro dos Santos Machado, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Professor Adjunto da Universidade Federal de Pernambuco Campus Vitória de Santo Antão-Departamento de Saúde Coletiva, Pernambuco/Brasil
Eduarda Angela Pessoa Cesse, Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE
Pesquisadora Titular do Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE.
Hassyla Maria de Carvalho Bezerra, Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE

Mestranda em Saúde Pública no Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública do Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE

Especialista em Saúde Coletiva pelo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva do Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE

Especialista em Gestão em Saúde- UNIVASF
Especialista em Educação Ambiental - URCA

Bacharelado em Enfermagem - FJN

Licenciatura em Biologia - URCA
Maria Bernadete Ribeiro Chagas, Instituto Aggeu Magalhães- IAM FIOCRUZ PE
Licenciatura Plena em Ciência Habilitação em Biologia - FUNESO
Eduardo Maia Freese de Carvalho, Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE
Pesquisador Titular do Instituto Aggeu Magalhães - IAM FIOCRUZ PE
Publicado
2020-01-24
Seção
Artigos Originais