DAS MARGENS À MARGEM

As Colonialidades do Poder, Ser e Saber e as Trabalhadora Domésticas Pretas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-6151.2023.v20.41303

Palavras-chave:

Colonialidade, Decolonialidade, Epistemologias do Sul, Trabalhadoras Domésticas, Trabalho Análogo à Escravidão

Resumo

Com vistas a ampliar discussões relativas aos estudos da Colonialidade e Decolonialidade na disciplina  Ciência  da  Religião  no  Brasil,  este  artigo  objetiva  responder  a  seguinte questão: como se articulam as questões da Colonialidade do Poder, Ser e Saber e o caso retratado no podcast A Mulher da Casa Abandonada? Para tal, por meio de uma pesquisa bibliográfica, o início se voltará para a compreensão da Colonialidade e suas faces, com foco na relação entre os europeus invasores, os povos originários de Abya Ayala e os povos do continente africano. A seguir serão articulados os dados obtidos no início do texto com o caso do podcast e a condição de trabalho doméstico das mulheres pretas no país. Por fim,  serão  traçados breves intuições relativas às Teorias Descoloniais, necessárias para que haja uma inversão no mapa imaginário que coloca o Norte acima do Sul, em uma relação hierárquica de opostos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thais Fernandes do Amaral, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Mestranda em Ciências da Religião pelo Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, licenciada em Pedagogia com Aprofundamento em Ensino Religioso pela mesma instituição. Atualmente dedica-se à pesquisa sobre espiritualidade não religiosa, ou espiritualidade laica, atravessada por questões relativas à prática cinéfila. Membra do grupo de pesquisa Religião e Cultura da PUC – Minas. Professora de Ensino Religioso da rede estadual de Belo Horizonte. https://orcid.org/0000-0002-4541-1861.  thais77fa@hotmail.com.br .

Referências

AJAYI, J. F. Ade. História geral da África, VI: África do século XIX à década de 1880. Brasília : UNESCO, 2010

ALMEIDA, Eliene Amorim; SILVA, Janssen Felipe. Abya Yala Como Território Epistêmico: Pensamento Decolonial Como Perspectiva Teórica. Revista Interritórios, n. 1, Caruaru, p. 42-64.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbcpol/a/DxkN3kQ3XdYYPbwwXH55jhv/abstract/?lang=pt. Acesso em 21 de mar. 2023.

BAPTISTA, Paulo Agostinho Nogueira. Pensamento Decolonial ,Teologias Pós - Coloniais E Teologia Da Libertação. Perspectiva Teologica, Belo Horizonte,v.48, n.3, p.491-517,set

./dez. 2016.

BENEDICTO, Taba. QUARTO DE ESQUECER - Um ensaio fotográfico sobre as dependências de empregadas. Disponível em: https://piaui.folha.uol.com.br/materia/quarto-de-esquecer/. Acesso em 22 de mar. 2023.

BORGES, Cristina. Colonialidade do Ser e Sustentação do Racismo: Entendimento à Luz de Nélson Maldonado-Torres. VI Congresso de Desenvolvimento Pessoal.

BORGES, Cristina. BAPTISTA, Paulo Agostinho Nogueira. Entender o passado e falar do presente: aportes a um Ensino Religioso descolonizador e pós-colonial. Numen: revista de estudos e pesquisa da religião, Juiz de Fora, v. 23, n.2, jul./dez. 2020, p. 21-38.

CAVALLO, Gonzalo Aguilar. Conhecimentos ecológicos indígenas e recursos naturais: a descolonização inacabada. Estudos Avançados, n. 34, 2018.

COSTA, Joana Simões de Melo; BARBOSA, Ana Luísa Neves de Holanda; HIRATA, Guilherme. Efeitos da Ampliação dos Direitos Trabalhistas Sobre a Formalização, Jornada de Trabalho e Salários das Empregadas Domésticas. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Brasília : Rio de Janeiro, 2016.

DUSSEL, Enrique. Ética da Libertação na idade da globalização e da exclusão. 3. ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007.

ELZA SOARES. A carne.Universal Music: 2002. 4 min.

FANTÁSTICO. Fantástico mostra novos detalhes da história de Margarida Bonetti, a 'mulher da casa abandonada'. Disponível em: https://g1.globo.com/fantastico/noticia/2022/08/07/fantastico-mostra-novos-detalhes-da-historia-de-margarida-bonetti-a-mulher-da-casa-abandonada.ghtml. Acesso em 18 de mar. 2023.

GÓMEZ-QUINTERO, Juan David. La colonialidad del ser y del saber: la mitologización del desarrollo en América Latina. AGO.USB Medellin-Colombia, v. 10, n. 1, p. 1-276

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/. Acesso em 19 de jul. 2022.

JESUS, Carolina Maria. Quarto de Despejo: diário de uma favelada. 10. ed. São Paulo: Ática, 2014.

MACEDO, Gabriela. BRITO, Letícia. Mais de 200 trabalhadores são resgatados em condições análogas à escravidão, em Goiás. Disponível em: https://g1.globo.com/go/goias/noticia/2023/03/17/mais-de-200-trabalhadores-sao-resgatados-em-condicoes-analogas-a-escravidao-em-goias.ghtml. Acesso em 19 de mar. 2023.

MALDONADO-TORRES, Nelson. A topologia do Ser e a geopolítica do conhecimento. Modernidade, império e colonialidade. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 80, 2008, p. 71-114.

MALDONALDO-TORRES, Nelson . Sobre la colonialidad del ser: contribuciones al desarrollo de un concepto. In: CASTRO-GÓMES, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón. El giro decolonial. Reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá. Siglo del Hombre Editores; Universidad Central; Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos y Pontificia Universidad Javeriana; Instituto Pensar; 2007.

MENESES, Gerson Galo Ledezma. Novos Olhares Sobre a História de Abya-Yala (América Latina): A Construção dos "Outros", A Colonialidade do ser e a Relação com a Natureza. In. Narrativas Insurgentes: decolonizando conhecimentos e entrelaçando mundos. Florianópolis, SC: Rocha Gráfica e Editora, 2020.

MIGNOLO, Walter. Histórias Locais / Projeto Globais - Colonialidade, Saberes Subalternos. São Paulo: Editora Humanitas, 2003.

OLIVA, Anderson. As faces de Exu: representações européias acerca da cosmologia dos orixás na África Ocidental. Disponível em: <https://upis.br/biblioteca/pdf/revistas/revista_multipla/multipla18.pdf>. Acesso em: 20 de jul. 2022.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. Entre América e Abya Yala – Tensões de Territorialidades. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/made/article/view/16231. Acesso em 20 de mar. 2023.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad Del Poder, Globalización y Democracia. Disponível em: https://www.rrojasdatabank.info/pfpc/quijan02.pdf. Acesso em 19 de mar. 2023.

SAKAMOTO, Leonardo. Metade dos resgates de trabalho escravo doméstico ocorre em capitais. Disponível em: <https://noticias.uol.com.br/colunas/leonardo-sakamoto/2022/05/15/metade-dos-resgates-de-trabalho-escravo-domestico-ocorrem-em-capitais.htm#:~:text=Metade%20das%20pessoas%20resgatadas%20do,dos%20quais%2019%20em%20capitais.>. Acesso em: 20 de jul. 2022.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Toward a New Common Sense: Law, Science and Politics in the Paradigmatic Transition. Nova Iorque: Routledge, 1995. p. 479-519.

SILVA, Fabrício Pereira; BALTAR Paula; LOURENÇO, Beatriz. Colonialidade do Saber, Dependência Epistêmica e os Limites do Conceito de Democracia na América Latina. Revista de Estudos e Pesquisas sobre as Américas, v.12 n.1, 2018.

STREVA, Juliana Moreira. Colonialidade do ser e Corporalidade: o Racismo Brasileiro por uma Lente Descolonial. Revista Antropolítica, n. 40, Niterói, p.20-53. 2016.

VENTURA, Manoel. Guedes diz que dólar alto é bom: "empregada doméstica estava indo para Disney, uma festa danada". Disponível em: <https://oglobo.globo.com/economia/guedes-diz-que-dolar-alto-bom-empregada-domestica-estava-indo-para-disney-uma-festa-danada-24245365>. Acesso em: 18 de jul. 2022.

Downloads

Publicado

2023-08-18

Como Citar

DO AMARAL, T. F. DAS MARGENS À MARGEM: As Colonialidades do Poder, Ser e Saber e as Trabalhadora Domésticas Pretas. Sacrilegens , [S. l.], v. 20, n. 1, 2023. DOI: 10.34019/2237-6151.2023.v20.41303. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/41303. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Modernidade e Religião