Os sagrados subalternos

Possibilidade Epistemológica

Autores

  • Eduardo Ribeiro UFJF

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-6151.2023.v20.41256

Palavras-chave:

-colonialismo. Subalterno. Identidade. Estereotipo. Alteridade.

Resumo

No presente artigo, objetiva-se defender uma epistemologia do sagrado subalterno, dialogando com uma epistemologia pós-colonial, a partir da ótica da subalternidade, e não somente através da modernidade. Dessa forma, abre-se espaço para que outros sagrados, independentemente dos discursos, possam ser ouvidos e, de forma mais razoável, entendidos. Pretende-se, então, sob a ótica da alteridade, postular a valorização de três perspectivas: das produções literárias, das identidades e da religiosidade do outro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BERGER, Peter L. Em favor da dúvida: como ter convicções sem se tornar fanático. Tradução de Cristina Yamagami. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

_____. Os múltiplos altares da modernidade rumo a um paradigma da religião numa época pluralista. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

BHABHA, Homi K. O Local da Cultura. Tradução de Myriam Ávila, et al. 2ª. ed. Belo Horizonte, Editora UFMG, 2014.

_____. A Questão do Outro: diferença, discriminação e o discurso do colonialismo. In: HOLLANDA, Heloisa Buarque (Orgs.). Pós-Modernismo e Política. Rio de Janeiro: Rocco, 1992, p. 177-203.

BIBLIA, NTLH, Bíblia de Estudo – Nova tradução da linguagem de hoje (NTLH). Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2012, p. 1792.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. 7ª. ed. São Paulo: Perspectiva, 2011.

DELEUZE, G. e GUATTARI, F. 1997. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Vol. 5. Rio de Janeiro: Ed. 34.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciado em 02 de dezembro de 1970. 24º. Edição – São Paulo: Editora Loyola, 2014.

GEERTZ, C. Nova Luz Sobre a Antropologia. Rio de Janeiro. Jorge Zahaz, Ed., 2001.

GRESCHAT, Hans-Jürgen. O que é Ciência da Religião. São Paulo: Paulinas, 2005.

_____. Da Diáspora: Identidade e Mediações Culturais. Belo Horizonte, Editora UFMG, 2003.

_____. O Ocidente e o Resto: Discurso e Poder. Projeto História, São Paulo, n. 56, p. 314-361, 2016.

LATUOR, Bruno. Reflexão sobre o culto moderno dos deuses fe(i)tiches. Ed. Edusc, 2002.

_____. Jamais Fomos Modernos: ensaio de antropologia simétrica. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1994.

MARX, Karl; ENGELS, Friedich. Manifesto do partido comunista. 3. ed. São Paulo: Sundermann 2017, p. 70.

NOGUEIRA, Sidnei. A verdade sobre a intolerância religiosa é branca: mais um dos tentáculos do racismo. In: Carneiro, Sueli. Intolerância Religiosa, Feminismo Plurais. São Paulo: Jandaira [Pólen], 2020, p 160.

SAID, Edward W. Cultura e Imperialismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

_____. Cultura e política. São Paulo: Bomtempo, 2003.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o Subalterno Falar? Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

Downloads

Publicado

2023-08-18

Como Citar

RIBEIRO, E. Os sagrados subalternos: Possibilidade Epistemológica . Sacrilegens , [S. l.], v. 20, n. 1, 2023. DOI: 10.34019/2237-6151.2023.v20.41256. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/41256. Acesso em: 22 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Modernidade e Religião