O Comunismo, a Esquerda e a Família na Folha Universal no ano eleitoral de 2022

Autores

  • Isadora Almendagna Universidade Federal de Viçosa
  • Fabrício Oliveira Universidade Federal de Viçosa
  • Deivit Leite Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-6151.2023.v20.40767

Palavras-chave:

Folha Universal, Comunismo, Família, Esquerda, Partido dos Trabalhadores

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar uma análise das edições do jornal “Folha Universal” - mídia física e online da Igreja Universal do Reino de Deus – lançadas entre janeiro e outubro de 2022. O foco da análise é o posicionamento político do jornal frente às pautas ligadas ao comunismo, à esquerda e à família, temas muito mobilizados no contexto eleitoral. O estudo, sobretudo dos editoriais e da seção “Panorama”, evidencia a sustentação  de pautas morais alinhadas ao posicionamento político de Jair Bolsonaro, como a defesa da família tradicional cristã e a luta contra a “ideologia de gênero”. Sob o manto da retórica religiosa, a instituição empenhou-se na produção da imagem “diabólica” da esquerda - diametralmente oposta à chamada “direita cristã” -, e divulgou alertas sobre o “risco” da instauração do comunismo no país com a volta de Luiz Inácio Lula da Silva e do Partido dos Trabalhadores ao poder. Desta maneira, o pânico moral foi politicamente instrumentalizado e difundido pela IURD, através da Folha Universal, para impulsionar sua “base militante” na defesa da candidatura de Bolsonaro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabrício Oliveira, Universidade Federal de Viçosa

Possui graduação em Historia pela Universidade Federal de Ouro Preto (2002), mestrado em Extensão Rural pela Universidade Federal de Viçosa (2005) e doutorado em Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2012). É professor da Universidade Federal de Viçosa. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia da Religião e Sociologia dos Movimentos Sociais, atuando principalmente nos seguintes temas: religião e política, história oral e movimentos sociais e ensino de sociologia.

Referências

CAMURÇA, Marcelo. Religião, política e espaço público no Brasil: perspectiva histórico/sociológica e a conjuntura das eleições presidenciais de 2018. In: Estudos de Sociologia, Recife, 2019, vol. 2 n. 25, p. 125-159.

CARRANZA, Brenda. Evangélicos: o novo ator político. Novo ativismo político no Brasil: os evangélicos do século XXI. Rio de Janeiro: Konrad Adenauer Stiftung, p. 171-192, 2020.

CHALOUB, Jorge, LIMA, Pedro, PERLATTO, Fernando (2018). Direitas no Brasil contemporâneo. Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. Juiz de Fora, v. 13 n. 2.

DA SILVA, Wellington Teodoro; SUGAMOSTO, Alexandre; ARAUJO, Uriel Irigaray. Cultural Marxism in Brazil: origins and developments of a conservative theory. Cult. relig., Iquique , v. 15, n. 1, p. 180-222, June 2021 . Available from <http://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0718-47272021000100180&lng=en&nrm=iso>. access on 27 Feb. 2023. http://dx.doi.org/10.4067/S0718-47272021000100180.

MARIANO, Ricardo; GERARDI, Dirceu. Apoio evangélico a Bolsonaro: antipetismo e sacralização da direita. In: Novo ativismo político no Brasil: os evangélicos do século XXI. Organização de José Luis Pérez Guadalupe e Brenda Carranza. Rio de Janeiro: Konrad Adenauer Stiftung, 2020.

MARIANO, R. Expansão pentecostal no Brasil: o caso da Igreja Universal. Estudos Avançados, [S. l.], v. 18, n. 52, p. 121-138, 2004. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/10028. Acesso em: 2 mar. 2023.

MARTINO, Luís Mauro Sá. Mídia, religião e sociedade: das palavras às redes digitais. Pia Sociedade de São Paulo-Editora Paulus, 2017.

Mont'Alverne; Marques. A opinião da empresa no Jornalismo Brasileiro: Um estudo sobre a função e a influência política dos editoriais. Revista Estudos em Jornalismo e Mídia, Florianópolis, v. 12, n. 1, p. 121-137, jan-jun, 2015.

MOUFFE, Chantal. Sobre o Político. Tradução de Fernando Santos. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2015.

NOVAES, Regina Reys. Crenças religiosas e concepções políticas: fronteiras e passagens. In: FRIDMAN, Carlos. Política e Cultura: século XXI. Rio de Janeiro: Editora Relume Dumará, 2002.

OLIVEIRA, Fabrício Roberto Costa. MARTINS, Caio César Nogueira. O discurso eleitoral da Igreja Universal do Reino de Deus e a ascensão de Bolsonaro. Plural, [S. l.], v. 28, n. 1, p. 237-258, 2021. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/plural/article/view/176735. Acesso em: 15 ago. 2022.

PIERUCCI, A F O. Representantes de deus em Brasília: a bancada evangélica na constituinte. Ciências Sociais Hoje, n. 11, p. 104-32, 1989. Acesso em: 02 mar. 2023.

PRANDI, Reginaldo; SANTOS, Renan W. dos; BONATO, Massimo. Igrejas evangélicas como máquinas eleitorais no Brasil. Revista USP, São Paulo, n. 120, p. 43-60, janeiro/fevereiro/março 2019. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/155530. Acesso em: 8/08/2022.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1985.

PAULA, Tiago Franco de; As eleições entre o bem e o mal: uma análise comparada entre os discursos da Igreja Universal e de Jair Bolsonaro sobre a moralidade pública no pleito de 2018. In: Sacrilegens, Juiz de Fora, v.19, n. 1, p. 82-107, jan-jun/2022.

Downloads

Publicado

2023-08-18

Como Citar

ALMENDAGNA, I.; COSTA OLIVEIRA, F. R.; DA SILVA LEITE, D. H. O Comunismo, a Esquerda e a Família na Folha Universal no ano eleitoral de 2022. Sacrilegens , [S. l.], v. 20, n. 1, 2023. DOI: 10.34019/2237-6151.2023.v20.40767. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/40767. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Modernidade e Religião