A construção da noção de divindade de Jesus: uma perspectiva baseada na interpretação de Mc 14:61-62, Mt 26:63-64 e Lc 22:67-70

Autores

  • Daniel Salomão Silva UFJF

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-6151.2022.v19.39082

Palavras-chave:

Ressurreição, Filho do Homem, Divinização de Jesus

Resumo

A perícope destacada reúne três dos futuros títulos cristológicos, “Filho de Deus”, “Cristo”/“Messias” e “Filho do homem”. Se os dois primeiros destacam a especialidade de Jesus, o terceiro, associada à figura de Dn 7, chama atenção para sua condição celestial, divinizada. Jesus tem sido relacionado ao Filho do Homem apocalíptico apenas em seu futuro e esperado retorno à terra, contudo, é possível associá-lo já em sua condição ressuscitada, não em um corpo de carne, mas em um corpo que se assemelhe ao desse ser pré-existente. Compreendendo a ressurreição de Jesus nesses moldes, a partir das próprias bases judaicas, sua identificação ao Filho do Homem celestial se torna mais coerente, o que o coloca em posição divinizada ainda antes das construções teológicas dos séculos seguintes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

FONTES:

APÓCRIFOS E PSEUDOEPÍGRAFOS DA BÍBLIA. v. 1 e 2, São Paulo: Fonte Editorial, 2005.

BÍBLIA DE JERUSALÉM. Nova edição, revista e ampliada. São Paulo: Paulus, 2012.

AUTORES:

BERGER, Klaus. As formas literárias do Novo Testamento. São Paulo: Loyola, 1998.

BERGER, Klaus. Hermenêutica do Novo Testamento. 3a ed., São Leopoldo: Sinodal, 2008.

BERGER, Klaus. Psicologia histórica do Novo Testamento. São Paulo: Paulus, 2011.

BORG, Marcus J.; CROSSAN, John Dominic. A última semana. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2006.

CHARLESWORTH, James H. Jesus dentro do Judaísmo: novas revelações a partir de estimulantes descobertas arqueológicas. 3a ed., Rio de Janeiro: Imago, 1992.

COLLINS, John J. Escatologia apocalíptica como a transcendência da morte. In: NOGUEIRA, Paulo Augusto de Souza (org.). Religião de visionários – apocalíptica e misticismo no cristianismo primitivo. São Paulo: Loyola, 2005, p. 81-110.

COLLINS, John J. A imaginação apocalíptica: uma introdução à literatura apocalíptica judaica. São Paulo: Paulus, 2010.

CRISTOFANI, José Roberto. O Filho do Homem no judaísmo e no cristianismo. São Paulo: Boa Nova Educacional, 2014.

CROSSAN, John Dominic. Jesus: uma biografia revolucionária. Rio de Janeiro: Imago, 1995.

CROSSAN, John Dominic; REED, Jonathan L. Em busca de Jesus: debaixo das pedras, atrás dos textos. São Paulo: Paulinas, 2007.

CROSSAN, John Dominic. The Historical Jesus: the life of a mediterranean jewish peasant. New York: Harper One, 1991.

CROSSAN, John Dominic; BORG, Marcus J. A última semana. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.

DOBRORUKA. Vicente. Experiência visionária e transe na apocalíptica do Segundo Templo. In: NOGUEIRA, Paulo Augusto de Souza (org.). Religião de visionários – apocalíptica e misticismo no cristianismo primitivo. São Paulo: Loyola, 2005, p. 57-80.

EHRMAN, Bart D. Como Jesus se tornou Deus. São Paulo: Leya, 2014.

FLUSSER, David. Jesus. São Paulo: Perspectiva, 2010.

GINZBURG, Carlo. O fio e os rastros. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

GOTTWALD, Norman K. Introdução socioliterária à Bíblia Hebraica. São Paulo: Paulus, 1998.

GUNNEWEG, Antonius H. J. História de Israel: dos primórdios até Bar Kochba e de Teodor Herzl até os nossos dias. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

GUTTMANN, Julius. A Filosofia do judaísmo: a história da Filosofia Judaica desde os tempos bíblicos até Franz Rosenzweig. São Paulo: Perspectiva, 2003

HANSON, Paul D. The dawn of apocalyptic. Philadelphia: Fortress Press, 1975.

HORSLEY, Richard A. Arqueologia, história e sociedade na Galileia: o contexto social de Jesus e dos rabis. São Paulo: Paulus, 2000.

HORSLEY, Richard; HANSON, John S. Bandidos, profetas e messias: movimentos populares no tempo de Jesus. São Paulo: Paulus, 1995.

HURTADO, Larry W. Senhor Jesus Cristo: devoção a Jesus no cristianismo primitivo. Santo André: Academia Cristã/Paulus, 2012.

IZIDORO, José Luiz. Linguagem e narrativas sagradas e as novas abordagens epistemológicas para as identidades religiosas. VOICES - Theological Journal of EATWOT (The new Biblical Archaeological Paradigm), v. XXXVIII 2015/3-4, Montreal: Dunamis Publishers, 2015, pp. 165 a 183.

KOESTER, Helmut. Introdução ao Novo Testamento, volume 1: história, cultura e religião no período helenístico. 3a ed., São Paulo: Paulus, 2005a.

KOESTER, Helmut. Introdução ao Novo Testamento, volume 2: história e literatura do cristianismo primitivo. 3a ed., São Paulo: Paulus, 2005b.

MACK, Burton L. The lost gospel: the Book of Q and Christian Origins. New York: Harper One, 1993.

MATERA, Frank J. Cristologia narrativa do Novo Testamento. Petrópolis: Vozes, 2003.

MEIER, John P. Um judeu marginal: repensando o Jesus histórico. Rio de Janeiro: Imago, 1992, v. 1.

MEIER, John P. Um judeu marginal: repensando o Jesus histórico. Rio de Janeiro: Imago, 1996, v. 2, l. 1.

NICKELSBURG, George W. E. Literatura judaica, entre a Bíblia e a Mixná. São Paulo: Paulus, 2011.

NOGUEIRA, Paulo Augusto de Souza. Religião de visionários – o cristianismo primitivo relido a partir de sua experiência fundante. In: NOGUEIRA, Paulo Augusto de Souza (org.). Religião de visionários – apocalíptica e misticismo no cristianismo primitivo. São Paulo: Loyola, 2005, p. 13-42.

NOGUEIRA, Paulo Augusto de Souza. Narrativa e cultura popular no cristianismo primitivo. São Paulo: Paulus, 2018.

OTTERMANN, Monika; LECH, Leszek. Viagens extáticas entre o sétimo céu e os quintos do inferno – a Ascensão de Isaías e o Apocalipse de Pedro. In: NOGUEIRA, Paulo Augusto de Souza (org.). Religião de visionários – apocalíptica e misticismo no cristianismo primitivo. São Paulo: Loyola, 2005, p. 297-340.

NOGUEIRA, Paulo Augusto de Souza. Religião e poder no cristianismo primitivo. São Paulo: Paulus, 2020.

ROWLAND, Christopher Charles. A realização profética das Escrituras: a dinâmica da experiência visionária. In: NOGUEIRA, Paulo Augusto de Souza (org.). Religião de visionários – apocalíptica e misticismo no cristianismo primitivo. São Paulo: Loyola, 2005, p. 43-56.

SEGAL, Alan F. Paulo, o convertido: apostolado e apostasia de Saulo fariseu. São Paulo: Paulus, 2010.

SICRE, José Luis. Profetismo em Israel: o profeta, os profetas, a mensagem. 3a ed., Petrópolis: Vozes, 2008.

SILVA, Daniel Salomão. A construção da noção de divindade de Jesus: uma perspectiva baseada na interpretação de Mc 14:61-62, Mt 26:63-64 e Lc 22:67-70. Dissertação de Mestrado. Juiz de Fora: UFJF, 2022.

SIMON, Marcel; BENOIT, André. Judaísmo e cristianismo antigo: de Antíoco Epifânio a Constantino. São Paulo: EDUSP/Pioneira, 1987.

SUETÔNIO. A vida dos doze césares. São Paulo: Martin Claret, 2012.

THEISSEN, Gerd; MERZ, Anette. O Jesus Histórico: um manual. 2a ed, São Paulo: Edições Loyola, 2004.

THEISSEN, Gerd. O Novo Testamento. Petrópolis: Vozes, 2007.

THEISSEN, Gerd. O movimento de Jesus: história social de uma revolução de valores. São Paulo: Edições Loyola, 2008.

THEISSEN, Gerd. A religião dos primeiros cristãos: uma teoria do cristianismo primitivo. São Paulo: Paulinas, 2009.

VERMES, Geza. As várias faces de Jesus. Rio de Janeiro: Record, 2006.

VERMES, Geza. A paixão. Rio de Janeiro: Record, 2007.

VERMES, Geza. Ressurreição: história e mito. Rio de Janeiro: Record, 2013.

VERMES, Geza. Jesus e o mundo do Judaísmo. 2a ed., São Paulo: Loyola, 2015.

WRIGHT, Nicholas Thomas. A ressurreição do Filho de Deus. São Paulo: Paulus, 2020.

Downloads

Publicado

2023-01-10

Como Citar

SALOMÃO SILVA, D. A construção da noção de divindade de Jesus: uma perspectiva baseada na interpretação de Mc 14:61-62, Mt 26:63-64 e Lc 22:67-70. Sacrilegens , [S. l.], v. 19, n. 2, 2023. DOI: 10.34019/2237-6151.2022.v19.39082. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/39082. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

Dossiê: Espiritualidades do Mediterrâneo e da Europa no mundo antigo