A festa do sagrado

a importância do Ṣìrẹ́ Òrìṣà para a compreensão do rito de iniciação em adeptos do candomblé na nação Ketu

Autores

  • Willians Antonio Alves Teixeira Damasceno Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-6151.2022.v19.39041

Palavras-chave:

Ṣìrẹ́ Òrìṣà

Resumo

O presente artigo vem analisar a festividade do candomblé conhecida como Ṣírẹ̀ Òrìṣà[1], no intuito de compreender o processo de iniciação de novos membros dentro do candomblé, tanto no sentido sagrado quanto no profano, por meio da cosmogonia dos sistemas simbólicos das narrativas míticas e da ritualização do corpo que caracteriza essa religiosidade. Nessa confraternização cosmogônica, a interpretação do renascimento, tem como intuito a representação do caminho que todos os iniciados têm que percorrer, até chegar a sua forma final transcendente, caracterizado pela energia ancestral. Dentro dessa concepção religiosa, o artigo demonstra como o Ṣírẹ̀ Òrìṣà da iniciação, apresenta para os adeptos da comunidade e para o público em geral, a cosmogênese yoruba do renascimento dentro das fases de crescimento do indivíduo, como forma de reconhecer os elementos sagrado dentro do mundo profano.

 

Palavras-chave: Ṣìrẹ́ Òrìṣà, Oralidade, Terreiro, Candomblé, Iniciação.

 

[1] Significado de “brincar” com o Òrìṣà, representa a festividade pública do candomblé de nação ketu com o intuito de promover a aproximação da comunidade religiosa com a sociedade em geral. Tem como proposito, apresentar o novo iniciado para a sociedade religiosa ou, homenagear algum Òrìṣà em data específica. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

REFERÊNCIAS

AMARAL, Rita. Xirê! Modo de Ver e de Viver no Candomblé. Rio de Janeiro: Pallas, 2005. 119 p.

BARROS, Marcelo (org.); KILEUY, Odé; OXAGUIÃ, Vera. O Candomblé Bem Explicado. Rio de Janeiro: Pallas, 2009. 368 p.

BENISTE, José. Dicionário Yoruba – Português. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011, 820 p.

BERKENBROCK, Volney J. A Experiência dos Orixás: um estudo sobre a experiência religiosa no candomblé. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2012. 470 p.

BOTELHO, Pedro Freire. Ewé Awo: o segredo das folhas no candomblé da Bahia. Educação, Gestão e Sociedade: revista da Faculdade Eça de Queiros. Ano 1, N° 4, 2011, 13 p. disponível em: <http://uniesp.edu.br/sites/_biblioteca/uploads/20170427132906.pdf>. Acesso em: 16 jan. 2022.

ELIADE, Mircea. O Sagrado e o Profano. São Paulo: Martins Fontes, 1992, 109 p.

JUNIOR, Juracy de Arimateia Rosa de. Xirê: troca, fluxo e circulação do axé como forma de manutenção da sociabilidade no candomblé. São Cristóvão: 2018, 128 p. Dissertação de Conclusão de Curso (Mestrado em Ciência da Religião) – Universidade Federal de Sergipe, 2018.

LIMA, Vivaldo da Costa. A Família de Santo nos Candomblés Jejes-Nagôs da Bahia: um estudo de relações intragrupais. Salvador: Corrupio, 2ª ed., 2003, 216 p.

OLIVEIRA, Altair Bento de. O Ẹlẹ́gùn: iniciação no candomblé: feitura de Ìyàwó, Ogán e Ekéjì. 3. ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2009. 103 p.

______. Cantando para os Orixás. 4. Ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2004. 167 p.

PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos Orixás. São Paulo: Companhia das Letras, 2001. 591 p.

RABELO, Mirian C. M.; SANTOS, Rita Maria Brito. Notas Sobre o Aprendizado no Candomblé. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade. Salvador. Jan./jun. 2011, v. 20, n. 35, p. 187-200. Disponível em: <http://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/433/376>. Acesso em: 12 dez. 2016.

RIVIÈRE, Claude. O conteúdo Transcendente das Crenças. In: _______. Socioantropologia das religiões. São Paulo: Ideias e Letras, 2013. p. 99 – 102.

ROCHA, Agenor Miranda. As Nações Ketu: origens, ritos e crenças: os candomblés antigos do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Mauad, 2000. 105 p.

SANTOS, Juliana Elbein dos. Os Nagô e a Morte: Pàde, Àsèsè e o culto Egún na Bahia. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 2012. 280 p.

SILVA, Vagner Gonçalves da. Candomblé e Umbanda: caminhos da devoção brasileira. São Paulo: Selo Negro, 5ª ed., 2005, 149 p.

VERGER, Pierre Fatumbí. Lendas Africanas dos Orixás. 4. ed. Salvador: Corrupio, 1997. 103 p.

______________________. Notas Sobre o Culto dos Orixás e Voduns da Bahia de Todos os Santos, no Brasil e na Antiga Costa dos Escravos, na África. São Paulo: EDUSP, 1999, 613 p.

VOGEL, Arno; MELLO, Marco Antônio da Silva; BARROS, José Flávio Pessoa de. Galinha D’Angola: iniciação e identidade na cultura afro-brasileira. Rio de Janeiro: Pallas, 3ª ed., 2007, 204 p.

Downloads

Publicado

2023-01-10

Como Citar

ALVES TEIXEIRA DAMASCENO, W. A. A festa do sagrado: a importância do Ṣìrẹ́ Òrìṣà para a compreensão do rito de iniciação em adeptos do candomblé na nação Ketu. Sacrilegens , [S. l.], v. 19, n. 2, 2023. DOI: 10.34019/2237-6151.2022.v19.39041. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/39041. Acesso em: 27 jan. 2023.