O Tooro Nagashi no município de Registro (SP): memória e (r)existência étnica

Autores

  • Josué Soares Flores Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-6151.2021.v18.35898

Palavras-chave:

Tooro Nagashi, Mortos, Memória, Japonesidades, Memória Social, Imigração

Resumo

Este artigo tem como objeto de estudo a memória social produzida a partir das inflexões de lembranças dos processos sociais que ocorrem na Festa do Tooro Nagashi, nos dias 01 e 02 de novembro. Ela tem seu nascedouro como experiência do budismo japonês e que, com o surgimento de uma niponicidade marcada por várias japonesidades, ou seja, formas diferentes de apreender o espírito japonês como elemento étnico, identitário e cultural, o Tooro Nagashi é lugar de encontro destas várias japonesidades, da comensalidade pública nipônica, da espiritualidade marcada pela religião japonesa, do passado enquanto história e do futuro enquanto escatologia. O artigo propõe-se a demonstrar que, em todos os processos que ocorrem durante os festejos estão ocorrendo sinapses memoriais nos discursos anamnéticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CENTENÁRIO DA COLONIZAÇÃO JAPONESA NO VALE DO RIBEIRA. Rubens Takeshi Shimizu (coord.). Registro/Iguape/Sete Barras: 2013.

DA SILVA, Aldina Cássia Fernandes. Memória e Identidade: História de vida de imigrantes japoneses de Okinawa. Curitiba: UFPR, tese apresentada ao PPGH, 2018.

FABIAN, Johannes. O Tempo e o Outro - Como a Antropologia estabelece seu objeto. Petrópolis: Vozes, trad. Denise Jardim Duarte, col. Antropologia, 2013.

FUKASAWA, Masayuki. Se o grão de arroz não morre: Colônias de imigrantes japoneses - desvendando onde e como tudo começou. São Paulo: Nikkey Shimbun/Associação Cultural Nipo Brasileira de Registro/Federação das Entidades Nikkeys do Vale do Ribeira, trad. Asucena Hisako Nakagomi, 1ª ed., 2018.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1ª ed., 2008.

MACHADO, Igor José de Renó (org.). Japonesidades multiplicadas – Novos estudos sobre a presença japonesa no Brasil. São Carlos: EdUFSCar, 2011.

MARTINS, José de Souza (org.). A morte e os mortos na sociedade brasileira. São Paulo: HUCITEC, 1983.

NAMER, Gérard. Mémoire et Société. Paris: Méridiens Klincksieck, col. Sociétés, 1987.

NEGRÃO, Marcus Vinícius Nascimento. Iluminando os mortos: um estudo sobre o ritual de homenagem aos mortos no Dia de Finados em Salinópolis – Pará. Belém: PPGA-UFPA, Dissertação de Mestrado, 2014.

ROCHA, Ana Luiza Carvalho da. ECKERT, Cornelia. Imagens do tempo nos meandros da memória. In: KOURY, Mauro Guilherme Pinheiro (org.). Imagem e memória: ensaios em Antropologia Visual. Rio de Janeiro: Garamond, 2001.

SAITO, Hiroshi. MAEYAMA, Takashi. Assimilação e Integração dos Japoneses no Brasil. Petrópolis/São Paulo: Vozes/EDUSP, 1973.

SEYFERTH, Giralda. Estudo sobre a reelaboração e segmentação da identidade étnica. In: Scott, P. e Zarur, G. Identidade, fragmentação e diversidade na América Latina. Recife: Ed. Universitária da UFPE, pp 147-183, 1998.

SHOKO, Watanabe. Japanese Buddhism - A critical appraisal. Tokyo: Kokusai Bunka Shinkokai, 3ª ed., 1970.

VENTURINI, Maria Cleci. Imaginário urbano: espaço de rememoração/comemoração. Passo Fundo: Editora Universidade de Passo Fundo, 2009.

WE JAPANESE - Being descriptions of many of the customs, manners, ceremonies, festivals, arts and crafts of the japanese besides numerous other subjects. Miyanoshita: Fujiya Hotel, 1950.

Downloads

Publicado

2022-01-30

Como Citar

SOARES FLORES, J. O Tooro Nagashi no município de Registro (SP): memória e (r)existência étnica. Sacrilegens , [S. l.], v. 18, n. 2, p. p. 308–331, 2022. DOI: 10.34019/2237-6151.2021.v18.35898. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/35898. Acesso em: 26 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Tradições e Religiões Asiáticas