Ativismos Ambientais e Espiritualidades: (re) existências em Vandana Shiva e Dorothy Stang

Autores

  • Tania Regina Zimmermann UEMS
  • Cristiano Anderson Bahia PUC MG

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-6151.2021.v18.32598

Palavras-chave:

agência, mulheres, ecofeminismos, espiritualidades

Resumo

O protagonismo feminino em ações de defesa do modo de vida de comunidades e de seus espaços de existências dignos e pautados na sustentabilidade nos alude por discussões que as colocam nos seus agenciamentos. Nesse sentido, objetiva-se discutir a participação feminina e suas inserções possíveis no ecofeminismo permeadas pela religiosidade e espiritualidade  a partir de uma pesquisa bibliográfica. Duas personagens foram estudadas pelas suas referências na atualidade: a indiana Vandana Schiva e a naturalizada brasileira Dorothy  Stang, pois a experiência espiritual dessas mulheres nos aduz a uma conexão específica com o meio ambiente e com modos de ativismos políticos.   A pesquisa pontua que na  socialização dessas mulheres  alenta-se para   o cuidado como afetação, para a   solidariedade e a gratuidade, reforçando  a sensibilidade e a justiça social. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BADINTER, Elisabeth. Um Amor conquistado: o mito do amor materno. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.
BINGEMER, Maria Clara Lucchetti. Mulheres da história recente do Brasil: Dorothy Stang, 2009, p.1-3. Disponível em: http://agape.usuarios.rdc.puc-rio.br/amai/mulheresdahistoria1.doc. Acesso em 20 mar. 2019.
BARROS, Marcelo. Por uma espiritualidade política. In: IHU On-line, edição 546, 30 de setembro de 2016.
HARDING, Sandra. A instabilidade das Categorias Analíticas na Teoria Feminista. In
Revista Estudos Feministas,vol.1,no.1, 1993, Rio de Janeiro CIEC/ECO/UFRJ, p. 1-19.
LE BRETON, Binka. A dádiva maior: A vida e a morte corajosas da irmã Dorothy Stang. Tradução de Renato Rezende. São Paulo: Editora Globo. 2008.
CIOMMO, Regina Célia di. Relações de Gênero, meio ambiente e a teoria da complexidade. In: Revista Estudos Feministas, Florianópolis 11 (2) julho-dezembro, 2003, p. 423-443.
MIES, Mara; SHIVA, Vandana. Ecofeminismo. Trad. Fernando Dias Anntunes. Lisboa: Instituto Piaget, 1993.
PINTO, Enio Brito. Espiritualidade e religiosidade: articulações. In: Revista de Estudos da Religião. PUC São Paulo, 2009, p. 68-83.
SALVODI, Valentino. Primeira mártir da criação: Dorothy Stang. Trad. Jaime A. Classen. São Paulo: Paulinas, 2012.
SHIVA, Vandana. Abrazar la vida: mujer, ecologia y supervivencia. Montevideo: Instituto del Tercer Mundo, 1991.
SHIVA, Vandana. Recuperar a terra, nosso alimento e nossa agricultura. In: IHU On-line, edição 236, 14 de março de 2000.
SORJ, Bila. O feminino como metáfora da natureza. In: Revista Estudos Feministas. Rio de Janeiro, vol. 0, 1992, p. 143-150.
TEIXEIRA, Evilázio Francisco Borges; MÜLLER, Marisa Campio; DA SILVA, Juliana Dors Tigre (Orgs.) Espiritualidade e qualidade de vida. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.
SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? 1. ed. Trad. Sandra Regina Goulart Almeida; Marcos Pereira Feitosa; André Pereira. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2010.
ULRICH, Claudete Beise: ROCHA, Abdruschin Schaeffer. Pathos e cuidado: Dorothy Mae Stang e o cuidado como afetação. In: Reflexus: Revista Semestral de Teologia e Ciências das Religiões. Ano XIII, n. 21, 2019/1, p. 37-64.
ZIMMERMANN, Tânia; MEDEIROS, Márcia Medeiros. Biografia e Gênero: repensando o feminino. In: Revista de História Regional, 9(1), Verão 2004, p. 31-44

Downloads

Publicado

2022-01-30

Como Citar

ZIMMERMANN, T. R.; BAHIA, C. A. Ativismos Ambientais e Espiritualidades: (re) existências em Vandana Shiva e Dorothy Stang. Sacrilegens , [S. l.], v. 18, n. 2, p. p. 344–357, 2022. DOI: 10.34019/2237-6151.2021.v18.32598. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/32598. Acesso em: 26 maio. 2022.