DA PRECE COMO PODER MÁGICO-RELIGIOSO ENTRE ELIADE E MAUSS À ORAÇÃO COMO PODER ESCATOLÓGICO-EXISTENCIAL ENTRE BULTMANN E TILLICH

Palavras-chave: Oração; Eliade; Mauss; Bultmann; Tillich.

Resumo

Sublinhando que a evocação dos acontecimentos que tiveram lugar ab origine converge, segundo a perspectiva mítico-religiosa, para a manifestação das forças sagradas, de acordo com o referencial teórico-conceitual de Eliade, o artigo assinala que tal invocação implica uma correlação de narrativas míticas e gestos e ações paradigmáticas que se destinam a suscitar o poder sagrado e a produção de seus efeitos, ressaltando a prece como poder mágico de exercer influência sobrenatural, como afirma Mauss. Dessa forma, analisando a oração que caracteriza o monoteísmo judaico-cristão, o artigo assinala o relacionamento pactual que encerra Javé e Israel como um processo que implica a Sua invocação como Deus, que converge para manifestações e intervenções na vida do povo em sua realidade concreta, perfazendo, segundo a perspectiva bíblico-teológica neotestamentária, uma construção que encerra a expressão da existência escatológica e realização de si em Bultmann. Finalizando, baseado na perspectiva teológico-filosófica de Tillich, o texto sublinha o poder que implica a oração em um processo que se sobrepõe às estruturas supraindividuais de destruição através do novo ser que o Deus-Homem Jesus Cristo manifesta e que envolve a capacidade de superar as estruturas escravizadoras do mal e as consequências autodestruidoras do estado de alienação existencial.

Biografia do Autor

LUIZ CARLOS MARIANO DA ROSA, UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES (UCAM / RJ)

Graduado em Filosofia pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais (CEUCLAR - SP) e graduado em Teologia pela Universidade Estácio de Sá (UNESA - RJ), pós-graduado em Filosofia pela Universidade Gama Filho (UGF - RJ) e pós-graduado em Ciências da Religião pela Universidade Cândido Mendes (UCAM - RJ), Luiz Carlos Mariano Da Rosa é professor-pesquisador e filósofo-educador no Espaço Politikón Zôon - Educação, Arte e Cultura (EPZ - SP), tendo como objeto de interesse a construção do conhecimento e à inter-relação que envolve as formas simbólicas constitutivas da 'realidade' humana, além dos princípios capazes de assegurar uma sociedade igualitária e uma ordem política baseada no interesse comum. Lecionando Introdução à Filosofia, História da Filosofia e Teoria do Conhecimento no Laboratório de Estudos Sociais e Políticos Ágora, o professor-pesquisador Luiz Carlos Mariano Da Rosa tem como principais áreas de investigação a Teoria do Conhecimento, a Filosofia da Educação, a Filosofia da Religião e a Filosofia Política, trazendo em seu currículo acadêmico vários artigos científicos publicados nas revistas especializadas nacionais e internacionais. Atuando como autor e editor na Editora Politikón Zôon Publicações (PZP - SP), o professor-pesquisador Luiz Carlos Mariano Da Rosa tem experiência na produção de conteúdo acadêmico-científico por intermédio de pesquisa acadêmica nas seguintes áreas: Educação (Filosofia da Educação. Sociologia da Educação). Filosofia (Teoria do Conhecimento. Metafísica. Ética. História da Filosofia). Ciência Política (Filosofia Política. Economia Política). Direito (Filosofia do Direito). Ciências da Religião (Filosofia da Religião). Teologia (Teologia Bíblica. Teologia Filosófica). Eis as suas principais obras: Mito e Filosofia: Do Homo Poeticus, Politikón Zôon Publicações, São Paulo, Brasil. Determinismo e Liberdade: a condição humana entre os muros da escola, Politikón Zôon Publicações, São Paulo, Brasil. O Direito de Ser Homem: Liberdade e Igualdade em Rousseau, Novas Edições Acadêmicas [OmniScriptum Publishing Group], Saarbrücken, Alemanha. Hobbes, Locke e Rousseau: Do direito natural burguês e a instituição da soberania estatal à vontade geral e o exercício da soberania popular, Politikón Zôon Publicações, São Paulo, Brasil. Da propriedade como fundamento ético-jurídico e econômico-político em Locke à vontade geral e o sistema autogestionário em Rousseau, Politikón Zôon Publicações, São Paulo, Brasil. A transformação do sujeito em si mesmo e a fé em Kierkegaard: Abraão, 'Pai da Fé' e 'Amigo de Deus', como protótipo de um novo ser e de um novo modo de existência, Novas Edições Acadêmicas [OmniScriptum Publishing Group], Beau Bassin, Mauritius.

Referências

A BÍBLIA VIDA NOVA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Edição revista e atualizada no Brasil (Editor: Russell P. Shedd). São Paulo / Brasília: Vida Nova / Sociedade Bíblica do Brasil, 1995.
BÍBLIA DE ESTUDO DE GENEBRA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada. São Paulo / Barueri: Cultura Cristã / Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.
BUCKLAND, A. R. Dicionário bíblico universal (Com o auxílio do Rev. Dr. Lukyn Williams). Tradução de Joaquim dos Santos Figueiredo. São Paulo: Editora Vida, 1981.
BULTMANN, Rudolf. Teologia do Novo Testamento. Tradução de Ilson Kayser. Santo André: Editora Academia Cristã, 2008.
CALVINO, João. As Institutas da Religião Cristã (Volume 4). Tradução de Waldyr Carvalho Luz. São Paulo: Cultura Cristã, 2006.
DICIONÁRIO Enciclopédico da Bíblia. São Paulo: Paulus Editora, 2014.
ELIADE, Mircea. Mito do eterno retorno. Tradução de José A. Ceschin. São Paulo:
Mercuryo, 1992.
ELIADE, Mircea. Mito e realidade. Tradução de Pola Civelli. São Paulo: Perspectiva, 1972.
HOUSE, Paul R. Teologia do Antigo Testamento. Tradução de Sueli Silva Saraiva. São Paulo: Editora Vida, 2005.
LUCCIONI, Gennie; et al. Atualidade do mito. Tradução de Carlos Arthur R. do Nascimento. São Paulo: Duas Cidades, 1977.
MARIANO DA ROSA, Luiz Carlos. A oração entre as práticas mágico-religiosas do politeísmo e o relacionamento pactual do monoteísmo: da superação do determinismo da história em Mircea Eliade à presença do mistério do ser em Paul Tillich, Revista Teológica DOXIA (Fabra/Puc-Rio), Serra/ES, v. 3 n. 3. p. 46-75, jan./jun. 2018.
MAUSS, Marcel. A Prece. In: Roberto Cardoso de Oliveira (Org.). Marcel Mauss: Antropologia. Tradução de Regina Lúcia de Moraes Morel. São Paulo: Ática, 1979 (Coleção Grandes Cientistas Sociais).
PFEIFFER, Charles F.; VOS, Howard F.; REA, John. Dicionário bíblico Wycliffe. Tradução de Degmar Ribas Júnior. 2. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
ROSA, Luiz Carlos Mariano da. Abraão e a fé prototípica: da fé como paradoxo absoluto à fé como encarnação do absoluto no Deus-Homem Jesus Cristo. PLURA, Revista de Estudos de Religião (ABHR), ISSN: 2179-0019, Juiz de Fora/MG, v. 9, n. 2, 2018, p. 162-184.
THIS, Bernard. Incesto, adultério, escrita. In: LUCCIONI, Gennie; et al. Atualidade do mito. Trad. de Carlos Arthur R. do Nascimento. São Paulo: Duas Cidades, 1977, p. 41-74.
TILLICH, Paul. Filosofia de la religion. Traducción: Marcelo Pérez Rivas. Buenos Aires: Ediciones Megápolis / Asociación Editorial La Aurora, 1973.
TILLICH, Paul. Teologia Sistematica (II). La existencia y Cristo. Traducción: Damián Sánchez-Bustamante Páez. 3. ed. Salamanca: Ediciones Sígueme, 1982a.
TILLICH, Paul. Teologia Sistematica (I). La razon y la revelacion el ser y Dios. Traducción: Damián Sánchez-Bustamante Páez. 3. ed. Salamanca: Ediciones Sígueme, 1982b.
VANGEMEREN, Willem A. Novo dicionário internacional de teologia e exegese do Antigo Testamento. Volume 1. Tradução de Equipe de colaboradores da Editora Cultura Cristã. São Paulo: Cultura Cristã, 2011.
VINE, W. E.; UNGER, Merril F.; WHITE JR., William. Dicionário Vine. O significado exegético e expositivo das palavras do Antigo e do Novo Testamento. Tradução de Luís Aron de Macedo. Rio de Janeiro: CPAD, 2002.
Publicado
2020-02-28
Como Citar
MARIANO DA ROSA, L. C. DA PRECE COMO PODER MÁGICO-RELIGIOSO ENTRE ELIADE E MAUSS À ORAÇÃO COMO PODER ESCATOLÓGICO-EXISTENCIAL ENTRE BULTMANN E TILLICH. Sacrilegens , v. 16, n. 2, p. 204-231, 28 fev. 2020.