Novas dinâmicas religiosas na configuração da contemporaneidade

  • Vitor de Lima Campanha
  • Diogo da Silva Cardoso
  • Ricardo Alves Moreira Mazzeo
  • Elza Oliveira
  • Réia Sílvia Gonçalves Pereira
  • George Brendom Pereira dos Santos
  • Carlos Alberto Marinho Cirino
  • Alfredo Ferreira de Souza
  • Hugo Felipe Quintela
Palavras-chave: Inovação, Novos espaços, Ritos contemporâneos, Modernidade religiosa

Resumo

Este GT apresenta-se como um espaço para a apresentação de pesquisas e discussões sobre estruturas ou fenômenos da religião onde se possa pôr em debate elementos que apontem para uma possível reestruturação ou reapresentação da religião na contemporaneidade, seja em termos de grupos religiosos, de estruturas religiosas, de espaços religiosos, de eventos religiosos ou mesmo teologias. Dentre os aspectos que mais chama atenção no atual cenário sociocultural é sem dúvida, a questão do pluralismo religioso, onde a cada dia, novas formas de religiosidade têm surgido, seja de cultos, ritos ou espaços religiosos, o que condicionam construções e manutenções constantes dessas identidades religiosas. O fator urbanização e modernidade também contribuem para uma nova roupagem dessas plausibilidades religiosas, seja na interface da religião com o espaço, com a natureza, com a sociedade, com a ecologia... Sendo assim, visto este cenário, é preciso pensar em novas formações e/ou conformações religiosas inclusive buscar compreender os processos que ocasionam essas mudanças no campo religioso. Para este GT espera-se comunicações que contribuam para o repensar de algumas possibilidades das religiões, religiosidades ou espiritualidades na sociedade em vista das mudanças que vêm ocorrendo, seja em forma de novos espaços ou formas de culto, novas instalações, novas ideologias...

Referências

CAMPANHA, Vitor L. Culto espacial à brasileira: aspectos comparativos entre a cosmologia
de crentes em OVNIs dos Estados Unidos e as obras de Trigueirinho. In: 27º Congresso
Internacional da Soter: espiritualidades e dinâmicas sociais: memória e prospectivas, 2014,
Belo Horizonte. Anais do 27º Congresso Internacional da SOTER, p. 2265-2274, 2014.
_____.O Caso do ET de Varginha - Um Estudo sobre Formações Discursivas em
Telejornalismo. In: IX Encontro Regional de Comunicação, 2011, Juiz de Fora. Anais do
Encontro Regional, 2011.
______; CAMURÇA, Marcelo Ayres. Da Ufologia ao Catolicismo New Age: O caso de
Trigueirinho e a Ordem Graça Misericórdia. REVER – Revista de Estudos da Religião, [S.l.],
v. 16, n. 3, p. 40-65, dez. 2016. ISSN 1677-1222. Disponível em:
. Acesso em: 27 ago. 2018.
DUARTE, Mario Ribeiro. A narrativa sobre o “ET de Varginha” e sua relação no
processo de modernização sócio-cultural da cidade. 2009. Dissertação (Mestrado em
Letras) – Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, 2009.
GUERRIERO, S. Até onde vai a religião. Horizonte, Belo Horizonte, v. 12, n. 35, p. 902-
931, 2014.
HANEGRAAFF, Wouter J. New Age spiritualities as secular religion: a historian’s
perspective. Social Compass, 46(2), p. 145–160, 1999.
LATOUR, Bruno. Reagregando o social: uma introdução à teoria do Ator-Rede. Bauru:
EDUSC, 2012.
LEWIS, James R. UFOs and popular culture: an encyclopedia of contemporary myth. Santa
Barbara: ABC-Clio, 2000.
MACHADO, Carly Barboza. “Imagine se tudo isso for verdade”: o movimento Raeliano
entre verdades, ficções e religiões da modernidade. 2006. Tese (Doutorado em Ciências
Sociais) – Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.
PIETTE, Albert. Les religiosités séculières. Paris: Universitaires de France, 1993.
PETIT, Marco Antonio. Acobertamento ufológico. Revista UFO, 2004. Disponível em: <
https://ufo.com.br/artigos/acobertamento-ufologico.html>. Acesso em: 20 out. 2018.
THOMPSON, Keith. Anjos e extraterrestres: OVNIs e a imaginação mítica. Tradução de
Aulyde Soares Rodrigues. Rio de Janeiro: Rocco, 1993.
TRIGUEIRINHO NETTO, José. Um chamado especial: antologia das obras de Trigueirinho.
4. ed. São Paulo: Pensamento, 2008.
VERONESE, Michelle. Deuses de outros mundos: o culto a discos voadores e
extraterrestres. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) – Pontifícia
Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2006.
VON DÄNIKEN, E. Eram os Deuses astronautas? São Paulo: Melhoramentos, 2000.
BASTOS, Sênia. Ativação do patrimônio nas práticas de hospitalidade. In: COSTA, Everaldo
Batista da; BRUSADIN, Leandro Benedini; PIRES, Maria do Carmo. Valor patrimonial e
turismo: limiar entre história, território e poder. São Paulo: Outras Expressões, 2012. p. 213-
220.
BENEDETTI, Luiz Roberto. Templo, praça, coração: a articulação do campo religioso
católico. São Paulo: Humanitas/USP, 2000.
_____. Entrevista. IHU On-line. ed. 37. 08 de setembro de 2009. Disponível em:
˂https://bit.ly/2xKkowM˃. Acesso em: 30 set. 2018.
CARDOSO, Diogo da Silva. Um passeio pela cidade: notas geográficas sobre a vida social na
metrópole.Geoambiente On-line. n. 13. p. 123-150. 2009. Disponível em:
˂https://bit.ly/2RGWGdb˃. Acesso em: 11 out. 2018.
_____. Em busca das memórias e identidades de um lugar: considerações sobre o
protagonismo juvenil na Cidade de Deus (RJ) a partir da ONG Casa de Cultura.V Simpósio
Internacional sobre a Juventude Brasileira. 2012. Disponível em: ˂https://bit.ly/2pPWlby˃.
Acesso em: 11 out. 2018
_____. Indignados com o mundo, transtornados com o institucionalismo: a geografia do
underground cristão brasileiro na era pós-secular e pós-cristã. RA’EGA. n. 27. p. 140-175.
2013. Disponível em: ˂https://bit.ly/2ygYm51˃. Acesso em: 11 out. 2018.
_____. Uma contribuição teórico-epistemológica para o planejamento e gestão de políticas
públicas, organizações e territórios turísticos: primeiros passos. Anais doColóquio Cenários,
Ciência e Desenvolvimento Turístico. 2018. p. 332-337. Disponível em:
˂https://bit.ly/2SPxiCB˃. Acesso em: 06 nov. 2018.
CAIRES, Elon Saúde, JÚNIOR, Paulo Jonas dos Santos, MATTA, Ludmila Gonçalves da.
Pentecostalismo e planejamento urbano: uma reflexão acerca da expansão pentecostal nas
favelas de Campos dos Goytacazes-RJ.Revista Eletrônica de Teologia e Ciências das
Religiões.n. 1 (5). 2017. Disponível em: ˂https://bit.ly/2RCLzBo˃. Acesso em: 05 nov. 2018.
CUNHA, Christina Vital da. Evangélicos em ação nas favelas cariocas: um estudo sócioantropológico sobre redes de proteção, tráfico de drogas e religião no Complexo de Acari.
Programa de pós-Graduação em Ciências Sociais (Tese de Doutorado). 2009. Disponível
em: ˂https://bit.ly/2DmSD1L˃. Acesso em: 05 nov. 2018.
_____. Religião e criminalidade: traficantes e evangélicos entre os anos 1980 e 2000 nas
favelas cariocas. Religião e Sociedade. n. 34 (1). 2014. Disponível em:
˂https://bit.ly/2yTt0lb˃. Acesso em: 05 nov. 2018.
CUNHA, Magali do Nascimento. Vinho novo em odres velhos. Um olhar comunicacional
sobre a explosão gospel no cenário religioso evangélico no Brasil. Programa de Pósgraduação em Ciências da Comunicação (Tese de Doutorado). São Paulo: USP, 2004.
Disponível em: ˂https://bit.ly/2gwPXU2˃. Acesso em: 10 out. 2018.
______. Entrevista. Mídia, religião e sociedade. 2017. Disponível em:
˂https://bit.ly/2yd32ci˃. Acesso em: 10 out. 2018.
FABIAN, Johannes. O Tempo e o Outro: como a antropologia estabelece seu objeto.
Petrópolis: Vozes, 2013.
FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação
sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.
JUNGBLUT, Airton Luiz. A salvação pelo rock: sobre a “cena underground” dos jovens
evangélicos no Brasil. Religião e Sociedade. n. 27(2). p. 144-162. 2007. Disponível em:
˂https://bit.ly/2F8kxQV˃. Acesso em: 06 nov. 2018.
MAFRA, Clara. Os evangélicos. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.
MENDONÇA, Antonio Gouvêa. O protestantismo no Brasil e suas encruzilhadas. Revista
USP. n.67. p.48-67. 2005. Disponível em: ˂https://bit.ly/2Jzsmh4˃. Acesso em: 02 out. 2018.
NOVAES, Regina. Os jovens “sem religião”: ventos secularizantes, “espírito de época” e
novos sincretismos. Notas preliminares. Estudos Avançados. n.18(52). 2004. Disponível em:
˂https://bit.ly/2P2veIg˃. Acesso em: 14 out. 2018.
PAIVA, L. G. P. M. Antioquia, Paulo de Tarso e a formação da religião cristã. Revista Tempo
Amazônico. n.2(2). p.94-110. 2015. Disponível em: ˂https://bit.ly/2Qdzthx˃. Acesso em: 30
set. 2018
SAMPAIO, Luiz Sérgio Coelho. A grande tarefa de nosso tempo: uma nova filosofia. 1997.
Disponível em: ˂https://bit.ly/2NclW7u˃. Acesso em: 30 set. 2018.
SANTOS, Milton, SILVEIRA, María Laura. O Brasil: território e sociedade no início do
século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001.
ALVES, Rubem Azevedo. O suspiro dos oprimidos. São Paulo: Ed. Paulinas 1984.
BOBSIN, Protestantismo e religiosidades contemporâneas. In: DIAS, Zwinglio Mota;
RODRIGUES, Elisa; PORTELLA, Rodrigo. Protestantes, evangélicos e (neo)pentecostais:
história, teologias, igrejas e perspectivas. São Paulo, Fonte, 2013. p.189-202.
BOURDIEU, Pierre. A Econômica de Trocas Simbólicas. O Mercado de Bens Simbólicos -
São Paulo. Perspectiva. 2011.
______. Sobre a Televisão. Rio de Janeiro. Jorge Zahar Ed. 2007.
CASTELLANOS, Cesar. Sonha e Ganhará o Mundo. Tradução Renata Marquez - São Paulo:
Editora G12, 2006.
CHARTIER, Roger. O Mundo Como Representação. Estudos avançados, São Paulo. Vol 5.
no 11. p. 173- 191, 1991.
______. História Cultural: Entre Praticas e Representações - Portugal: Difel, 2002.
CUNHA, Magali do Nascimento. Religiosidade midiática e novos paradigmas de cristianismo
e de culto em tempos de cultura gospel. DIAS, Zwinglio Mota; RODRIGUES, Elisa;
PORTELLA, Rodrigo. Protestantes, evangélicos e (neo)pentecostais: história, teologias,
igrejas e perspectivas. São Paulo, Fonte, 2013. p. 203-214.
DAMATTA. Roberto. Carnavais, Malandros e Heróis – Para uma Sociologia do Dilema
Brasileiro. 6ª Ed. Rio de Janeiro. Rocoo, 1997a.
______. Casa e Rua – Espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil 5ª Ed. Rio de Janeiro.
Rocoo, 1997b.
______. O que faz o brasil, Brasil?. Rio de Janeiro. Rocoo, 1986.
DIAS, Caroline Luz e Silva. Neopentecostalismo e “Visão Celular No Modelo Dos 12”: Novas
Formas De Ser Protestante No Brasil. ANPUH – XXV Simpósio Nacional De História –
Fortaleza, 2009.
LAHIRE, Bernard. Reprodução Ou Prolongamentos Críticos? - Educação & Sociedade. No
78. p. 37- 55, Abril/2002.
MARIANO, Ricardo. Expansão pentecostal no Brasil: o caso da Igreja Universal - Estudos
Avançados 18 (52), 2004.
ORTIZ, Juan Carlos. O Discípulo (Disciple). Tradução de Myrian Talitha Lins, 6ª edição -
Santa Catarina: Editora Betânia, 1980.
NEIGHBOUR, Ralph W. Jr. Manual do Líder de Célula. Curitiba: Ministério Igreja em
Células, 2007.
ROCHA, Alessandro; TEPEDINO, Ana Maria. Vindos desde as margens do mundo. Uma
leitura do pentecostalismo a partir das teorias de marginalidade. Perspectiva Teológica, Belo
Horizonte, Ano 43, Número 119, p. 37-53, Jan/Abr 2011. Disponível em:
http://faje.edu.br/periodicos/index.php/perspectiva/article/view/1029/1450
SILVA, Drance E. Mercado, sacrifício e consumo religioso. Estudos Teológicos, v. 50, p.
131-143, 2010.
SOUSA, Bertone de Oliveira. A Teologia da Prosperidade e a Redefinição do Protestantismo
Brasileiro: uma abordagem à luz da Análise do Discurso - Revista Brasileira de História das
Religiões. Ano IV, n. 11, Setembro de 2011, p. 221-245.
BRASIL. “Constituição da República Federativa do Brasil”. Disponível em: http://
www2.planalto.gov.br/presidencia/a-constituicao-federal
Acessado em 20 de Out de 2015.
CORRÊA, A. M. “Ritual, identidade, cultura e a organização espacial: sagrado e profano”. In:
SILVA, D. (org.). Identidades étnicas e religião. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2000.
CÚPULA DOS POVOS. “Carta do Rio. Encontro Mundial dos Povos de Terreiro na
RIO+20”. Junho de 2012.
Disponível em http://www.rio20.gov.br/clientes/rio20/rio20/sobre_a_rio_ mais_20/o-que-ecupula-dos-povos.html
Acessado em 27 de Out de 2018
FERRETTI, Sérgio. “Religião e Cultura Popular Estudo de festas populares e do sincretismo
religioso”. Palestra proferida a 07/06/2001, em Recife, no Programa de Pós-Graduação em
Antropologia da Universidade Federal de Pernambuco.
Disponível em: http://www.osurbanitas.org/antropologia/osurbanitas/revista/Ferretti.html
Acessado em 01 de Março de 2018.
GIDDENS, Anthony. “Modernidade e identidade”. Zahar Editor, Rio de Janeiro, 2002
MELLO, Emerson. Da Natureza Afro-religiosa: a (Re)significação Espacial dos Terreiros de
Candomblé em São Paulo. Monografia – Pontifícia Universidade Católica. Departamento de
Geografia da Faculdade de Ciências Sociais da PUC-SP, 2007.
MOREIRA, Aderbal Ashogun. “Cartilha ‘OkuAbó’, Espaço Sagrado, Educação Ambiental
para religiões Afro-brasileiras”. Rio de Janeiro, 2006.
Parque Ecológico dos Orixás http://www.uucab.com.br/parque/index.php Acessado em 28 de
Fev de 2015
REZENDE, Michela Perígolo. “A percepção do espaço quando referenciado à natureza: pelo
olhar do terreiro Dedico”. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Minas Gerais,
Departamento de Arquitetura e Urbanismo, 2009.
RENOU, Mariana. “Oferenda e Lixo Religioso: como um grupo de sacerdotes do candomblé
angola de Nova Iguaçu ‘faz o social’” - Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) –
UFRJ, Museu Nacional, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, 2011.
SILVA, Mary Anne Vieira. “A festa do Candomblé como resistência cultural no espaço
diaspórico”. XI Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais, 2011.
SIMMEL, Georg. “A metrópole e a vida mental”. In: O Fenômeno urbano. Ed. Zahar,
Rio de Janeiro, 1973.
União Umbandista dos Cultos Afro-Brasileiros http://www.uucab.com.br/index.php Acessado
em 28 de Fev de 2015
VELHO, Gilberto. “Estilo de vida urbano e modernidade”. In: Estudos Históricos, Rio
de Janeiro, vol. 8, n.16, 1995, p.227-234.
ALBUQUERQUE JR. V. “Dá glória e receba!”: A expressão mítico-ritual nos “corinhos de
fogo” no culto [neo]pentecostal. 129f. Dissertação. (Mestrado em Ciência da Religião) –
Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, 2014
AUBREE, Marion. O transe: a resposta do xangô e do pentecostalismo. Ciência e cultura,
Campinas v. 37, n. 7, p. 1070-1075, 1985.
BECKER, Howard S. Outsiders: estudos de sociologia do desvio. Rio de janeiro: Zahar, 2008.
BISPO, Raphael. Os “emos das antigas” e os “posers de emo”: identidades, conflitos e
estigma na cena musical roqueira. Ponto Urbe. Revista do núcleo de antropologia urbana da
USP, n. 6, p. 01-20, 2010.
CENSO, I. B. G. E. Disponível em:< http://www. censo2010. ibge. gov.br/>. .
DAYRELL, Juarez. A escola “faz” as juventudes? Reflexões em torno da socialização
juvenil. Educação e sociedade, v. 28, n. 100, p. 1105-1128, 2007.
DO PRADO VALLADARES, Licia. A invenção da favela: do mito de origem a favela.
com.Rio de Janeiro: editora FGV, 2008.
DUARTE, Luiz Fernando Dias. Da vida nervosa nas classes trabalhadoras urbanas.2. ed. Rio
de Janeiro: Jorge Zahar, 1986.
DUMONT, L Oindividualismo: uma perspectiva antropológica da ideologia moderna. Rio de
Janeiro: Rocco, 1985
PRESTON, Paul. Protestantismo e democracia no Brasil. Lusotopie, v. 6, n. 6, p. 329-340,
1999.
GARCÍA-RUIZ, Jesús; MICHEL, Patrick. El neo-pentecostalismoen América latina:
Contribución a una antropología de lamundialización. Sociedad y religión, v. 24, n. 41, p. 43-
78, 2014.
GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade. Rio de Janeiro:
Guanabara, 1988.
GUERREIRO, Clayton.Do“circo à macumba pentecostal: sobre categorias acusatórias e
justificações.In: ARAÚJO, Melvina& CUNHA, Christina Vital. Religião e Conflito. Curitiba:
Prisma, 2016a.p. 195-216
GUERREIRO, Clayton A gira do “reteté”:uma análise das disputas sobre o “pentecostalismo
legítimo”. Dissertação de Mestrado.Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2016b
LOPES, Artur Costa. O forró como gênero transversal entre umbanda, catolicismo e
pentecostalismo. Em: SIMPOM, 2016, Rio de Janeiro, v. 4, n. 4, 2016.
--------------------------A utilização do pandeiro nas igrejas protestantes de Duque de
Caxias.Revista Ensaios, v. 8, p. 9-24, 2015
MARIANO, Ricardo. Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. São
Paulo: edições Loyola, 1999.
-----------------------------. Expansão pentecostal no Brasil: o caso da Igreja Universal. Estudos
avançados, v. 18, n. 52, p. 121-138, 2004.
MAFRA, Clara. Os evangélicos. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.
---------------------Distância territorial, desgaste cultural e conversão pentecostal.in: MAFRA,
C.; ALMEIDA, R. Religiões e cidades: Rio de Janeiro e São Paulo. São Paulo: Fapesp, 2009,
p. 69-89.
--------------------- O problema da formação do" cinturão pentecostal" em uma metrópole da
América do Sul. Interseções-revista de estudos interdisciplinares, v. 13, n. 1, p. 136-153,
2011.
MARIZ, Cecília. A teologia da batalha espiritual: uma revisão da bibliografia.Revista
Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, v. 47, n. 1, p. 33-48, 1999.
MAUÉS, Raymundo Heraldo. ''Bailando com o Senhor'': técnicas corporais de culto e louvor
(o êxtase e o transe como técnicas corporais). Revista de Antropologia, v. 46, n. 1, p. 10-40,
2003.
MESQUITA, Wania. Os pentecostais e a vida em favela no Rio de Janeiro: a batalha
espiritual na ordem violenta na periferia de Campos dos Goytacazes.Estudos de religião, v.
23, n. 37, p. 89-103, 2009.
NOVAES, Regina. Os jovens, os ventos secularizantes e o espírito do tempo. In: Teixeira
Faustino; Menezes, Renata. (Org.). As religiões no Brasil:continuidades e rupturas.
1ed.Petropolis: Vozes, 2006, v., p. 135-160.
----------------------. A divina política. Notas sobre as relações delicadas entre religião e
política. Revista USP, n. 49, p. 60-81, 2001.
PEIRANO, Mariza. A análise antropológica de rituais. In: M. Peirano. (Org.). O Dito e o
Feito. Ensaios de Antropologia dos Rituais. Rio de Janeiro: RelumeDumará, 2002, v. , p. 17-
40
------------------------- Etnografia não é método. Horizontes Antropológicos (UFRGS.
Impresso), v. 20, p. 377-391, 2014.
PEREIRA, RÉIA SILVIA GONÇALVES. Fé em Deus, DJ: Funk e Pentecostalismo Entre
Jovens das Camadas Populares. 2014. Dissertação de Mestrado. PPGCS Universidade Federal
do Espírito Santo, Vitória, 2014.
---------------------------------------- No seio dos ungidos: organização e carisma no
pentecostalismo reteté.In: LELLIS, Nelson. Religião e Política, 2018. (no prelo)
DE VASCONCELLOS, Danilo Souza Mendes et al. Dogmatismo e exclusão-um estudo de
caso do referencial de fé da coalizão batista conservadora. Fragmentos de Cultura, v. 26, n. 4,
p. 660-669, 2016.
ROUGET, Gilbert. Musique etla transe. Paris: Gallimard, 1980.
SILVEIRA, E. J. S. Categorias de acusação e campo religioso brasileiro: notas sobre manipulações da
identidade e fronteiras móveis. In: ANDRADE, Péricles (org.). Polifonia do Sagrado: Pesquisas
em Ciências da Religião no Brasil. São Cristóvão: Editora da Universidade Federal de
Sergipe, 2015, p. 01-35,
VELHO, Gilberto. O estudo do comportamento desviante: a contribuição da antropologia
social. In: (Org.). Desvio e divergência: uma crítica da patologia social. Rio de Janeiro:
Zahar, 1974. p. 11-28.
-----------------------"Duas categorias de acusação na cultura brasileira contemporânea”. In:
Individualismo e cultura: notas para uma antropologia da sociedade contemporânea.8 ed. Rio
de Janeiro: Zahar,2008
ZALUAR, A. M.; ALVITO, M. (Org.) . Um Século de Favela 2a.edição. 3a.ed. Rio de Janeiro: Editora
FGV, 2003. 370p.
ALMEIDA, Ronaldo Romulo Marchado de. A Universalização do Reino de Deus. 1996.
127 p. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Instituto de Filosofia e Ciências
Humanas, Universidade de Campinas, Campinas-SP, 1996.
ALVES, Rubem. O que é Religião?. Editora Brasiliense, 2° Ed., 1990. 132 p.
ARAUJO, de Isael. Dicionário do movimento pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
BERGER, Peter Ludwuig. O Dossel Sagrado: elementos para uma teoria sociológica da
religião. São Paulo: Editora Paulista, 1985. 195 p.
CORREIA, MayconnJummy Cavalcante. O Movimento Neopentecostal: a prática do
Judaísmo na Igreja Ministério Internacional da Restauração na Cidade de Boa Vista (1999-
2005). 2014. 53 p. Monografia (Bacharel em Licenciatura em História) – Centro de Ciências
Humanas, Universidade Federal de Roraima, Boa Vista-RR, 2014.
DURKHEIM, Émile. As formas elementares da vida religiosa. In: ______.
Os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1978. 203-221 p.
ESPERANDINO, Mary Rute Gomes. Da ética protestante à ética “iurdiana”: o “espírito”
do capitalismo. Protestantismo em Revista, v. 6, 29-44 p., jan./abr. 2005. Disponível em:
. Acessado em: 10 de Set. 2017.
FRESTON, Paul. Protestantes e Política no Brasil: da Constituinte ao Impeachment. 1993.
303 p. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas,
Universidade de Campinas, Campinas-SP, 1993.
GRACINO JÚNIOR, Paulo. Surtos de aconselhamento e soluções biográficas: a Igreja
Universal e a nova face do fenômeno religioso na sociedade contemporânea. Revista
ANTHROPOLÓGICA, v. 19, n.1, 43-66 p., 2008.
HARARI, YuvalNoah. Sapiens: uma breve história da humanidade. 28 ed. Porto Alegre:
L&PM, 2017.
JULIA, Dominique. Antropologia religiosa. In: LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre (Org.).
História: Novas Abordagens. 4 ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1995. 106-131 p.
KNIGHT A. E.; ANGLIN W. História do cristianismo: dos apóstolos do Senhor Jesus ao
século XX. 11ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2001. Disponível em:
. Acessado em: 20 de
set. 2017.
LA BOÉTIE, Etienne de. Discurso Sobre a Servidão Voluntária. Cultura Brasileira, 2004.
Disponível em: . Acessado em 29 de maio de 2017.
MACEDO, Edir. O Perfeito Sacrifício: o significado espiritual dos dízimos e ofertas. Rio de
Janeiro: Universal, 2001, 72 p.
MARIANO, Ricardo. Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. São
Paulo: Edições Loyola, 2005, 246 p.
MENDONÇA, Antônio Gouvêa. Um panorama do Protestantismo brasileiro atual. In:
LARDIM, Leilah (Org.) Sinais do Tempo: tradições religiosas no Brasil, Caderno do ISER
22. Rio de janeiro: ISER, 1986, 37-86 p.
MESQUITA, Wania Amélia Belchior. A promessa, a crença e a prosperidade: as gramáticas
da Igreja Universal do Reino de Deus. Revista ANTHROPOLÓGICA, v. 19, n.1, 67-90 p.,
2008.
OLIVEIRA, Lívio Luiz Soares de; NETO, GiácomoBalbinotto. A Teoria do Mercado
Religioso: evidências Empíricas da Literatura. Disponível em: . Acessado em 11 de set. 2017.
REIS, José Carlos. História & teoria: historicismo, modernidade, temporalidade e verdade.
Rio de Janeiro: Editora FGV, 2003, 246 p.
SANTOS, George Brendom Pereira dos. INDULGÊNCIAS MODERNAS: Igreja
Universal do Reino de Deus e o mercado da fé. 2018. 55 p. Monografia (Licenciatura em
História) – Centro de Ciências Humanas, Universidade Federal de Roraima, Boa Vista - RR,
2018.
SILVIA, Juvêncio Borges. Igreja Universal: misticismo e mercado. 2000. 237 p. Dissertação
(Mestrado em Sociologia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de
Campinas, Campinas-SP, 2000.
SUNG, Jung Mo. Mercado Religioso e mercado como religião. Horizonte, Belo Horizonte,
v. 12, n. 34, 290-315 p., abr./jun. 2014. Disponível em:
5841.2014v12n34p290/6660>. Acessado em: 04 de set. 2017.
______. Lutero, a crítica da idolatria do dinheiro e a dialética do possível. Estudos de
Religião, v. 30, n. 2, 21-39 p., maio/ago. 2016. Disponível em:
.
Acessado em: 26 de set. 2017.
Como Citar
CAMPANHA, V. DE L.; DA SILVA CARDOSO, D.; ALVES MOREIRA MAZZEO, R.; OLIVEIRA, E.; GONÇALVES PEREIRA, R. S.; PEREIRA DOS SANTOS , G. B.; MARINHO CIRINO , C. A.; FERREIRA DE SOUZA , A.; QUINTELA, H. F. Novas dinâmicas religiosas na configuração da contemporaneidade. Sacrilegens , v. 15, n. 2, 11.