Tradições e Religiões Asiáticas

  • Breno Corrêa Magalhães
  • Giuliano Martins Massi
  • Igor Santos da Silva
  • Matheus Landau de Carvalho
  • Bruno do Carmo Silva
  • Albina Emília Almeida Rodrigues
Palavras-chave: Tradições religiosas asiáticas, tradições filosóficas asiáticas, história da Ásia

Resumo

O objetivo do GTTradições e Religiões Asiáticas é reunir pesquisadores/as visandoestimular os estudos e o diálogo em torno da pluralidade de tradições que se desenvolveram na Ásia – em especial no subcontinente indiano, no leste e no sul asiáticos.Estes estudos podem ser compreendidos através: (1) de uma dimensão religiosa,expressa em práticas rituais e devocionais, narrativas mitológicas, sistemas de moralidade e produções artísticas;(2) de uma dimensão filosófica, identificada na investigação dos princípios metafísicos, ontológicos, lógicos, éticos e estéticos que caracterizam especulações de caráter cognitivo e soteriológico;e (3) de uma dimensão histórica, que englobe expressões socioculturais e literárias genuinamente asiáticas como objeto de análise de metodologias dasCiências Humanas, como a Sociologia, a Linguística, a Psicologia, a Antropologia, a Ciência Política, a Teologia, a Geografia, a Literatura e a História. Seja qual for a dimensão da pesquisa, deve refletir iniciativas contemporâneas de compreensão e/ou revisão de vários estudos e realidades orientais, incluindo processos de transplantação ou transnacionalização cultural, estudo comparadodas religiõese perspectivas de diálogo inter-religioso. Tendo em vista a situação ainda acanhada da pesquisa nessas temáticas no Brasil, no mundo lusófono em geral, e em toda a América Latina,acreditamos que este GT vá contribuir com a construção do campo de estudo das religiões asiáticas entre os cientistas da religião do Brasil e de toda a comunidade lusófona.

 

 

Referências

ANJOS, E.S. A passagem - Liturgia Messiânica: o rito da morte na IMM do Brasil e do Japão.
2ª ed. São Paulo: Fundação Mokiti Okada, 2016.
BARBIERI JÚNIOR, J. A grande experiência. Jornal Messiânico ano 1 no
12, São Paulo, p.6,
07 de setembro 1973.
BARBOSA, I. Um imenso e sagrado solo. Rio de Luz, ano 5 no 32, Rio de Janeiro, p.11,
outubro de 1997.
BARTZ, Alessandro. A sociologia da religião de Max Weber interpretada por Pierre
Bourdieu: breves apontamentos. In. Protestantismo em revista, volume 14, set/dez 2007.
Disponível em:.Acesso
em 06/07/2018.
BERGER, Peter. A dessecularização do mundo: uma visão global. In: Religião e Sociedade,
vol. 21, nº. 1, 2001, p. 09.23.
BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2007.
CLARK, Peter. As Novas Religiões Japonesas e suas Estratégias de adaptação no Brasil.
Revista Rever, ano 8, p. 22-45, jun./2008. Disponível
em:.Acesso em 12/06/2018.
FERREIRA, J. Johrei cura sem remédios. O Cruzeiro - ano 38 no 35, Rio de Janeiro, p.22, 02
de jun. de 1966.
GAARDER, J.; HELLERN, V.; NOTAKER, H. O livro das religiões. São Paulo: Companhia
das Letras, 2005.
JORNAL DO BRASIL. Seita que cura sem remédio atende diariamente 350 doentes no Rio
de Janeiro. Jornal do Brasil ano 75 no 278, Rio de Janeiro, 1º caderno, p. 10, 27 de novembro
1965.
Jornal Messiânico. O BRASIL ao ministro Kawai, com carinho. Jornal Messiânico ano 1 no
1, São Paulo, p. 3, 07 de setembro 1972.
______ . GRANDE expansão da Messiânica no Nordeste. Jornal Messiânico ano 1 no 7, São
Paulo, p.3, 07 de abril 1973.
______ . O ENCONTRO com os missionários. Jornal Messiânico ano 3 no 25, São Paulo,
p.7, 01 de outubro 1974.
______ . OS ENSINAMENTOS ao alcance de todos. Jornal Messiânico ano 3 no 27, São
Paulo, p.6, 10 de dezembro de 1974.
MARTINI, d. a. t. Aulas de português para os messiânicos. Jornal Messiânico - ano 1 no 3,
São Paulo, p. 2, 07 de novembro 1972.
MEISHU-SAMA. Ensinamentos de Meishu-Sama: Coletânea Alicerce do Paraíso volume 1;
Organização e tradução IMMB, 6ª ed. São Paulo: Fundação Mokiti Okada, 2016.
Miranda, M.de F. Inculturação da fé: uma abordagem teológica. São Paulo: Edições Loyola,
2001.
ORTIZ, Renato(org). A procura de uma sociologia da prática. In Pierre Bourdieu: sociologia.
São Paulo: Ática, 1983.
PIERUCCI, Antônio F. As religiões no Brasil. In. GAARDER, J.; HELLERN, V.;
NOTAKER, H.(orgs.).O livro das religiões. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.
PONTIFÍCIA COMISSÃO BÍBLICA. A interpretação da bíblia na igreja. São
Paulo:Paulinas. 1994.
Reis, J. L.; MAGALHÃES, B. C. A experiência da inculturação da fé da Igreja Messiânica
Mundial no Rio de Janeiro. Coletânea, Rio de Janeiro, v.16, n. 32, p. 273-296, jul./dez. 2107.
ISSN 1677-7883. Disponível em: .
REVISTA GLÓRIA. A GUANABARA realiza o primeiro congresso de jovens messiânicos.
Glória, no
42, São Paulo, p.22-23, setembro de 1969.
TOMITA, Andréa G. S. As Novas Religiões Japonesas como instrumento de transmissão de
cultura japonesa no Brasil. Revista Rever, nº 3 - ano 4, p. 88-102, 2004. Disponível
em:.Acesso em 13/06/18.
______ . Religiões japonesas e a igreja messiânica no Brasil: integração religiosa e cultural.
São Paulo: Fonte Editorial, 2014.
WATANABE, T. Ocultivo da felicidade. São Paulo: Editora Mokiti Okada, 2015.
HALBFASS, Wilhelm. India and Europe: An Essay in understanding. New York: SUNY,
1988. 604 p.
GONDA, Jan. Die Religionen lndiens, v. I - Veda und älterer Hinduismus. Stuttgart: C. M.
Schröder, 1963.
ASSMAN, Jan. Translating Gods: Religion as a Factor of Cultural (Un)Translatability. In:
VRIES, Hent de (ed). Religion: Beyond a Concept. New York: Fordham University Press,
2008.
BAUM, Wilhelm; WINKLER, Dietmar W. The Church of the East: A Concise History. New
York / London: Routledge and Curzon, 2003.
BUCK, Carl Darling. A Dictionary of Selected Synonyms in the Principal Indo-European
Languages: A Contribution to the History of Ideas. Chicago: University of Chicago Press,
1971.
CHABOT, J. –B. Synodicon Orientale: Publié, Traduit et Annoté. Paris: Imprimiere
Nationale, 1902.
DICKENS, Mark. Multilingual Christian Manuscripts From Turfan. Journal of the Canadian
Society for Syriac Studies. Vol 9. New York: Gorgias Press, 2009.
DICKENS, Mark. Patriarch Timothy I and the Metropolitan of the Turks. Journal of the
Royal Asiatic Society. Vol 20, Issue 2 April 2010.
FORTE, A. “On the So-Called Abraham from Persia. A Case of Mistaken Identity,” in
PELLIOT, Paul. L’inscription nestorienne de Si-Ngan-Fou. Kyoto e Paris: ed. A. Forte, 1996.
GHARIB, B. Sogdian Dictionary: Sogdian-Persian-English. Teerã: Farhangan Publications,
1995.
HISTÓRIA MONÁSTICA DE SOZÔMENO. SCHAFF, Philip; WACE, Henry. A select
library of nicene and post-nicene fathers of Christian Church. Series 2, Vol 2. New York:
WM. B. Eerdmans, 1890.
HISTÓRIA MONÁSTICA DE EUSÉBIO. SCHAFF, Philip; WACE, Henry. A select library
of nicene and post-nicene fathers of Christian Church. Series 2, Vol 1. New York: WM. B.
Eerdmans, 1890.
HORNE, C. Nestorian Tablet: Eulogizing the Propagation of the Illustrious Religion in
China, with a Preface, composed by a priest of the Syriac Church, 781 A.D. 1919. Disponível
online em .
KLEINE, Marina. Os missionários franciscanos e o problema da comunicação com os
“infiéis” nos séculos XIII-XIV. MACEDO, José Rivair (org). Os viajantes medievais da rota
da seda. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2011.
LAMY, T. S. Concilium Seleuciae et Ctesiphonti Habitum anno 410. Textum Syriacum
Eudit, Latine Vertit Nostique Instruxit. Lovani: Excudebat Car Peeters, 1868.
MACKENZIE, Daniel Neil. A Concise Pahlavi Dictionary. Londres: Oxford University
Press, 1986.
NEIL, Stephen Charles. “Christianity Comes to India”. In: ______. A History of Christianity
in India. Cambridge: Cambridge University Press, 1984.
PESHITTA TOOL. Disponível Online em: Acesso em:
10 de Junho de 2018.
SCHER, A. “Histoire Nestorienne Inédite (Chronique de Séert): Premère partie (II)”, in
Patrologia Orientalis. Paris: Firmin-Didot, 1910.
SCHER, A. “Histoire Nestorienne Inédite (Chronique de Séert): Seconde partie (II)”, in
Patrologia Orientalis. Paris: Firmin-Didot, 1919.
SILVA, Igor S. Daniel em sogdiano: A prática do jejum na Comunidade Monástica de
Bulayïq. In: Anais do Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Brasília e do
Distrito Federal. 23º Congresso de Iniciação Científica da Unb e 14º do DF, 2018.
SILVA, Igor S. O Deserto Nestoriano: imagens de um espaço através da vida monástica,
segundo os achados de Turfan. (Trabalho de Conclusão de Curso) – Universidade de Brasília,
2018.
SIMS-WILLIAMS, Nicholas; SCHWARTZ, Martin; PITTARD, Willian J. Biblical and other
Christian Sogdian texts from the Turfan Collection. Berliner Turfantexte. Vol 32. Turnhout:
Brepols, 2014.
STEWART, John. Nestorian Missionary Enterprise: A Church on Fire. Edinburgh: T. & T.
Clark, 1928.
WIGRAM, William Ainger. An Introduction to the History of the Assyrian Church or The
Church of the Sassanid Persian Empire 100-640 A.D. London: Society for Promoting
Christian Knowledge, 1910.
WILLIAMS, A. V. Zoroastrians and Christians in Sasanian Iran. Bulletin of the John
Rylands Library. Vol 78 (3):37-54, 1996.
APTE, Vaman Shrivam. The Student’s English-Sanskrit Dictionary. Delhi: Motilal
Barnarsidass Publishers, 2009.
______. The Student’s Sanskrit-English Dictionary. 2. ed. Delhi: Motilal Barnasidass
Publishers, 1970.
CARVALHO, Matheus Landau de. Aspectos históricos do contexto de surgimento das Leis
de Manu (Mānava-Dharmaśāstra). Plura: Revista de Estudos de Religião, vol. 5, nº 1, 2014,
p. 90-112.
__________. Uma sociologia das religiões indianas: O estudo de Max Weber sobre o
Hinduísmo e o Budismo. Revista Sacrilegens, v. 10, n. 2, jul-dez/2013, pp. 163-167.
GOPAL, Ram. India of Vedic Kalpasūtras. 2. ed. Delhi: Motilal Banarsidass, 1983.
MICHAELS, Axel. The practice of classical Hindu law. In: LUBIN, Timothy; KRISHNAN,
Jayanth; DAVIS JR., Donald R. Hinduism and Law: An Introduction. New York: Cambridge
University Press, 2010, pp. 58-77.
MONIER-WILLIAMS, Monier. A Sanskrit-English Dictionary. 2. ed. Oxford: Oxford
University Press, 1899.
OLIVELLE, Patrick. Dharmaśāstra: a textual history. In: LUBIN, Timothy; KRISHNAN,
Jayanth; DAVIS JR., Donald R. Hinduism and Law: An Introduction. New York: Cambridge
University Press, 2010.
OLIVELLE, Patrick (trad.). Manu’s Code of Law. New York: Oxford University Press, 2005.
__________. The Āśrama System: The History and Hermeneutics of a Religious Institution.
New York: Oxford University Press, 1993.
RODRIGUES, Hillary. Introducing Hinduism. New York: Routledge, 2006.
WEBER, Max. The religion of India: The Sociology of Hinduism and Buddhism. Illinois: The
Free Press, 1958.
WITZEL, Michael. Vedas and Upaniṣads. In: FLOOD, Gavin (ed.). The Blackwell
Companion to Hinduism. Oxford: Blackwell Publishing, 2003, pp. 68-98.
ZIMMER, Heinrich. Filosofias da Índia. 2. ed. São Paulo: Palas Athena, 2003.
SADANANDA. Vedantasara. Introduction, translate and comments by Swami Nikhilananda.
Almora: Advaita Ashrama, 1931.
UPANIṢADS – OLIVELLE. P.Upaniṣads. A new translation by Patrick Olivelle. New York:
Oxford University Press, 2008.
CENKNER, William. A Tradition of Teachers: Śaṅkara and the Jagadgurus Today. Delhi:
Motilal Banarsidass, 1983.
DEUTSCH, Eliot. Advaita Vedanta: A Philosophical Reconstruction. Honululu: University of
Hawaii Press, 1988.
DEUTSCH. E & DALVI. R. The essencial Vedanta: a new source book of Advaita Vedanta.
Bloomington: World Wisdom, 2004.
FLOOD, Gavin D. Uma introdução ao hinduísmo. Tradução: Dilip Loundo e Fernanda
Winter. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2014.
HALBFASS, Wilhelm. Tradition and Reflection: Explorations in Indian Thought. Delhi: Sri
Satguru publications, 1992.
HODGKINSON, Brian. The Essence of Vedanta. Royston: Eagle Editions, 2006.
LOUNDO, Dilip. Adhyaropa-apavada Tarka: The Nature and Structure of the Soteriological
Argument in Sankaracarya’s and Swami Satchidanandendra Saraswati’s Advaita Vedanta.
The Journal of Hindu Studies.Oxford, 16 de Fevereiro de 2015. Disponível:
http://jhs.oxfordjournals.org/content/early/2015/02/15/jhs.hiv001.abstract. Acesso em: 03
Outubro 2015.
LOUNDO, Dilip. A Mistagogia Apofática dos Upaniṣads na Escola Não-Dualista Advaita
Vedānta de Satchidanandendra Saraswati. In Numen: Revista de Estudos e Pesquisa da
Religião. V14, N2, p. 109-130. UFJF, Juiz de Fora, 2011.
LOUNDO, Dilip. Caminhos do filosofar na Índia: conhecimento, ignorância e salvação
segundo a escola Vedānta. Estudos Afro-Asiáticos – CEAA, Rio de Janeiro, 37, p. 103-112,
julho, 2000.
RAO, P. Nagaraja. The Schools of Vedanta. Bombay: Bharatiya Vidya Bhavan, 2007.
SHARMA, Arvind. 1993. The experiential dimension of Advaita Vedanta. Delhi: Motilal
Banarsidass.
ZIMMER, Heinrich R. Filosofias da Índia. Compilado por Joseph Campbell; tradução: Nilton
Almeida Silva, Cláudia Giovani Bozza e participação de Adriana Facchini de Césare; versão
final Lia Diskin. São Paulo: Palas Athena, 2015.
ADVAITA VEDANTA. A visão não dual. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2016.
AMALADOSS, Michael. Índia: os cristãos sob dois fogos. Disponível em:
. Acesso em: 08 jun. 2016.
ANDRADE. Clodomir de Barros. Paisagens da Imanência: Imbricações entre Mística,
Estética e Natureza na Poesia Arcaica Indiana. Revista Numen, Juiz de Fora, v. 18, n. 01,
2015. p. 104-120.
BRUNTON, Paul. A Índiasecreta. Tradução de Zofia de P. Graffon. São Paulo: Pensamentos,
s/data.
DOCUMENTÁRIO: Ramana Maharshi: O Sábio de Arunachala. Disponível em:
. (73 min). Acesso em: 20 dez. 2015.
ECKHART, Mestre. Sobre o Desprendimento. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
_________. Sermões Alemães. V. I. Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco;
Petrópolis: Vozes, 2006.
MARTINS, Roberto de A. Mundaka-upanisad:O conhecimento de Brahman e do Atman. Rio
de Janeiro: Corifeu, 2008.
Como Citar
CORRÊA MAGALHÃES, B.; MARTINS MASSI, G.; SANTOS DA SILVA, I.; LANDAU DE CARVALHO, M.; DO CARMO SILVA, B.; ALMEIDA RODRIGUES, A. E. Tradições e Religiões Asiáticas. Sacrilegens , v. 15, n. 2, 11.