Religião e Cultura Pop

  • Felipe Magalhães Francisco
  • Rosemary Fernandes da Costa
  • Raquel Belém de Andrade da Silva
  • Vinicius Tobias
Palavras-chave: Cultura Pop, Religião, Fenômeno religioso, Diálogo Ecumênico, Diálogo interreligioso

Resumo

O horizonte hodierno é marcado por um crescimento do acesso às mídias sociais, sobretudo por parte de uma população cada vez mais jovem. As juventudes, na busca por temas diversos e ávidos por tudo aquilo que se coloca como “novo”, não seleciona seus conteúdos tendo por base os critérios religiosos pré-estabelecidos pela comunidade em que estão inseridos ou, até mesmo, por aqueles critérios religiosos dos quais sofreram influências culturais, mas muito mais pelos temas trazidos pela cultura pop, por meio de canais de YouTube, músicas de celebridades, poemas, etc. Ao mesmo tempo que esse tipo de atitude facilita o aliciamento por parte de grupos extremistas e alienantes, também favorece o acesso a grupos mais esclarecidos a respeito das questões atuais, possibilitando o contínuo processo de formação cultural, inclusive na transformação do elemento propriamente religioso nessa cultura. Também o fenômeno religioso passa por um processo contínuo de transformação e, sob influência da cultura, produz e oferece novas e múltiplas formas de acesso ao Sagrado. Nesse sentido, pensar a religião na atualidade implica também pensar a cultura e em como essa se mostra aberta à questão religiosa, podendo, assim, ser também considerada uma ponte para o diálogo ecumênico e inter-religioso na interseção de seus diversos agentes, sejam eles literários, musicais, cinematográficos, de redes sociais, etc. Interessam-nos comunicações que se insiram nessa interface entre cultura pop e religião, de modo a refletirmos, criticamente, como esses elementos manifestam o fenômeno religioso, bem como sinalizam aberturas legítimas para a produção de diálogo ecumênico e inter-religioso.

Referências

GRENZ, Stanley. Pós-modernismo. Um guia para entender a filosofia do nosso tempo. São
Paulo: Vida Nova, 2008.
KOPP, Rudinei. Comunicação e mídia na literatura distópica de meados do século 20:
Zamiatin, Huxley, Orwell, Vonnegut e Bradbury. Porto Alegre: PUC-RS, 2011. Tese de
doutorado não publicada.
LLOSA, Mario Vargas. A verdade das mentiras. In: _____ A verdade das mentiras. São
Paulo: Editora Arx, 2004. p. 15-30.
MOLTMANN, Jurgen. Hope and History.
OSBORNE, Grant R. Narrativa. In: _____ A espiral hermenêutica. Uma nova abordagem à
interpretação bíblica. São Paulo: Vida Nova, 2009. p.254-283.
E. BLOCH, O Princípio Esperança. Rio de Janeiro: Contraponto/Ed. UERJ 2005-2006
CAMUS, A. O mito de Sísifo. Ensaio sobre o absurdo. Livros do Brasil: Lisboa, s/d.
COSTA, Rosemary Fernandes da. Mistagogia Hoje: O resgate da experiência mistagógica
dos primeiros séculos para a evangelização e catequese atuais. São Paulo: Paulus, 2014
FRANCISCO, Papa. Carta Encíclica Laudato Si’ Louvado sejas. Sobre o cuidado da casa
comum. São Paulo: Paulinas, 2015.
MANZATTO, A., PASSOS, J. D. e VILLAC, S. De esperança em esperança. Escatologia.
São Paulo: Paulus, 2009
MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro:
Bertrand Brasil, 2001.
ABILIO JUNIOR, José. Estados emocionais (Bhava) e experiência estética (rasa) : os
conceitos centrais da filosofia da arte indiana e alguns de seus desdobramentos. Juiz de Fora,
2015
__________________Breve introdução à hermenêutica do capítulo 1 do Natyasastra: a
criação Donatya; a construção do primeiro teatro; e o “recontar” do “paradigma’ dos “três
mundos” Religare 8 (1), 12-22, março de 2011
BERTHOLD, Margot. História mundial do teatro. São Paulo : Perspectiva, 2004.
BIANCHINI, Flavia. A deusa Sarasvatī no hino 6.61 do Ṛgveda. Cultura Oriental, v. 1, n. 2,
p. 1-16, jul.-dez. 2014
CROATO, José Severino. As linguagens da experiência religiosa. São Paulo: Paulinas,
2001.
ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano : a essência das religiões. São Paulo: Editora
WMF, 2010
FRIAS, Hilda Moreira de. História e religião na Índia antiga. REVISTA PORTUGUESA
DE CIÊNCIA DAS RELIGIÕES – Ano II, 2003, n.º 3/4 – 179-188
GOMES, Ricardo Carlos. DUARTE, Priscila de Queiroz. A dramaturgia do corpo no
Teatro Indiano como visível poesia. Revista Brasileira de Estudos da presença. Porto Alegre
v.7, n.1, p.154-183, jan\abr.2017
GOMES, Ricardo. A tradição do ator entre Oriente e Ocidente.
KUNG, Hans. Religiões do mundo : em busca dos pontos comuns. Campinas: Verus, 2004.
MOTA, Marcus. Natyasastra: teoria teatral e a amplitude da cena. Revista de História e
Estudos Culturais. Vol. 3 Ano III n4
OTTO, Rudolfo. O Sagrado : um estudo do elemento não-racional na ideia do divino e a suaa
relação com o racional. 1985
RIES, Julien. O sagrado na história religiosa da humanidade. Rio de Janeiro: Vozes,2017
SANTO, Denise Espírito. O teatro dança indiano: entre o clássico e o popular. Textos
escolhidos de cultura e arte populares. Rio de Janeiro, v.8,N. 1 , p.99-105.maio de 2001.
SCHECHNER, Richard. Performance e Antropologia de Richard Schener. Rio de Janeiro :
Mauad, 2012.
VALERA, Lúcio. A mística devocional (bhakti) como experiência estética (rasa): um
estudo do bhakti-rasāmṚta-sindhu de rūpagosvāmī .juiz de fora, 2015.
______. A dessecularização do Mundo: uma visão global. Religião e Sociedade, Rio de
Janeiro, 21 (1): 9-24, 2000.
CALIL JÚNIOR, Alberto. “Entre o público e o privado: Sathya Sai Baba e o oriente no
campo religioso brasileiro”. Religião e Sociedade, 26/1, 2006, pp.05-22.
CAMPBELL, Colin. A orientalização do Ocidente: reflexões sobre uma nova teodicéia para
um novo milênio. Religião e Sociedade, 18, n. 1, 1997. p. 5-22.
_______. A ética romântica e o espírito do consumismo moderno. Rio de Janeiro: Rocco,
2001
CAMPOS. Haroldo de. Uma poética da radicalidade. In. ANDRADE, Oswald. Pau Brasil.
São Paulo, Editora Globo, 1990.
CAMURÇA, Marcelo Ayres. Espaços de hibridização, dessubstancialização da identidade
religiosa e idéias fora do lugar. Ciencias Sociales y Religión/Ciências Sociais e Religião,
Porto Alegre, ano 5, n. 5. 2003. p.37-65.
_______. Rede religiosa “new age” em Juiz de fora: espaço de “não lugares” e relativização
de crenças. Minas das Devoções – Diversidade Religiosa em Juiz de Fora. Juiz de Fora:
PPCIR – UFJF, 2003. p. 181-196
_______. O conceito de Reencarnação no Espiritualismo moderno: Entre o Círculo de
Sãmsara e o Evolucionismo Positivista. NUMEN: revista de estudos e pesquisa em religião.
Juiz de Fora, v 3, nº 1, Junho de 2003. p. 95-109
CAMURÇA, M. TAVARES, F. “Juventudes” e religião no Brasil: uma revisão bibliográfica.
Numen: revista de estudos e pesquisa em religião. Juiz de Fora: v. 7, n. I. 2012. p. 11-46
CAPRA, Fritjof. O Ponto de Mutação. São Paulo: Cultrix, 1983.
_______. O Tao da Física – Uma análise dos paralelos entre a Física Moderna e o
Misticismo Oriental. São Paulo: Cultrix, 2011.
CHENG, Anne. História do pensamento chinês. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.
D’ANDREA, Anthony. O self perfeito e a nova era: Individualismo e Reflexividade em
religiosidades pós-tradicionais. São Paulo: Edições Loyola, 2000.
DUARTE, Joelma do Patrocinio. A contracultura e seus desdobramentos: Novas
experimentações e religiosidade New Age. Tese de Doutoramento, Juiz de Fora, Programa de
Pós-Graduação em Ciência da Religião PPCIR - UFJF, 2010.
HERMOGENES. Yoga: Caminho para Deus. Rio de Janeiro: Record, 1975.
I CHING: O livro das Mutações. Tradução e Comentários por Richard Wihelm. São Paulo:
Pensamento, 2006.
JUNG, C.G. Wilhelm, R. O segredo da flor de ouro: um livro de vida chinês. Petrópolis:
Vozes, 2013.
KEROUAC, Jack. Despertar: uma vida de Buda. Porto Alegre: L&PM pocket, 2011.
______. Os vagabundos iluminados. Porto Alegre: L&PM pocket, 2006.
LAO-TZU. Tao Te Ching. São Paulo: Martins Fontes, 2002.
MEIDER, Charles. The complete humouros sketches and tales of Mark Twain. New York:
Double Day Company, 1961
MARIZ, Cecília Loreto. Secularização e dessecularização: comentários a um texto de Peter
Berger. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, 21 (1): 25-39, 2000.
MALLARMÉ, Stéphane. Poemas. Tradução e notas críticas de José Lino Grunewald. Rio de
Janeiro: Nova Fronteira, 2015.
MERTON, Thomas. A via de Chuang-Tzu. Petrópolis: Vozes, 1969.
_______. Místicos e Mestres Zen. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira 1972.
_______. Zen e as Aves de Rapina. São Paulo: Cultrix, 1993.
NOVAES, Regina. Juventude, religião e espaço público: exemplos "bons para pensar" tempos
e sinais. Rio de Janeiro: Religião e Sociedade. 2012, vol.32, n.1, pp. 184-208.
_______. Os jovens “sem religião”: ventos secularizantes, “espírito de época” e novos
sincretismos. Estud. Av. [on line]: 2004, vol. 18, n.52, PP. 321-330.
_______. Ouvir para crer: os Racionais e a fé na palavra. Religião e Sociedade, 20/1, 1990.
PEREZ, Léa Freitas. Algumas notas sobre religião e cultura de consumo. Horizonte. Belo
Horizonte: abr./jun, 2010, v. 8, n. 17, p.146-155.
SAID, Edward W. Orientalismo: o oriente como invenção do ocidente. São Paulo:
Companhia das Leras, 1990.
SANCHIS, Pierre. “O Campo Religioso Contemporâneo no Brasil”. In: Ari Pedro Oro, Carlos
Alberto Steil (Org). Globalização e Religião. Petrópolis: Vozes, 1997, p. 103-117.
STESSUK, S. O silêncio em espirais: Walter Franco. In: Anais do Congresso internacional
da Associação Brasileira de Literatura Comparada (Abralic). São Paulo: 2008, v.11.
TAGG, Philip. Análise musical para “não-musos”: a percepção popular como base para a
compreensão de estruturas e significados musicais. In. Per Musi. Belo Horizonte, n.23, 2011,
p. 7-18.
TATIT, Luiz. O Século da Canção. Cotia: Ateliê Editorial, 2004.
THORAU, Henry David. Desobediência Civil – Resistência ao Governo Civil / Walden. Rio
de Janeiro: Ediouro (s/d.)
TOBIAS, Vinicius. Metal-Físico: Ensaio poético, crítico e fotográfico acerca do inatingível.
Trabalho de Conclusão do Curso de Comunicação Social / UFSJ. São João del-Rei: 2013
_______. Os yoguins do séc. XXI: a representação do aprendiz orientalista pós-tradicional nas
canções de BNegão e Walter Franco. Anais do CONACIR, Juiz de Fora, ano 1, vol. 1: 497-
504, 2015.
WISNIK, José Miguel. Sem receita. São Paulo: Publifolha, 2004.
______. O som e o sentido: uma outra história das músicas. São Paulo: Companhia das
Letras, 1989.
VARGAS, Herom. A canção experimental de Walter Franco. Comunicação & Sociedade.
Porto Alegre: jul./dez 2010, Ano 32, n. 54, p. 191-210.
WATTS, Alan. The Way of Zen. New York: Vintage, 1989.
ZIMMER, Heinrich. Filosofias da Índia. (Org. CAMPBELL, Joseph) São Paulo: Palas
Athena, 2008.
Como Citar
MAGALHÃES FRANCISCO, F.; FERNANDES DA COSTA, R.; BELÉM DE ANDRADE DA SILVA , R.; TOBIAS, V. Religião e Cultura Pop. Sacrilegens , v. 15, n. 2, 11.