Religiosidade Mineira: Devoção aos Santos na Comarca do Rio das Mortes no Século XVIII

Autores

  • Lidiane Almeida Niero

Palavras-chave:

catolicismo, religiosidade, devoção

Resumo

Este trabalho inscreve-se em um grupo específico de experiência cultural que é a
religiosidade devocional, porém, com ênfase nas devoções aos santos, declaradas nos
testamentos registrados no notariado da vila de São João Del Rei, no período entre 1730
a 1800. Começando pela história do catolicismo devocional no Brasil, que nos
proporciona uma análise explicativa para se chegar à compreensão da religiosidade
devocional em Minas, será feita uma abordagem dos legados testamentais da comarca
do Rio das Mortes, visando a busca da sensibilidade religiosa na região durante o século
XVIII. Serão investigados documentos de testadores que integravam grupos sociais
distintos como o dos livres e dos libertos ou como o dos brancos e dos negros, em que
existem diferenciações internas baseadas no sexo e na fortuna, levando em conta que os
testamentos estudados, longe de terem uma mera feição econômica, expressavam uma
solene demonstração de fé. Vê-se que a devoção aos santos pode ser declarada pelos
testadores ou não, podendo também ser reconhecida enquanto tal por agentes como as
irmandades, através do hábito de especificar como se quer ser enterrado, pelo local de
sepultamento, pelas missas deixadas e até mesmo por meio das doações que acabam por
demonstrar um envolvimento de devoção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Célio Macedo. Um Estudo Iconográfico. In: COELHO, Beatriz (Org).
Devoção e Arte: Imaginária Religiosa em M.G. São Paulo: Editora da Universidade de
São Paulo, 2005.
ARAÚJO, Maria Lucília Viveiros. Reflexões sobre a pesquisa historiográfica dos
testamentos. 2005.
AUGRAS, Monique. Todos os Santos são bem-vindos. Editora Pallas. Rio de Janeiro,
2005.
BOSCHI, Caio César. Os leigos e o poder: irmandades leigas e política colonizadora
em Minas Gerais. São Paulo: Ática, 1986.
CAMURÇA, Marcelo Aires. Panorama Religioso do catolicismo e do Protestantismo no
Brasil. In: Revista Magis, Caderno de Fé e Cultura. Número 14, 1996, p. 2-15. Centro
Loyola de Fé e Cultura, PUC-RJ. ISSN nº 1676-7748.
DRIESSEN, Henrik. “Elite” Versus “popular” religion? The politics of Religion in
Rural Andalusia, an Anthrohistorical Perspective. In: SANTAJÓ, C. Álvares et al. La
Religiosidade Popular. Barcelona: Antrhopos, 1989, p. 82-104.
EVANGELISTA, Adriana Sampaio. Pela Salvação de minha alma: vivência da fé e
Vida cotidiana entre os irmãos terceiros de Minas Gerais – séculos XVIII e XIX. Tese
(doutorado em Ciência da Religião), UFJF, Juiz de Fora, 2010.
FREYRE, Gilberto. Casa - grande & senzala: introdução à história da sociedade
patriarcal no Brasil. Rio de Janeiro: Record, 1966.
FURTADO, Junia. Testamentos e inventários: a morte como testemunho da vida. In:
PINSKY, C. B.; LUCA, T. R. (Org.). O historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto,
2009.
JURKEVICS, Vera Irene. As irmandades negras: “lócus” de religiosidade popular.
Revista tecnologia e sociedade. Curitiba, n. 2, 1º semestre de 2006, p. 195-207.
______. Os santos da Igreja e os Santos do Povo: devoções e manifestações de
religiosidade popular. Tese de doutorado apresentada ao curso de Pós-Graduação em
História da Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2004.
LE GOFF, Jacques.São Francisco de Assis. 4ª ed. Trad. Marcos de Castro. Rio de
Janeiro: Record, 2001 Apud EVANGELISTA, Adriana Sampaio. Pela Salvação de
minha alma: vivência da fé e vida cotidiana entre os irmãos terceiros em Minas Gerais
– Séculos XVIII e XIX. Tese apresentada ao programa de Pós-Graduação em Ciências da
Religião da UFJF em 2010.
MATA, Sérgio da. Chão de Deus: catolicismo popular, espaço e proto-urbanização em
Minas Gerais. Brasil. Século XVIII-XIX. Berlim: Wissenschaftlicher Verlag Berlin,
2002. Apud. MALAQUIAS, Carlos de Oliveira. Trabalho, família e escravidão:
pequenos produtores de São José do Rio das Mortes, de fins do século XVIII a meados
do XIX. Dissertação de Mestrado em História – UFMG, 2010.
MENEZES, Renata. A dinâmica do sagrado: rituais, sociabilidade e santidade num
convento do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Relume-Dumará: 2004.
OLIVEIRA, Pedro A. R. de. Religião e dominação de classe: Gênese, estrutura e
função do catolicismo organizado no Brasil. Petrópolis: vozes, 1985.
PAIVA, Eduardo França. Escravos e libertos nas Minas Gerais do século XVIII:
estratégias de resistência através dos testamentos. São Paulo, Annablume/Faculdades
Integradas Newton Paiva, 1995.
SOUZA, Laura de Mello. História da cultura e da religiosidade. In: Brasil – Portugal:
História, agenda para o milênio. Org. ARRUDA, José Jobson & FONSECA, Luís
Adão da. Edusc, 2001, p. 75-80.
SOUZA, Laura de Melo e. O Diabo e a Terra de Santa Cruz. São Paulo: Companhia
das Letras, 1986.
VAUCHEZ, Andre. A espiritualidade na Idade Média Ocidental – século VIII a XIII.
Apud EVANGELISTA, Adriana Sampaio. Pela Salvação de minha alma: vivência da
fé e vida cotidiana entre os irmãos terceiros em Minas Gerais – Séculos XVIII e XIX.
Tese apresentada ao programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da UFJF em
2010.

Downloads

Como Citar

ALMEIDA NIERO, L. . Religiosidade Mineira: Devoção aos Santos na Comarca do Rio das Mortes no Século XVIII . Sacrilegens , [S. l.], v. 11, n. 1, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/26778. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Temática Livre