MODELO EXPERIMENTAL DE MUCOSITE ORAL E INTESTINAL EM RATOS WISTAR

  • Wellington Dorigheto Andrade Vieira
  • Akinori Cardozo Nagato
  • Maria Inês da Cruz Campos

Resumo

Introdução: A mucosite oral é considerada um efeito colateral agudo frequente do tratamento antineoplásico, com lesões ulcerativas de sintomatologia dolorosa, que acometem a cavidade bucal, devido ao tratamento antineoplásico. Para estudar esses efeitos colaterais, são necessários estudos em animais de experimentação, conhecer qual o melhor medicamento e tratamento. O objetivo é apresentar alternativas do modelo experimental de mucosite oral utilizando outro tipo de roedor. Métodos: Foi realizada uma pesquisa em base de dados Pubmed, Lilacs e Scielo, selecionando estudos de relevância para o tema. Discussão: Mucosite oral é descrita como alterações na mucosa bucal decorrentes do tratamento anticâncer. Vários estudos vêm sendo desenvolvidos como forma de tratamento e até mesmo sua prevenção; para isso diversos estudos utilizam modelos animais, sendo o hamster o mais utilizado, porém há outros tipos de roedores que podem ser utilizados como os ratos Wistars. Conclusão: Na ausência de hamsters é possível utilizar outros roedores para estudo da mucosite oral.

 

Publicado
2019-07-31